Image Slider

terça-feira, 21 de novembro de 2017

Review: Supergirl 3x07 - "Wake Up"

Atenção: A resenha abaixo contém spoilers do episódio "Wake Up", exibido no dia 20/11/2017! 

supergirl 3x07

O episódio tão aguardado por todos chegou e... tenho reclamações a fazer. Winn, Kara e J'onn descobrem uma espaçonave presa em uma rocha e decidem investigar. Para surpresa deles, mas nenhuma nossa, o trio encontra Mon-El.

O ex de Kara está meio confuso sobre tudo e não consegue responder muitas das perguntas que temos a fazer. Para começar, como é possível que ele tenha voltado para a Terra em uma nave que estava presa em uma rocha por 12.000 anos?

Essa resposta,  infelizmente, ignoraram - só espero que lembrem disso -, mas outras eventualmente aparecem. Mon-El age estranho e distante, e, por mais que Kara esteja feliz, essa situação começa a doer bastante.

Depois que Mon-El decide nocautear dois agentes do DEO e roubar um aro alienígena, então, os problemas só aumentam de tamanho. Kara se sente magoada por tudo e, nossa, que atuação Melissa nos deu nesse episódio.

Ela achou que nunca mais o veria, não consegue dormir e não para de reviver o momento que teve que deixá-lo ir para o espaço e possivelmente morrer. Todos sabemos que não foi uma escolha fácil e ela foi assombrada por isso por sete meses.

Agora que todas suas preces foram ouvidas, você imaginaria que os escritores dariam alguma paz para nossa Supergirl, mas o sofrimento só continua. Mon-El não é o mesmo, Kara não é a mesma. Ela quer explicações, ele se recusa a dar.

É aí que a lista de decisões ruins de Mon-El aumenta. Ele decide pedir a Winn que confie nele ao invés de Kara, ele chega a falar que não deveriam tê-lo tirado da nave e ainda revela seus segredos sem a menor consideração. Felizmente, uma coisa ele aprendeu (ou parece que aprendeu): Kara não precisa da proteção dele.

supergirl 3x07

Enquanto se passavam sete meses para Kara, passaram-se sete anos para Mon-El. Não só isso como, depois que foi embora, ele caiu num espaço negro e acabou morando na Terra do futuro todos esses anos.

Depois disso, fica mais fácil de entender como, para Mon-El, por mais que tenha amado Kara e sentido sua falta, ela parece uma ideia distante para ele - como pensamos no nosso primeiro amor anos depois.

Esse retorno à espaçonave de Mon-El faz com que eles acordem outra habitante sem querer. Seu nome é Imra e ela é de uma das luas de Saturno, Titã. Conhecida como Saturn Girl (Moça de Saturno) nos quadrinhos, ela faz parte da Legião de Super-Heróis assim como Supergirl, Mon-El e outros já fizeram, o que nos faz especular que teremos uma legião na série também.

Muitas teorias de que Imra e Mon-El estariam juntos já tinham sido divulgadas, então eu já imaginava o que iria acontecer, mas os escritores decidiram fazer algumas escolhas bem babacas.

Apesar do clima estranho entre os dois, Mon-El e Kara conseguem se entender no final. No entanto, quando Mon-El está prestes a revelar mais um segredo, Imra acorda e ele vai até seus abraços, apresentando-a como sua esposa. ISSO MESMO, esposa.

Sério que, depois de finalmente voltar a ser amigo de Kara, ele decide não contar essa notícia em particular e ainda beija Imra na frente dela? Claro, eu entendo que seja um assunto difícil e quando você reencontra sua esposa é normal um beijo, mas, se contar já era ruim, imagina mostrar desse jeito?

Nossa Kara merece mais que isso. Custava os escritores colocarem uns cinco segundos de explicação antes do beijo que fosse?? O impacto da cena não vale a pena. Kara não estava preparada para isso, ainda mais depois do momento que tiveram na varanda. Melhorem, escritores.

Não vou nem comentar no fato de ele estar casado, porque se lidar com um namoro na série já seria difícil, imagina um relacionamento tão estável assim. Pobre ship Karamel. Infelizmente, o que nos resta agora é esperar para ver como Kara vai lidar com Imra e isso tudo.

supergirl 3x07
"Espera, o que você está fazendo?"
Vou deixar esse gif fofo desse trio juntinho para animar vocês.
Enquanto essa explosão de sensações acontecia, Samantha foi atrás de uma jornada de autodescoberta. No episódio passado, ela aceitou o fato de ter poderes e decidiu ir atrás de suas origens para entender da onde surgiu isso tudo.

Logo, Sam vai até a casa da mãe adotiva. Só isso não é nada fácil, já que sua mãe a havia expulsado de casa quando ficou grávida muito nova. O drama quase a faz desistir, mas Sam consegue contar suas suspeitas e sua mãe finalmente revela que ela é alienígena. E não qualquer alienígena, mas kryptoniana.

Indo mais a fundo em sua história, Sam vai até o deserto enfrentar seu eu e descobre sua história. Por meio de um holograma, ela descobre que é uma worldkiller (matadora de mundos) e foi basicamente criada para destruição e dominação. Ela é destinada a se tornar Reign.

supergirl 3x07

Já sabíamos esse destino, mas com certeza foi interessante acompanhar Samantha nessa descoberta. O mais interessante é que, no final das contas, ela é uma pessoa boa que teve um mecanismo aberto dentro dela que vai a fazer se tornar uma vilã.

Sua trajetória pareceu quase com a de Clark, afinal seus poderes surgiram aos poucos e sua origem foi revelada por sua mãe. No entanto, seus poderes demoraram a aparecer porque teve uma filha, quem o holograma parece desprezar.

Isso me leva à duas perguntas. Um, será que Ruby sofrerá nas mãos da mãe por causa disso? Dois, como o holograma sabe tanto da vida de Sam na Terra? Achei que era uma inteligência artificial, mas adormecida, apenas para falar de conhecimentos pré-estabelecidos.

Imagino que a situação seja algo parecido com a Caitlin de The Flash. Ela tem seu alter-ego malvado em Killer Frost e luta para conseguir controlá-lo e separá-lo de si. Estou realmente curiosa para saber os próximos passos de Sam.

Por fim, J'onn também teve um pequeno enredo a ser acompanhado. Seu pai já está algumas semanas na Terra, mas não parece ter se adaptado. O problema maior é que J'onn vive no trabalho e o pai não tem muitas experiências fora dali.

supergirl 3x07

Winn, fofo, é quem aponta para J'onn que isso pode ser um problema. Depois de anos, séculos, aprisionado, seria bom para seu pai sair um pouco. Eis então que J'onn deve lidar com isso.

A verdade é que J'onn viveu tanto tempo sozinho na Terra que é difícil ter o pai de novo ali e conseguir encaixá-lo na rotina. Não só isso como J'onn vive no DEO, literalmente pelo que parece, o que me chocou.

Por mais que tenha feito sua própria família ali, podemos admitir que sua vida ainda está muito ligada ao trabalho. As únicas pessoas que conhece estão ali e ele só pensa no DEO. É o pai que mostra isso para ele, apesar das poucas palavras, o que nos rendeu uma ótima cena entre os dois e a promessa de vermos uma vida caseira entre eles.

Semana que vem, no entanto, vamos ter que apertar um pausa em todas essas revelações, por que o crossover da DC estar por vir!


O melhor
Kara maravilhosa questionando Mon-El e Winn sobre "o melhor para ela".
Winn ajudando J'onn e o pai.
Todos apoiando Kara depois de descobrirem Mon-El.
Sam e sua jornada.

O pior
Quero saber como a espaçonave foi parar no meio de uma rocha, pls.
Falar sobre a esposa de Mon-El que nem pessoas normais para quê.
Alías, esposa?? Rindo.
Não façam a Reign ser má com a Ruby.

Nota 7,0

Mariana Oliveira Sou Publicitária, Beatlemaniaca e Coldplayer. Toco piano e praticamente vivo de séries e livros. Acho que começo uma série nova toda semana. 

domingo, 19 de novembro de 2017

Review: Once Upon a Time 7x07/08 - "Eloise Gardener"/"Pretty in Blue"

Atenção: A resenha abaixo contém spoilers dos episódios "Eloise Gardener" e "Pretty in Blue", exibidos no dia 17/11/2017! 

once upon a time 7x07/08

Nosso episódio duplo chegou e com ele muitas teorias e revelações. A primeira parte ficou reservada para nosso Hook 2.0 e finalmente pudemos descobrir como Snow e Charming vencerem a Regina influenciou sua vida, além de acompanharmos o desenvolvimento do desaparecimento de Eloise.

Detetive Rogers fez uma total imersão no caso de Eloise, o que fez com que confrontasse muitas pessoas como Weaver, Victoria e até Tilly. A garota finge ajudá-lo dando várias pistas de que Eloise estaria morta, mas Rogers não se convence. Será que Tilly sabe a verdade?? Com a ajuda de Henry, ele consegue "desvendar" o mistério e acaba livrando Gothel das mãos de Victoria, fazendo a magnata ir para a cadeia.

Achei o timing coincidência demais, mas acredito que Ivy tenha influenciado Rogers mais de uma vez para fazer com que ele prendesse sua mãe e liberasse Gothel ao mesmo tempo. Na verdade, imaginava que Gothel não conseguiria se passar por Eloise porque parece mais velha, mas parece que isso não importou.

No Wish Realm (reino criado pelo desejo de Emma), Regina, agora fugitiva, resolve pedir ajuda de Hook para ir para outro reino, onde poderá recuperar sua magia e se esconder por um tempo. Em troca, Hook terá que encontrar a bruxa de uma torre e roubar sua magia para assim conseguir levar Regina e se vingar de Rumple.

Parece simples, mas quando Hook chega na torre e encontra Rapunzel as coisas mudam. Ela conta para ele sobre a flor mágica que resolveria seus problemas, afinal, com sua ajuda, ela poderia ser livre e ele conseguiria o que quer.

Assim, Hook vai numa pequena aventura com Smee e conseguem encontrar a flor. Eis então que ele faz o inesperado e decide voltar para salvar Rapunzel. Os dois entram no clima, uma coisa leva a outra e quando Hook vai ver uma bela bebê nasce.

once upon a time 7x07/08

Admito que foi bem estranho como essa criança nasceu quase do ar, além desse rolo. Quem dera tudo fosse por amor, mas a verdade é que Rapunzel era na verdade a bruxa Gothel esse tempo todo. Seu único objetivo era deixar a criança ali presa na torre para assim poder quebrar o feitiço e sair dali.

Achei pesado. Isso mostra que a Gothel é alguém que realmente não se importa com muita coisa. Em compensação, o fato muda completamente a vida de Hook. Com sua filha sozinha e presa numa torre, ele decide deixar sua vingança de lado e cuidar dela, o que faz bastante sentido se pensarmos como ele sofreu com o abandono dos pais e não gostaria de repetir isso.

Eis então que conhecemos a verdadeira identidade da filha dele: Alice. Como eu havia dito no episódio passado, já estava ficando bem óbvio que era ela, mas foi bem fofo vê-lo com a filha. Não só no flashback como no presente.

Rogers tem seu caso solucionado, mas, claro, não está completamente satisfeito. Ele não sente a conexão que sentia antes por Eloise. Rogers e Tilly continuam amigos e se aproximando cada vez mais, mas fiquei decepcionada por ele não descobrir sua filha nesse episódio. No entanto, não foi de todo mal: a revelação de Gothel deu uma boa bagunçada na história e virou o jogo entre Ivy e Victoria.

Felizmente, a segunda parte da história (7x08) satisfez um pouco minha necessidade de ver Alice e Hook juntos, já que eles conseguem se reencontrar antes da maldição de Ivy. Eu amei ver Alice chamando Hook de papa e querendo abraçá-lo.

once upon a time 7x07/08

A parte negativa disso tudo, já esses dois não conseguem ter um reencontro familiar direito, é que Hook tem o coração envenenado que não deixa Alice tocá-lo. Por mais que Alice achasse que tinha resolvido isso, descobrimos que Drizella estava só brincando com nossos sentimentos mais uma vez.

Encontramos Drizella fazendo preparativos para sua maldição, o que inclui enganar Alice para levar Henry e Ella até o País das Maravilhas. Lá ela ameaça envenenar o coração de Henry da mesma forma que Hook e aí que fica confuso.

Por mais que Ella e Alice tenham conseguido prender Drizella em um espelho mágico, Henry e Ella conseguem se beijar sem problemas. Foi fofo Ella finalmente se arriscando no amor, mas Drizella tinha conseguido cortar Henry com o veneno na faca.

Achei que ela só precisava fazer isso para envenená-lo, o que resta duas hipóteses. De alguma forma, o veneno só entra em vigor quando eles sofrerem a maldição, talvez porque estão em outro reino ou a magia está conectada com a maldição. Ou então, temos uma segunda parte no plano de Drizella que foi adiado.

O fato é pelo menos descobrimos o impeditivo para Henry beijar Jacinda e quebrar a maldição que Regina tanto tem que previnir. Regina sabe que o filho e Jacinda estão à poucos passos de começarem a namorar, então ela começa a fazer Jacinda duvidar que o namoro será bom para ela conseguir a guarda de Lucy.

E dá certo. Durante o episódio duplo, os dois ficam indo e voltando. Henry tenta ajudar Jacinda ao máximo dando conselhos sobre a guarda de Lucy e consertando o foodtruck, mas ele termina meio acabado bebendo todas.

once upon a time 7x07/08

Enquanto isso, Regina tenta lidar com a culpa de ter afetado a felicidade do filho ao procurar aliados. A primeira pessoa que ela pensa, com toda razão, é Rumple. Afinal, se uma pessoa deve estar "acordada" da maldição, é ele.

No entanto, a coisa é mais difícil do que parece. Weaver/Rumple é difícil de quebrar e não sai do personagem de jeito nenhum, mas duvido muito que ele não seja o Rumple. A questão é: por que ele continua insistindo em ser Weaver? Ainda mais com Regina tão próxima e pronta para ajudar?

Talvez seja por medo de um tal de 'guardião' e algumas pessoas acham que pode ser o ogro debaixo da ponte. Faz bastante sentido, mas o que será que acontecerá de tão ruim de acordarem-o? Será ele o guardião da maldição e assim mais um mecanismo de defesa de Ivy? Argh, sério, Rumple só decepciona, não sei nem porque pensei que ele iria ajudar.

Bom, apesar disso, Regina tem um plano b e decide ir para São Francisco com Henry à procura de alguém que "a odeia", mas que pode ajudar. Minhas apostas estão em Zelena. Zelena devia fazer parte da maldição, ter brigado com Roni/Regina e se mudado.

Já li que o motivo da briga pode ter sido porque Roni queria a custódia de Robin (a filha, não Hood), o que encaixa com o fato de sua história da maldição ser que tentou adotar alguém, mas não conseguiu. Faz sentido, não consigo pensar a que ponto Zelena teria chegado para fazer Roni querer tirar a guarda da filha dela. Deve ser mais simples e elas se odeiam como sempre fizeram antes.

once upon a time 7x07/08

O foco do 7x08 é a luta de Jacinda pela guarda de Lucy, fazendo com o que o "pai" de Lucy apareça na história, o que, claro, só complica a vida de Henry. Antes de mais nada, amei como tivemos várias referências à Snow e ao Charming no episódio.

Para começar, Jacinda e Henry ficam presos em uma armadilha a que Charming prendeu Snow. Os avós de Henry têm uma grande influência em como ele vê o amor e ele tenta passar ir para Ella. Aliás, é assim que, até Jacinda, sem perceber, passa a mesma ideia do "vamos sempre encontrar um ao outro" para Lucy.

Assim como Kathryn na primeira maldição, Nick aparece como uma forma de comprovar que a maldição é a realidade e que Lucy tem realmente um pai que não é Henry. Lucy, é claro, não se deixa enganar e não sente qualquer conexão com Nick.

Aliás, vamos combinar né, Nick nem sequer cogita estar na vida da filha de novo. Lucy não lembra dele, mas deduzo que Nick e Jacinda devem ter se separada quando ela era bem pequena. Ele só volta como advogado de Jacinda, mas sequer falar que gostaria de passar mais tempo com a filha ou se desculpa por não ter sido presente.

once upon a time 7x07/08

Pelo menos, ele consegue que Jacinda finalmente tenha a custódia de Lucy, o que é um alívio para todos nós. Eu não nunva tinha parado para pensar nisso, mas percebi que essa história da Victoria (que nem é avó da Lucy, só madastra) ter a guarda da criança era bem estranha. Ela tem uma mãe viva que, apesar de não ter muito dinheiro, parecia sustentar a filha bem. Por que o Estado tiraria a guarda?

Eis que o episódio explica a contradição. Foi a própria Jacinda que decidiu dar a guarda para Victoria, achando que não era capaz de cuidar da filha. Apesar de tudo, dá para ver agora que ela se arrepende da decisão de anos atrás e só quer fazer Lucy se orgulhar da mãe.

Com a ajuda do flashback, descobrimos ainda que Nick na verdade é Jack, um grande amigo que Henry conheceu em Agrabah - o que torna bem estranho o fato de ele ser o "pai" de Lucy, não acham? De qualquer forma, ele deve ser o par romântico de alguém... O que me faz pensar em Sabine! Ele gosta de música e toca instrumentos que nem Naveen, então quem sabe.

Além disso, queria compartilhar outra teoria dos fãs. Pelo que o trailer do episódio que vem mostra, saberemos mais sobre como Gothel prendeu a verdadeira Rapunzel


O melhor
"Ninguém quer ser uma Kathryn!"
Lucy sempre forte nas suas crenças.
Adorei como vimos a torre da Rapunzel no 7x06, mas só agora as coisas se conectaram.
Amei ver o reencontro entre Alice e Hook, por mais rápido que tenha sido.
Gostei de conhecer mais sobre a família da Ella, apesar de não ter elaborado!

O pior
Não posso deixar de falar que algumas contradições me incomodam.
Rumple, ajuda a Regina logo vai.
Ver o olhar de reconhecimento de Regina ao ver o filho e não poder falar nada doeu.
Wtf, Gothel e Hook.


Nota 7,3

Mariana Oliveira Sou Publicitária, Beatlemaniaca e Coldplayer. Toco piano e praticamente vivo de séries e livros. Acho que começo uma série nova toda semana. 

sexta-feira, 17 de novembro de 2017

Review: Arrow 6x06 - "Promises Kept"

Atenção: a resenha abaixo contém spoilers do episódio "Promises Kept", exibido no dia 16/11/17.

arrow promises kept

Slade encontrou seu filho, mas seus problemas só aumentaram ainda mais depois que foi revelado que Joe – ou Kane, como quiser – é o líder de uma organização terrorista, os Jackals. Joe não fica muito feliz de ver o pai, mas Slade promete que vai estar ali para ele e que a única coisa que ele tem no momento é seu filho, não vai deixar nada se intrometer no medo, por isso ele seria um bom aliado, porque defenderia o filho em qualquer situação. Slade pareceu bem honesto e Joe se convenceu, inteirando o pai em seus negócios ilegais.

Oliver, que tinha se infiltrado no local depois de Slade drogá-lo e deixá-lo para trás, não está muito satisfeito com esse negócio. Ele não acha que Slade tenha muita opção, além disso Joe é um assassino, pretendo matar pessoas e roubar coisas, então Slade não deveria incentivar isso.
   
É claro que Oliver acaba sendo descoberto e, para testar o pai, Joe quer que Slade fure o olho de Oliver (literalmente), uma vingança em relação ao que aconteceu. Oliver devia dizer que tudo bem desde que pudesse matar a mãe dele também, porque né, Slade fez muito pior que o Oliver. O próprio Slade reconhece isso para o filho, dizendo que perdoou Oliver (pelo o quê?! O Oliver literalmente não tinha feito nada de errado nesse caso, a morte da Shado NÃO foi culpa dele e depois disso o Oliver só estava se defendendo) porque Oliver tinha o perdoado por coisa pior. Aceito isso, mas o Joe não, ele está focado em ser como o pai. Mas a pior versão do pai dele.

O que me preocupa é que o Oliver mencionou o William na frente do Joe, tenho medo de isso acabar voltando em algum momento mais tarde. Não coloque o William em perigo!

Para o Slade, mais revelações são feitas, primeiro que ele tem outro filho (que se eu não me engano já apareceu como vilão em Legends of Tomorrow, então não deve ser muito melhor que esse), depois que Joe o viu matando uma pessoa pré-mirakuru no flashback do episódio passado. Ou seja, não tem muita desculpa. Aliás, fiquei bem irritada com as contradições loucas do Mirakuru nesse episódio.  Pelos flashbacks, parece que depois da luta em Lian Yu no final dos flashbacks da segunda temporada (quando Oliver achou que tinha o matado), Slade foi encontrado e mandado para um hospital na Austrália, onde Joe o encontrou e eles tiveram momentos pai e filho, só que nesse momento o Mirakuru não estava ativado. Tipo, como assim? Isso faz zero sentido, porque estava com tudo quando Slade estava tentando matar Oliver e depois quando ele vai atrás do Oliver também está super louco. Parece que os escritores quiseram adaptar isso para poder inventar um momento com o Joe.

No fim, Slade acaba indo procurar o outro filho, ainda na esperança de conseguir “recuperar” o Joe um dia, mas manda Oliver de volta para casa.

arrow 6x06


Em Star City, Diggle continua sendo o Arqueiro-Verde, liderando o Team Arrow que agora está na cola de um novo chefe do crime, Ricardo Diaz, também conhecido como The Dragon (o dragão), que vai ser um vilão recorrente nessa temporada. Dragon está tentando roubar uma impressora(?) super tecnológica que possibilita que eles fabriquem drogas eles mesmos, o que eu não sei se faz tanta diferença assim, mas pelo menos é mais chique. De qualquer forma, ele seria um vilão bem normal, tirando que ele é o traficante da droga que o Diggle está usando para combater seus tremores.

Nesse episódio, fica mais claro que o Diggle não sabia que era uma droga tão assim, achando que estava no caminho para ser legalizada. Não que faça muita diferença, né, mas imagino que faça para o Diggle, que pareceu bem chocado quando descobriu que o cara que eles estavam fora era o mesmo que estava fabricando a droga que ele precisava. Como a própria Lyla fala nesse episódio, o Diggle sempre foi uma pessoa muito moralista, então dessa vez ele tem que confrontar o que ele estava fazendo e como estava errado, pelo próprio código de ética dele.

Adorei que Arrow trouxe de volta a Lyla para isso, porque eu já estava me perguntando onde ela estava. Ainda acho meio inacreditável que ela não tenha percebido que o próprio marido estava com tremores, mas vou aceitar que o Diggle disfarça bem e a Lyla estava ocupada, mas ainda acho pouco realístico. Mas pelo menos Diggle resolveu contar a verdade agora, antes mesmo que a esposa descobrisse, e Lyla não o julgou muito por sua decisão, apesar de ter considerado hipocrisia da parte dele, já que John ficou julgando o que a Lyla fazia para o ARGUS temporada passada.

Lyla estava ali para o John, eles conversaram sobre o assunto como adultos (uau, não é que os escritores realmente descobriram o conceito de comunicação saudável em um relacionamento durante esse hiatus? Já era hora! Fico feliz pelos cônjuges deles). Diggle até conta para ela que quando estava confrontando o Dragon e as drogas pegaram fogo, ele quis ir até lá ver se conseguia salvar alguma ao invés de ficar feliz que não teria mais opção.


arrow the dragon


Mais importante ainda, Diggle resolve contar a verdade para o resto do Team Arrow também. Eu não estava esperando que a verdade fosse revelada agora, achei que iam esperar até o meio da temporada, e também achei que todos fossem receber a notícia com mais julgamento, mas não, todo mundo aceita. Me surpreendi que Arrow não usou isso para criar um conflito e agora estou curiosa, porque sabemos que VAI ter um conflito interno entre o Team Arrow, então me pergunto o que vai causar a briga se não é isso.

Rene perdoa Digg facilmente por ter levado um tiro, o que eu achei ótimo que Diggle tenha contado, e Curtis se oferece para tentar criar uma cura para Diggle (o que é muito bem pensado, já que é algo motor assim como a paralisia da Felicity, e o Curtis conseguiu resolver isso). Dinah já sabia sobre a maior parte disso, tirando a questão das drogas, mas também não fica muito chocada. Diggle promete que eles não vão ter mais segredos entre eles, o que é irônico porque agora é a Dinah que está guardando segredos.

Agora só a Felicity e o Oliver não sabem a verdade. Oliver voltou para casa, encontrando a Felicity com o William (por favor, me mostrem um diálogo entre os dois pelo menos, eu imploro), e estavam muito ocupados sendo fofinhos juntos. Espero que vejamos os dois recebendo as notícias, porque imagino que o Oliver não vai reagir tão bem assim. Também vimos Oliver contar para a Felicity que chegou a conclusão que não ser o Green Arrow era mesmo a melhor decisão que ele tinha tomado, então se a situação do Diggle o fizer voltar, acredito que vai ser ruim para o Oliver.

Além disso, quero muito que eles me deem alguma cena entre Diggle e Felicity. Eles colocaram a Dinah nessa função de amiga para o Diggle, mas parece que esqueceram que ele e a Felicity são amigos de longa data, acho que eles merecem ter cenas juntos.

O Melhor:
+ Lyla! Sempre
+ Felicity e William
+ Olicity fofos no final
+ Diggle contando a verdade para todos

O Pior:
- Oliver mencionando o William na frente do Joe, que descuido idiota
- Perda de tempo com flashbacks do Slade
- Parem de ignorar a amizade entre Felicity e Diggle!!

Nota: 7,5

Flávia Crossetti - Estudante de psicologia, carioca, feminista, leitora compulsiva, pseudo-escritora e viciada em mais séries do que deveria.


quarta-feira, 15 de novembro de 2017

Review: The Flash 4x06 - "When Harry met Harry..."

Atenção: a resenha abaixo contém spoilers do episódio "When Harry met Harry...", exibido no dia 14/11/17.

ralph dibny 4x06

Mais uma semana de Flash, e vemos Ralph Dibny se adaptar à vida de herói, com Barry precisando ensinar grandes lições a ele sobre como salvar as pessoas é mais importante do que simplesmente prender vilões. Não sei qual é o plano dos escritores em relação a Ralph, mas espero que exista um, porque até o momento eu não só não entendo seu propósito na série, mas ele me irrita ao extremo. Tudo bem, todos cometem erros e teoricamente poderia ser interessante ver uma pessoa aprendendo a ser herói, mas só na teoria mesmo, porque na prática ele é um personagem com muito pouco carisma. Colocá-lo sendo um babaca e com um uniforme feioso não ajuda em nada, então espero que o objetivo seja que eu não goste muito dele, porque é isso que está acontecendo.

Mas pelo menos o Ralph pode ajudar a completar o quebra cabeça de quem estava no ônibus com ele e virou metahuman. Ralph não consegue lembrar de muita coisa, mas depois que o levam para uma sessão de hipnose, ele se lembra um pouco de uma mulher com um símbolo indígena. Coincidentemente, porque essa série é assim, logo depois um artefato indígena é roubado, deixando um morto no caminho.
Logo é revelado que a nova metahuman é Mina Chayton, sob o codinome Black Bison (Bisão Negro), uma ex-professora de antropologia, nativa-americana e ativista. Ela queria recuperar artefatos sagrados do povo dela que estavam em museus e coleções privadas de forma desrespeitosa.  Fiquei um pouco desconfortável com The Flash lidando com um assunto desses, porque ao colocar Chayton assassinando pessoas para conseguir o que queria coloca-a automaticamente no lado do “mal”, quando o que ela quer é algo completamente justo. Pelo menos a série consegue colocar um pouco dessa dualidade ao final do episódio, quando depois de prenderem Mina, Ralph devolve os artefatos para a família dela ao invés de entregar para a polícia, mostrando que essa era a coisa certa a se fazer afinal.
Capturá-la não muito complicado, o episódio em si foca mais na questão de salvar as pessoas, com Ralph cometendo um erro que leva a uma criança se machucar e aprendendo com isso. Um clássico episódio sem muito enredo.

harrison wells 4x06


Enquanto tudo isso acontece, Harry tenta solucionar o mistério de quem é Devoe. Para isso, ele pede a ajuda de seus novos amigos: outras versões dele mesmo. The Flash parece achar que esse é o ápice do humor, já que essa é tipo a terceira vez que nós vemos Harrison Wells diferentes, cada um mais estranho que o outro. Eu só reviro meus olhos mesmo.

Harry tenta trabalhar com as outras versões dele mesmo, já que ele acredita que ele é uma das pessoas mais inteligentes do planeta, então é claro que todos juntos conseguiriam chegar a um resultado. Não dá muito certo, principalmente porque ele é bem irritante, em todos universos, e acaba se irritando com ele mesmo. Não é tão surpreendente assim para falar a verdade. É preciso que o Cisco apareça e interfira, identificando ali uma baixa autoestima que fazia com que Harry não conseguisse lidar bem com os outros.

Depois que percebe isso e vê que todos eles tinham boas intenções no final, Harry consegue reunir todos os outros de maneira mais amigável e juntos eles conseguem se entender e arranjar uma forma de selecionar os perfis mais prováveis. Eles chegam até Clifford Devoe, que parece ser o Devoe mais indicado para um super-vilão, e nós sabemos pelas cenas com o Pensador que seria ele mesmo.

Barry e o resto da equipe toda se juntam pra ir confrontar o Devoe, só para que a secretária/esposa (ela é esposa dele mesmo?) abra a porta com um vestido florido e uma cara fofa, chamando o Devoe que é só um cara em uma cadeira de rodas. Eles moram em uma casinha normal e parecem bem inofensivos, o que é claro faz com que eles acreditem que eles são boas pessoas.

Esse pessoal precisa aprender que nem todo vilão tem cara de mal, principalmente se ele for esperto. E não faz diferença nenhuma que o cara esteja em uma cadeira de rodas, nesse episódio mesmo vimos que a Chayton trazia objetos à vida, ela não precisava se mexer para matar ninguém. E, como nós bem sabemos, o poder de Devoe está todo no cérebro dele, calculando todas as possibilidades antes mesmo de elas acontecerem.

Espero que o Team Flash não seja idiota o bastante para desconsiderá-lo só por isso, mas não tenho muitas esperanças. Quero saber mesmo é como eles vão fazer o Barry derrotá-lo, porque imagino que ele vá ter que pensar muito fora da caixinha e agir de forma tão surpreendente que Devoe não consiga prever, e isso mesmo que vai ser interessante.

O Melhor:
+ Gosto muito do Devoe como vilão
+ Ralph devolvendo os artefatos para os verdadeiros donos
+ O título do episódio. Chegamos a esse nível.

O Pior:
- Ralph me irrita
- Aquele uniforme dele realmente foi horrível
- Os vários Harrys
- Achei bem tedioso

Nota: 6,0

Flávia Crossetti - Estudante de psicologia, carioca, feminista, leitora compulsiva, pseudo-escritora e viciada em mais séries do que deveria.


Review: Supergirl 3x06 - "Midvale"

Atenção: A resenha abaixo contém spoilers do episódio "Midvale", exibido no dia 13/11/2017! 

supergirl 3x06

Com toda a montanha-russa emocional que Alex está passando, precisávamos de um descanso. Para isso, fomos para Midvale olhar para o mar e as estrelas enquanto relembrávamos o passado.

O episódio dessa semana foi bem diferente do nosso normal. Foi mais introspectivo, no qual a maior parte foi dedicada à infância de Alex e Kara em Midvale. Gostei desse novo formato, apesar de ter sentido falta de mais interações das irmãs no presente.

Kara tenta ajudar a irmã ao levá-la para passar o fim de semana na casa da mãe. O objetivo era deixá-la longe da própria casa, que traria muitas memórias de Maggie. Fazê-la descansar e quem sabe até conversar mais sobre o assunto. Infelizmente, a viagem já começa no pé esquerdo.

Alex acaba jogando na cara de Kara que estava sendo um pouco hipócrita. Afinal, Kara só se abriu só seis meses depois que Mon-El foi embora, então Alex tinha carta branca para sofrer o quanto quisesse. Apesar da briga, faz bastante sentido o que Alex disse. No entanto, sabemos que todos nós somos contraditórios às vezes.

Por mais que tenha se fechado tanto, Kara provavelmente percebeu que isso não a fez bem e só queria que a irmã não sofresse o mesmo. Estar ali para quando ela precisasse falar já é tudo que precisa fazer. No dia seguinte, é claro, dito e feito. Alex percebe que foi meio insensível e as irmãs estão bem novamente.

supergirl 3x06

Durante a noite, no entanto, nós é que conhecemos ainda mais as duas. Viajamos para dez anos atrás e conhecemos Alex e Kara mais crescidos do que havíamos visto. Podíamos até ter achado que as duas já estavam se dando bem à essa altura do campeonato, mas a adolescência e a perda de Jeremiah deixam tudo à flor da pele.

Enquanto Kara é meio solitária e tem um único amigo, Alex é a menina popular. Kara ainda tem problemas para se adaptar com o fato de ser humana, principalmente quando não tem estímulos para aprender na escola e não consegue ter o senso de família. Já Alex culpa um pouco Kara por tudo de errado que aconteceu na sua vida: suas responsabilidades como irmã terráquea só crescem e seu pai não está mais ali.

No entanto, quando o amigo de Kara, Kenny, aparece morto na floresta, as irmãs finalmente se unem de verdade. Kenny também era amigo de Alex e a ajudava com a escola, e, por força das circunstâncias, elas acabam no mesmo lugar tentando desvendar o que aconteceu com o garoto.

Assim, Supergirl se torna quase Veronica Mars por um episódio, só que menos complexo. Passamos o 3x06 inteiro acompanhando como Alex e Kara desvendam alguns segredos da cidade. Aliás, era exatamente isso que Kenny era: um guardião de segredos.

Com seu telescópio, Kenny sabia de muita coisa que não deveria e exatamente por isso que é morto. Ao longo do caminho, Kara e Alex descobrem que um atleta da escola fuma maconha e um professor pedófilo até que chegam ao mistério final. Kenny descobre que o xerife está contrabandeando drogas e sofre as consequências.

Assim como Kenny, Kara e Alex correm perigo algumas vezes durante o episódio, o que faz Kara enfrentar seus poderes. Ela quer usá-los para ajudar as pessoas, mas sua mãe e o governo não acham que ela deve se expôr desse jeito. Eu sei, eu sei, estavam tentando ensiná-la algo, mas ela teve que usar os poderes se não Alex estaria morta faz tempo.

supergirl 3x06

Tentam convencê-la a ponto do J'onn se disfarçar como a mãe biológica de Kara para conversar com ela. Minha dúvida é: como J'onn sabia como era a mãe de Kara? Achei que aquele holograma dela tinha sido descoberto depois. Bom, de qualquer forma, foi uma ótima surpresa vê-lo ali no flashback ajudando as garotas.

A conversa com a agente de FBI idêntica à sua mãe biológica surtiu efeito em Kara e, apesar de usar seus poderes uma última vez para solucionarem o caso, ela realmente se compromete a ser o mais humana possível.

A verdade é que acho que Kara sempre sentirá esse conflito entre ser humana ou não. Ela lembra de Krypton e de sua primeira família, o que torna bem difícil essa adaptação, mas é no momento que  finalmente se conecta com Alex que acho que ela encontra uma família de novo.

A história do episódio mostra como, também, Alex consegue encontrar o apoio que faltava com a ausência do pai. Ela percebe que tem alguém que sempre poderá a proteger e que vai estar ali mesmo quando seus pais não estiverem. Quando elas percebem o significado de ter um irmão, elas se entendem de uma vez.

Apesar de não termos a aventura e ação típica dos episódios, "Midvale" nos mostrou mais uma vez a força que a amizade entre Kara e Alex têm, e como, mesmo não sendo constante, sempre esteve ali.


O melhor
Conhecer mais da história de Alex e Kara é sempre bom.
Kenny sabia a verdade sobre a Kara.
J'onn tentando ajudar no flashback.
Eliza pede que Kara confronte seus sentimentos dando indiretas bem diretas.

O pior
Queria que Alex e Kara tivessem conversado mais no presente.
J'onn sabia como era a mãe da Kara, hmm.

Nota 8,0

Mariana Oliveira Sou Publicitária, Beatlemaniaca e Coldplayer. Toco piano e praticamente vivo de séries e livros. Acho que começo uma série nova toda semana. 

domingo, 12 de novembro de 2017

Review: Arrow 6x05 - "Deathstroke Returns"

Atenção: a resenha abaixo contém spoilers de "Deathstroke Returns", exibido no dia 9/11/17.

arrow deathstroke returns

Slade ajudou Oliver a encontrar William na temporada passada em troca de informações sobre seu filho, seis meses depois ele agora resolve pedir para o Oliver uma ajudinha a mais em relação a esse tal filho. Honestamente, não dou a mínima para o Slade, mesmo na primeira temporada em sua era pré-Mirakuru ele não era um personagem que me interessava; agora, ele me interessa ainda menos. Não sei o que o Oliver ainda está fazendo o ajudando, afinal a promessa era apenas entregar informação sobre o filho, nada mais, Oliver já fez isso, agora se vira Slade. Nada a ver ficar ajudando o assassino da sua mãe.

Mas Oliver é uma pessoa super leal, então ele sente que deve ajudar Slade a encontrar o filho já que Slade fez isso por ele (mais ou menos). Oliver fica em dúvida se deveria ou não ir, até porque ele tinha prometido para o William que ia “sair dessa vida” e tudo mais, mas Felicity o encoraja a ajudar e a contar para o William também. Incrível esse conceito de comunicação que Arrow está aplicando pela primeira vez em seis anos, até me emociono.

Slade promete que na verdade Oliver não ia precisar fazer nada de vigilante, ele só queria utilizar seu poder político. Joe Wilson, que mudou seu nome para Kane Wolfman, seguiu os passos do pai, tanto ao virar um espião para a Austrália quanto ao virar um vilão logo depois. Ele tinha ido até o país fictício de Kasnia atrás de uma organização, os Jackals. Joe acabou sendo preso, só para depois ser sequestrado pelos Jackals.

Slade utiliza Oliver para poder chegar na prisão e descobrir tudo isso, depois chega até mesmo a drogar Oliver para poder ir sozinho atrás dos Jackals para descobrir o que estava acontecendo. Tudo isso só para descobrir, no final, que o líder dessa organização é o próprio Joe. Não sei porque ele ficou surpreso, sendo quem ele é. Agora, pelo flashback, já deu para ver que Joe e Slade não tinham a melhor relação, então não acredito que essa reunião pai e filho vai ser muito boa. Slade conseguiu alguma reputação quando ele estava com o mirakuru, então pode ser que Joe queira alguma coisa dele, mas provavelmente não vai ser passar um tempo recuperando o tempo perdido.

Oliver, depois de fazer sua parte indo lá na prisão e ser drogado, já estava pronto para voltar para casa, quando conversa com William no telefone e William pergunta se não tinha mais nada que ele pudesse fazer, o que desperta a culpa no Oliver por ir embora sem ajudar tanto quanto poderia. E é então que o Oliver vai atrás de Slade, ficando ali escondido e ouvindo tudo, mas não se revelando. Agora só espero que ele não use flechas para isso, porque ele já está sendo investigado pelo FBI e nada mais suspeito que o Oliver ir para Kasnia publicamente e depois alguém ser visto usando flechas no outro país. Presta atenção, Oliver.

arrow 6x05


Slade não é o único vilão que está de volta nesse episódio, Vigilante também resolveu aparecer, em uma das revelações mais decepcionantes da série. Tenho quase certeza que temporada passada os escritores tinham algum outro plano que não deu certo e por algum motivo eles tiveram que mudar (minha hipótese era que eles queriam trazer o Tommy de volta em alguma capacidade, mas o Colin – o ator – não teve disponibilidade e eles precisaram mudar), porque lembro que há algum tempo o Marc Guggeinheim disse que quando vigilante tirasse a máscara, nós saberíamos quem ele era. Bom, ele tirou a máscara nesse episódio e minha reação foi “E quem é esse?!”.

A revelação vem logo por meio da Dinah, que conta para o resto do povo que aquele é o ex-namorado/parceiro dela. Sim, aquele que foi assassinado bem durante a explosão do acelerador de partículas, quando a Dinah ganhou os poderes dela. Aparentemente, ele ganhou um poder ou de regeneração ou de uma pele impenetrável, não tenho muita certeza, mas de qualquer forma, não só ele não foi morto daquela vez, mas também não parece muito que consegue ser morto agora, porque mais uma vez dão um tiro bem no rosto dele e nada acontece.

Dinah fica bem abalada com tudo isso, afinal ela antes de se juntar ao Team Arrow tinha ficado toda louca tentando vingar sua morte e esse tempo todo ele não estava nem morto, e nem teve a cortesia de avisá-la. Aliás, ele já tinha batalhado com ela antes, ou seja, já sabia quem a Dinah era e não revelou a própria identidade antes (aliás, teve zero indicação que eles se conheciam, o que só sugere ainda mais que os escritores não planejavam que fosse ele). Vigilante – juro que já esqueci o nome dele – fala sobre como eles não estavam conseguindo realizar nada como policiais, por isso que ele é um vigilante agora, e mesmo que a Dinah quisesse argumentar, considerando que ela também é uma vigilante, não tem muito o que dizer, né.

A questão do Vigilante é que ele utiliza métodos muito mais agressivos, o que o Team Arrow não gosta muito. Convenhamos que o Oliver também era bem assim na primeira temporada, então não acho que devíamos julgar muito. Diggle concorda e resolve que eles deveriam ajudar o Vigilante, a única questão é que não acho que ele queira a ajuda.

Mesmo que seja meio decepcionante que o Vigilante seja alguém que a gente não conhecia antes, ao contrário do que os escritores tinham dito, esse enredo gera boas possibilidades para a história da Dinah. Vamos ver!

arrow samanda watson


Além de tudo isso, a investigação do FBI continua com tudo. Apesar do Oliver estar literalmente em outro país, Samanda Watson continua investigando todo mundo, mostrando que ela está muito mais perto da verdade do que qualquer um dos outros detetives de antes.

Logo no início do episódio, ela vai questionar Diggle, vendo que ele está em uma cena do crime que ele não deveria estar, afinal ele trabalha como segurança para o Oliver (ele trabalha mesmo? Obrigada por finalmente responderem essa pergunta! Mas considerando que nem a Felicity ou o Curtis sabiam disso, acho que é mais só um trabalho no papel mesmo). Diggle ainda piora a situação ao dizer que era sniper no exército, o que aparentemente a Samanda pode descobrir se é verdade ou não.

Além do Digg, ela também entrevista a Felicity, em uma entrevista tão curta que nem fez sentido, em que ela só perguntou se a Felicity estava disposta a testemunhar que era o álibi do Oliver. Mas pelo menos serve para mostrar que ela está prestando atenção na Felicity, o que eu acho que ainda vai dar problemas no futuro. E, por fim, Samanda ainda chama Rene para uma conversa também. Só falta o Curtis e a Dinah.

Vi algumas pessoas questionando se a Samanda teria outros motivos para ir atrás do Oliver/Green Arrow que não seja só cumprir a lei. Até o momento, eu acho que ela só está fazendo o trabalho dela mesmo, mas vou ficar atenta para qualquer dica de outra motivação. Só acho que, independentemente do porquê, com certeza ela vai prender pelo menos uma pessoa até o final dessa temporada.

O Melhor:
+ William ligando para o Oliver
+ Possibilidades de enredo para a Dinah
+ Samanda Watson está me deixando nervosa e acho que esse é o objetivo

O Pior:
- Revelação do Vigilante super decepcionante
- Slade zzzzzzzzzzzz

Nota: 7,0

Flávia Crossetti - Estudante de psicologia, carioca, feminista, leitora compulsiva, pseudo-escritora e viciada em mais séries do que deveria.


Review: Once Upon a Time 7x06 - "Wake Up Call"

Atenção: A resenha abaixo contém spoilers do episódio "Wake Up Call", exibido no dia 10/11/2017! 

once upon a time 7x06

Once Upon a Time finalmente voltou! O episódio nos trouxe muitos reencontros e agora sim as coisas começaram a andar. O foco? Regina/Roni. Acompanhamos seu desenvolvimento nos flashbacks e em Hyperion Heights.

A revelação da foto de Henry e Regina na cena final do 7x05 mexeu com muitas coisas. Claro que, nem Roni ou Henry, acreditam à princípio. Photoshop está aí para isso. No entanto, a foto levou Roni a acompanhar Lucy em sua jornada em fazer todos acreditarem na maldição.

A ideia era simples: se Lucy achar que Roni acredita, ela pode viver mais tranquila. Não acho que fosse um plano funcional, mas isso faz com que Lucy tivesse algumas boas cenas com a avó. Roni ajuda a garota a acreditar e chega a pedir para Weaver (que voltou do hospital e ainda não deu indícios de ter lembrado mesmo que é Rumple ou não) provas de que Regina existiu.

Eu nem sabia que haveria como conseguirem provas, ainda mais numa maldição, mas se Rumple as criou ou elas realmente existem é meio irrelevante. O fato é que fica bem claro para Roni que as coincidências são estranhas demais para não serem verdade.

once upon a time 7x06

Isso se conecta com os flashbacks do episódio. Apesar de estar feliz de ver Henry crescido e apaixonado, Regina sabe que o filho não precisa dela e tenta ter suas próprias aventuras. Essa vontade acaba fazendo, no entanto, que ela transfira seus sentimentos maternos para Drizella.

Sim, isso mesmo. As duas se encontram novamente e, apesar do pequeno detalhe que Drizella tentou matar o Henry, elas desenvolvem uma espécie de amizade. Descobrimos assim que Drizella tem uma mágica adormecida, mas Tremaine sempre foi contra.

Drizella quer sair do controle da mãe e Regina decide ser uma influência positiva na vida da garota ajudando-a a usar seus poderes. Infelizmente, apesar das semelhanças com a tutora, Drizella escolhe a vingança que nem a jovem e teimosa Regina.

No meio disso tudo, temos a feliz coincidência de Rumple encontrar Regina finalmente. Devo admitir que foi bem fofo ver o reencontro e o quanto Regina estava feliz em vê-lo. Apesar de Regina ter o criticado com razão como professor, ela percebe as mudanças no velho amigo e descobre a vida que Rumple viveu com Belle com essa passagem de tempo esquisita.

É com uma pequena ajuda dele que Regina percebe que, por mais que queira acreditar em Drizella, ela deve ver que a Tremaine não deixaria a filha escapar tão fácil sem ter um plano escondido. Foi interessante ver o quanto Drizella e Regina têm em comum. Quem sabe a diferença seja a capacidade de redenção de Regina?

once upon a time 7x06

Vemos assim o surgimento da vilã. Drizella vai atrás da mãe e, apesar dos impedimentos de Regina, acaba matando o príncipe com quem estava noiva para tornar seu coração impossível de ser usado para reviver Anastácia. E mais, decide seguir o oposto do conselho de Regina e criar uma maldição para acabar com a mãe.

O paralelo nos leva à Hyperion Heights novamente, já que Ivy decide finalmente abordar Regina com a verdade na cena mais destroçadora de corações da temporada. Foi lindo saber que Regina finalmente lembrou de tudo e começou a sentir todos os sentimentos que já tinha por Henry e Lucy em tão pouco tempo se tornarem reais.

Infelizmente, a felicidade da revelação dura muito pouco porque Drizella/Ivy destorceu os ensinamentos de Regina para criar uma maldição cheia de armadilhas. Uma delas é que Regina não pode quebrar a maldição sem fazer mal às pessoas que ama. Essa armadilha misteriosa deve ser bem ruim porque Regina sofre bastante ao lembrar de tudo que aconteceu e não sabemos ainda.

O episódio duplo da semana que vem me diz que devemos ter várias revelações e estou ansiosa. Vamos focar na história do Hook 2.0 e Regina ainda deve confrontar Weaver/Rumple. Só espero que ele realmente se lembre e eles começam a trabalhar juntos para já.

Por falar no Hook, ele continua a fazer pequenos avanços no caso da menina desaparecida. Por pequenos, quero dizer quase zero, mas o importante é que ele ganha uma nova aliada: Tilly/Alice. Já li várias teorias e para mim está bem claro que a menina desaparecida é a Tilly, ou seja, ela é a filha dele. Um dos indícios é a forte conexão dela com xadrez, dado o fato que esse era o principal passatempo de Hook 2.0 e sua filha.

once upon a time 7x06

Além disso, o episódio desenvolve um pouco mais o relacionamento entre Henry e Jacinda. Com a ajuda de Roni, Henry resolve se declarar para Jacinda. Apesar de sempre se darem bem, ela começou a se afastar dele depois de descobrir que ele e Ivy tomaram uns drinques juntos e Henry queria mudar isso.

Assim, Henry decide ajudar Jacinda nas reformas do foodtruck recém-adquirido de Jacinda e Sabine. Foi fofo ver Henry todo animado e nerd tentando falar sobre seus sentimentos e, bom, funcionou. O problema disso tudo é que, apesar do episódio nos fazer acreditar que eles finalmente ficarão juntos, Ivy deixa bem claro que Regina precisa impedir a quebra da maldição, o que significa nada de beijo de amor verdadeiro para o casal por enquanto.


O melhor
Regina maravilhosa.
Ivy está se tornando uma vilã e tanto. Estou impressionada e arrasada.
Henry se declarando para Jacinda.
Foco do episódio na Regina é sempre bom.
Lucy toda animada descobrindo que Roni era Regina.

O pior
Odeio como Drizella deturpou os ensinamentos de Regina. Parem de fazer minha Regina sofrer.
Sério que Lucy não falou nada sobre Roni ser sua avó??

Nota 9,5

Mariana Oliveira Sou Publicitária, Beatlemaniaca e Coldplayer. Toco piano e praticamente vivo de séries e livros. Acho que começo uma série nova toda semana. 

quarta-feira, 8 de novembro de 2017

Review: The Flash 4x05 - "Girls Night Out"

Atenção: a resenha abaixo contém spoilers do episódio "Girls Night Out", exibido no dia 07/11/17.

the flash girls night out

Barry e Iris vão se casar no final do mês e chegou o momento do clássico episódio de despedida de solteiro, que é claro que não podia faltar. Dessa vez, a ação fica por conta das mulheres da série, nos presenteando com um episódio bem merecido centrado na amizade entre as personagens femininas. Só demorou quatro anos.

Para ajudar a celebrar a despedida de solteira de Iris, Felicity veio diretamente de Arrow, o que já torna o episódio acima da média por natureza (desculpa, Flash, mas amo a Felicity). Juntas, Iris, Felicity, Caitlin e Cecile saem para um jantar tranquilo, porque afinal a vida delas já é muito agitada e Cecile está grávida, então nada de virar a noite em uma festa louca. Tudo muito bom, tirando que ninguém lembrou de avisar os vilões que aquela é a noite de folga deles e que não era para atrapalhar.
 
Elas não conseguem nem pedir a entrada que já chega aquele moço com olho de vidro – o que brigou com a Caitlin há alguns episódios, seja lá o nome dele – dando o recado que a chefe quer Caitlin de volta, e não vai aceitar não como resposta. É aí que começa a briga, o moço revela que o olho de vidro é para esconder o filhote de Demogorgon que tem atrás do olho dele. Felicity e Iris tentam bater nele com cadeiras, mas no final Caitlin acaba se transformando em Killer Frost mais uma vez, como vimos que acontece quando ela está em perigo, e lutando ela mesma.

E o segredo dela é revelado. Temos alguns momentos de tensão pela Caitlin ser revelada como Killer Frost, o que aparentemente a Felicity e a Cecile nem estavam sabendo. Cecile, presta atenção também, né, é só a Caitlin com uma peruca e batom azul, dá para reconhecer. Felicity está desculpada porque nunca viu a Killer Frost antes e mora em outra cidade. Fica um clima um pouco estranho, mas no final elas todas precisam trabalhar juntas, porque Caitlin/Frost vai atrás de sua chefe, Amunet, uma metahuman que controla metais e além disso também é chefe do tráfico pelo o que parece.

Amunet quer que Killer Frost trabalhe com ela como segurança pessoal/capanga, já que ela recentemente adquiriu um novo produto, o que pode deixá-la em perigo. Caitlin, mesmo como Killer Frost, não está interessada nisso, o que acaba gerando uma certa briga. Mesmo com Caitlin mudando de ideia depois quando íris e Felicity ficam em perigo, é tarde demais e Amunet resolve matar todos.

the flash killer frost 4x05


É claro que tudo dá certo e com as quatro trabalhando juntas elas conseguem vencer Amunet, mas isso é o de menos. O mais importante é finalmente vermos um pouco mais da Caitlin e finalmente levantar questões como por que exatamente não estamos confiando na Killer Frost quando ela é a Caitlin?

Eu sei que reclamo disso nas minhas resenhas desde a primeira vez que a Killer Frost apareceu, mas não entendo por que exatamente a Caitlin mudaria de personalidade com os poderes dela quando isso não parece acontecer com mais ninguém. Isso sempre me irrita e, tudo bem, eles não podem voltar atrás agora e fingir que não tem uma dissociação de personalidade aí, mas eu acredito que esse episódio tenha sido o primeiro passo para estabelecer as duas como a mesma pessoa. Sim, ela muda um pouco de personalidade, mas dessa vez mesmo vemos a Caitlin, ainda como Killer Frost, interagindo com as outras personalidades sem atacar ninguém, talvez apenas com um humor mais ácido do que a Caitlin normalmente tem.

Ao final do episódio, Caitlin também tem a oportunidade de matar Amunet, finalmente acabando com o perigo que ela representa. Mas Iris aparece e diz para ela não fazer isso, já que apesar do nome a Caitlin não tinha em momento algum realmente matado alguém, e isso seria algo que ela não conseguiria se perdoar. Achei que foi legal porque mostrou que a Killer Frost tem um controle sim sobre as próprias ações, e porque se ela tivesse matado ia acontecer uma cisão ainda maior das personalidades, que é o oposto do que eu quero que aconteça, porque esse enredo já rolou temporada passada e já estou cansada dele.

Além disso tudo, tivemos a possibilidade de finalmente vermos Iris e Caitlin interagindo. Gostei de ver a admissão que elas não são amigas, porque SIM, elas não são e mal interagem durante os episódios para falar a verdade, o máximo que fazem é realmente trocar algumas falas durante uma missão e olhe lá! Eu espero que isso também tenha sido uma percepção dos escritores e que agora eles resolvam trabalhar para mudar isso e mostrar, porque não adianta nada ficar só subentendido que elas ficaram amigas off-screen e a gente não ver nada na série.

No final do episódio, vemos Iris chamando Caitlin para ser madrinha (uma “madrinha de honra”, que é como se fosse a madrinha mais importante, o que nós não temos aqui no Brasil, que eu saiba, mas tem lá), o que foi bem fofo e uma tentativa de se tornarem mais amigas. Por mais fofo que seja, é um pouco triste se você parar para pensar que isso significa que a Iris não tem nenhuma outra amiga. Tudo bem que é difícil arranjar amigas com todos esses segredos de super-heróis, mas não deixa de ser meio deprimente.
the flash 4x05



Enquanto isso tudo acontece, Barry, Cisco, Joe e Harry participam da despedida de solteira do Barry. Eles também começam indo pela mesma linha das meninas da noite tranquila, vendo uns vídeos fofos da infância do Barry, na própria casa dele, para depois verem um filme. Algo bem caseiro mesmo. Até que chega Dibny, o mais novo e irritante membro do Team Flash, que apareceu mesmo não sendo convidado e resolveu mudar tudo, levando todos para um clube de strippers.

Essa parte do episódio serviu muito mais só para alívio cômico, já que a ação mesmo ficou por conta das personagens femininas dessa vez. Cisco faz uma bebida especial para Barry, que possibilita que ele fique bêbado, e essa foi de fato a parte mais engraçada do episódio. Barry fica bem bêbado, o que o faz anunciar para todos que ele é o Flash – não que isso apresente muito perigo, porque ninguém acredita devido ao estado dele – e ainda se emocionar com questões existenciais muito relevantes, como por que a Rose não deixou com que Jack subisse na porta se cabia os dois, em Titanic? Eu sei, Barry, todos já se perguntaram isso em algum momento da vida.

Infelizmente, The Flash não sabe quando parar e não deixa o humor apenas por isso, e resolve continuar fazendo Dibny ser engraçado. Só que ele só me irrita mesmo. Ele rouba das strippers – sério, quem rouba de strippers?! Você está ali para pagar – e acaba começando uma briga, o que faz com que todos sejam expulsos. Blá blá blá. Coisa bem chata, ninguém liga pro Dibny.

Mas a visita ao clube de strippers tem mais revelações, com Joe encontrando a filha da Cecile lá, que diz estar trabalhando para ter toda a experiência da vivência feminina para poder escrever seu livro. Justo, mas além de chamar atenção para como uma mulher deve ser respeitada independentemente da roupa, que tal analisar o ambiente mais criticamente e perceber que esse é um lugar literalmente criado para objetivar mulheres e que, além disso, estar ali é um grande risco, porque strippers/prostitutas estão tem muito mais chances de serem vítimas de violência física e sexual. Se vamos utilizar feminismo como hashtag, faça direito, Flash.

Bom, Joe conversa com ela, aconselhando-a a conversar com a mãe, o que também serve para o Joe pensar na própria paternidade, já que ele vai ser pai de um bebê novamente. No final, foi fofinho e eu gosto desses momentos família.

O Melhor:
+ Felicity aparecendo.
+ Foco nas relações femininas!
+ Caitlin e Iris admitindo que são só colegas de trabalho e não amigas, e trabalhando para ficarem mais próximas.
+ Caitlin/Killer Frost mais integradas
+ Barry bêbado
+ Joe/Cecile continua bem fofo
+ Aquele metahuman que foi sequestrado e depois fugiu, gostei da introdução. Esperarei para ver onde isso vai chegar.

O Pior:
- Ainda estou esperando o Dibny ser útil para o enredo.
- Me irrita as pessoas não reconhecerem a Caitlin só porque ela está com o cabelo diferente
- Uma cena que foi cortada, mas que apareceu no sneak peek, em que mais uma vez eles fazem uma comparação do Dibny com o Oliver que não faz sentido????? O que esse pessoal andou usando, eles não se parecem nem um pouco. Achei ofensivo, meu filho Oliver não fez nada para merecer essa comparação.

Nota: 9,0

Flávia Crossetti - Estudante de psicologia, carioca, feminista, leitora compulsiva, pseudo-escritora e viciada em mais séries do que deveria.


terça-feira, 7 de novembro de 2017

Review: Supergirl 3x05 - "Damage"

Atenção: A resenha abaixo contém spoilers do episódio "Damage", exibido no dia 06/11/2017! 

supergirl 3x05

Precisamos falar de Sanvers. Aconteceu, galera. Eu tentei manter a esperança, talvez os escritores fizessem o casal resolver esse problema. Maggie poderia descobrir uma vontade materna, quem sabe. Mas não rolou. No entanto, cada uma sabe muito bem o que quer no futuro e não tem problema. Mas é triste. Bem triste.

Uma palavra para definir esse enredo? Agridoce. A situação mexe bastante com as duas, mas fica claro que elas ainda se amam muito. Foi uma separação diferente do que estamos acostumados nos filmes e séries, eu acho. Aí estão duas pessoas que se amam, mas precisam seguir caminhos diferentes.

Elas se tratam com tanto carinho e tristeza. Não vou enganar, doeu vê-las assim. Ainda vou precisar de um tempo para aceitar essa decisão dos escritores, mas admito que o episódio se deu o máximo para honrar as duas. O relacionamento delas foi bastante importante para as duas. Alex conseguiu se encontrar e ser feliz verdadeiramente, enquanto Maggie lidou com seu passado e cresceu.

Alex menciona o quanto estava exaustivo elas conversarem sobre o assunto. Apesar de não termos visto tanto isso, achei interessante elas terem debatido tanto. É importante que tenha sido algo que elas resolveram em conjunto. Por mais que Maggie achasse que era o suficiente, Alex sabia que querer um/a filho/a era parte dela.

Claro que, quando se torna oficial, Alex fica bem mal e pede a ajuda de Kara. É assim que Kara decide levar a irmã para casa, para ela poder se afastar um pouco de tudo e se curar um pouco. Só nos resta acompanhar Alex nessa jornada. (Será que veremos Maggie de novo?)

supergirl 3x05

Enquanto Sanvers está lidando com esse emaranhado de sentimentos, Lena está enfrentando os próprios. Adorei que tivemos um episódio focado nela, ainda mais quando é sobre repercussões da season finale.

Lembra da bomba que a Lena criou para matar todos os daxamites? Pois é, Morgan Edge começa a levantar suspeitas de que isso tenha envenenado várias crianças da cidade. Todos sabemos que o empresário não é flor que se cheire, mas isso faz Lena duvidar bastante de si mesma.

Lena sofre uma tentado, tem que lidar com pais enfurecidos e a coisa só piora. Ser uma pessoa boa sempre foi muito importante para Lena, ainda mais com a família que tem, então é de se imaginar que a situação tenha a afetada profundamente. Gostei que puderam explorar isso, ainda mais com tantas pessoas apoiando e acreditando em Lena.

Ela se sente culpada e desiste no meio do caminho. Kara, é claro, não é facilmente convencida pelas coisas e, junto com Samantha, resolve investigar mais a fundo o caso. As duas são quase detetives policiais, com direito a histórico bancário dos pais das vítimas e tudo.

No fim, o vilão mostra que realmente não está para brincadeira. Edge é não só a pessoa irritante que levanta a suspeita quanto a Lena, mas é a pessoa que envenenou crianças para provar que é melhor. E vai além. Ele prende Lena em um avião cheio de químicos e, quando isso não dá certo, mata um cara para se acobertar.

supergirl 3x05

Eu diria que, apesar de ser um ser desprezível, Edge é um vilão bem interessante. Supergirl tem que lidar com ameaças de outro planeta o tempo todo, mas foram poucas as oportunidades que ela teve de enfrentar alguém assim. O poder corporativo é tão grande que Kara é impotente algumas vezes. Além disso, é legal que tenhamos um vilão que funcione como vilão de Lena também, já que ela é desse mesmo mundo corporativo.

Não será dessa vez que ele será vencido, infelizmente. Pelo menos a situação nos rendeu um aprofundamento em Lena e o crescimento da amizade de Samantha e Kara com ela. De bônus, Sam deu mais um passo com seus poderes ao descobrir que tem uma pele impenetrável.


O melhor
James e Lena estão começando a se dar bem, uhu!
Sam, Kara e Lena fofas como irmãs.
Crescimento de Lena.
Maggie e Alex se agradecendo.

O pior
Percebi uns erros de continuidade.
Está difícil ter casal gay que dure na CW, hein.
Sanvers </3

Nota 7,8


Mariana Oliveira Sou Publicitária, Beatlemaniaca e Coldplayer. Toco piano e praticamente vivo de séries e livros. Acho que começo uma série nova toda semana. 

 
UA-48753576-1