Image Slider

sábado, 10 de fevereiro de 2018

Review: Arrow 6x13 - "The Devil's Greatest Trick"

Atenção: a resenha abaixo contém spoilers do episódio "The Devil's Greatest Trick", exibido no dia 08/02/2018.

arrow 6x13

Mais uma semana em que o conflito OTA vs. NTA não se resolve e isso está me cansando tanto que fiquei enrolando para assistir o episódio. Chegamos naquela época da temporada em que eu já estou me perguntando quanto tempo falta para acabar, nunca é um bom momento. Mas pelo menos esse episódio chega para dar fim a um dos enredos e começar uma nova parte da temporada, o que promete ser um pouco menos tedioso.

Cayden James continua com a ameaça de destruir a cidade, agora dizendo que a explosão vai acontecer até meia noite. Oliver resolve então provar que não foi ele quem matou o filho de Cayden. Com a ajuda de Alena, que eu não faço a mínima ideia de por que está ali pelo bunker nos últimos dois episódios já que a Felicity podia estar fazendo tudo aquilo sozinha, Oliver consegue a prova de que o vídeo tinha sido editado, descobrindo que quem matou o garoto foi um assassino de aluguel, que por sua vez tinha sido assassinado logo em seguida.

Oliver leva os dados para Cayden, que consegue interpretar esse vídeo e ver que estavam falando a verdade, porém também descobre uma coisa: que quem editou o vídeo era um dos outros vilões com quem ele estava trabalhando. Ou seja, a pessoa que mandou matar o filho de Cayden é a Black Siren, o Anatoly ou o Ricardo Diaz (Dragon). Ok, quem se importa não é mesmo, eles que são vilões que se entendam entre si, nosso trabalho aqui está feito, Oliver inocentado, sem motivo para matar ninguém a não ser o culpado.

Cayden, entretanto, não parece concordar. Ele acabou perdendo os “amigos” dele, já que tinha os abandonado para morrer na explosão, e agora os três estão a solta. Como não se importa em matar um monte de gente para atingir apenas um, Cayden diz para Oliver que só vai desarmar a bomba se ele trouxer os três suspeitos para que ele possa descobrir qual é o verdadeiro culpado.

dinah black siren 6x13


Para poder alcançar todo mundo, Oliver e Digg pedem ajuda para o NTA, e eles aceitam até porque a Dinah já está louca atrás da Laurel mesmo, não faz tanta diferença. Eles vão atrás deles, blá blá blá, nada de muito interessante acontece, para falar a verdade. Dinah e Laurel lutam mais uma vez, mas o Team Arrow aparece antes que Dinah possa matá-la, o que deixa Dinah bastante irritada.

Oliver leva os três até Cayden, só para nenhum assumir a culpa e o relógio continuar rodando. Laurel até tenta dizer que foi ela, mas ninguém acredita – só a Dinah, que quer culpá-la de tudo. E isso ainda serve para que todos consigam fugir, um clássico.

O importante de tudo isso é que vemos mais uma vez Dinah e Laurel se enfrentando, só que com o Quentin aparecendo para salvar a filha que não é dele. Dinah diz que Black Siren não é a Laurel, é apenas um monstro e matou o Vince, mas Quentin não está prestes a desistir dela, porque realmente acredita que haja uma salvação. Ele só fica mais decidido depois que Cayden James não acredita que ela tenha sido a culpada por matar seu filho, dizendo que ela hesitou ao matar Vince. A própria Black Siren diz para Quentin que ele está errado, que ela não quer mudar, porque ela gosta de quem ar e acha que a Laurel dessa Terra era patética, mas Lance não está nem aí, ele acredita e acabou.

Eu não culpo Quentin por querer salvá-la. Eu não acho que Black Siren algum dia será a Laurel, por mais que ela possa até se redimir, não vai ser a mesma coisa, porém ela é o mais perto que existe da Laurel no momento. Quentin já perdeu a Sara uma vez, depois perdeu a Laurel, e a Sara foi embora e mal aparece, é claro que se existe alguma conexão com uma das filhas ele vai querer. Entendo que a Dinah queira vingança também, mas estamos falando de um namorado dela, Lance está pensando na filha, isso tem mais valor. Foi mal, Dinah, mas você perdeu nessa competição.

No fim, Dinah até consegue atirar na Laurel, mas as duas ficam inconscientes e Quentin acaba sequestrando a Laurel. Pelo o que parece, ninguém mais sabe disso, mas não deve demorar muito para descobrir.

arrow the devil's greatest trick


William ganha um pouco de destaque nesse episódio também. Ele volta de onde estava para ficar no bunker, já que deveria ser um local seguro em caso de bombas, e resolve espiar o que Oliver está fazendo. Como todo adolescente com seus 12/13 anos, William não toma as melhores decisões para sua vida e resolve ir atrás do pai, mesmo – ou principalmente – depois de Oliver dizer que a cidade está prestes a explodir e o bunker é o lugar mais seguro para ele ficar.

É fofo que o William tenha ido atrás do Oliver, porque não quer perder o pai e explosões traz lembranças da última season finale, quando a mãe dele morreu. Oliver fica mais tenso por William estar ali e tenta proteger o filho, porém não tem como sair dali sem resolver esse problema, então William fica só vendo acontecer tudo mesmo. Eu senti uma vibe mini-Arrow vendo do William, mas ainda está um pouco cedo para saber.

O bom da presença do William – além de nos dar cenas entre ele e Oliver – é que fez com que Cayden se lembrasse um pouco de seu filho. Principalmente quando parece que a bomba vai explodir e Oliver conforta o filho, Cayden se sente um pouco comovido, percebendo que ele deveria ter protegido o filho, mas não fez isso porque estava muito ocupado sendo preso. Fica aí a dica para o Oliver. Cayden acaba desistindo de explodir tudo ao ter essa percepção e depois diz inclusive que seu filho não iria querer isso.

No fim, Cayden James foi um pouco decepcionante como vilão, se arrependendo de tudo e sendo apenas um peão. Pelo menos ficamos sabendo quem estava por trás de tudo: Diaz. Ele não teve muito destaque até o momento e confesso que achei que era só mais um mafioso, mas parece que o subestimei. Ele assassina Cayden, revelando que foi ele quem mandou matar seu filho, e que agora com o Team Arrow dividido, ele pretende dominar a cidade. Vamos ver se ele será um vilão mais interessante que Cayden.


O Melhor:
+ William
+ Final do enredo do Cayden
+ Black Siren tendo personalidade e dizendo que não quer mudar

O Pior:
- Meh
- Sem paciência para o NTA, parem de ser tão ingratos
- Presença da Alena tão desnecessária

Nota: 7,5

Flávia Crossetti -  carioca, feminista, leitora compulsiva, pseudo-escritora e viciada em mais séries do que deveria.

quinta-feira, 8 de fevereiro de 2018

Review: The Flash 4x13 - "True Colors"

Atenção: a resenha abaixo contém spoilers do episódio "True Colors", exibido no dia 06/02/2018.

the flash true colors

Barry está em uma prisão feita para metahumans, sem seus poderes, mas pior do que isso, ele está prestes a ser vendido para Amunet, que tem um acordo com Wolfe, o cara da prisão. Junto com Barry, estão os metahumans feitos por Devoe no ônibus, Becky (que tem o poder de sorte), Mina (a que roubava artefatos indígenas e faz estátuas ficarem vivas), Deacon (que controla tecnologia) e Rundine (o cara do episódio passado). É claro que deixar que Amunet fique em controle não só dele, mas de todos esses outros metahumans seria algo muito ruim, então Barry precisa arranjar um jeito de sair dali antes de meia-noite, que é quando a compra será feita.

Usando apenas sua inteligência, Barry consegue rapidamente formular e executar um plano que o libera da prisão. Em um dia. Pessoal fica na prisão por anos pensando em uma forma, mas Barry está lá só porque quer, porque teve umas mil chances de ir embora. Barry libera seus companheiros de cela, que foi ele mesmo quem prendeu, e os lidera por meio do encanamento até saírem do alcance da cela anti-poderes, porque aí, mesmo que ainda estivessem dentro da prisão, eles poderiam usar seus poderes novamente e aí seria bem fácil continuar a fuga.

Nesse meio tempo, Barry acaba conversando um pouco com os outros, tentando convencê-los a não cometer os mesmos erros novamente porque só ia fazer com que eles fossem presos mais uma vez. Tudo isso sem comentar que ele é o The Flash, os outros só sabem que ele é um speedster, então nem o levam muito a sério. A pessoa com quem Barry mais se conecta é Becky, que não parecia ser uma pessoa ruim no episódio em que era vilã e agora é ainda mais fofa, falando sobre o que aconteceu com ela e ajudando o Barry quando ele se machuca. Ele tem a chance de falar que ela pode usar os poderes para o bem e todo aquele discurso clássico, e Becky parece gostar (só queria lembrar que ela não estava usando para o mal os poderes dela, eram só uma consequência negativa de ela ter sorte).

Barry quase consegue completar seu plano, só que quando eles conseguem sair na área externa da prisão, Wolfe está esperando, joga uma tornozeleira anti-poderes no Barry e revela que ele é o Flash para os outros, fazendo assim com que se voltem contra ela (já que ele os colocou na prisão). É então que Becky se posiciona e resolve que vai ajudar o Barry, muito fofinha, ela usa seus poderes contra Amunet, que apareceu para pegar sua encomenda, e provavelmente teria vencido. Infelizmente, Devoe resolve aparecer bem nessa hora, incapacitando várias pessoas, matando Wolfe, absorvendo o poder dos metahumans e depois passando para o corpo da Becky. Não entendi para que ele precisava passar pro corpo da Becky, talvez não tenha motivo nenhum, mas não estou reclamando.

the flash 4x13


Barry conseguiu muito bem sair da prisão sozinho, mas não tinha como se comunicar com nenhum de seus amigos, então eles não sabiam disso. Iris só ficou sabendo que Barry não estava mais em sua cela normal quando foi visitá-lo e Wolfe veio com uma mentira, por sorte a Cecile estava lá também e pôde ouvir seus pensamentos e descobrir a verdade. Só fico imaginando como o Wolfe pretendia explicar quando o Barry desaparecesse, por mais que ele fosse o “chefe” ali, ele ainda responde a outras pessoas, Iris iria achar estranho não ter notícias do marido e abrir uma investigação. Burrice da parte do Wolfe.

De qualquer forma, Team Flash se reúne para tentar encontrar uma solução para salvar Barry, já que até onde sabem ele será vendido para Amunet e eles são os únicos que podem fazer alguma coisa. Isso calha de eles descobrirem um novo uso dos poderes de Ralph: ele pode se transformar em outras pessoas, o que ele faz acidentalmente ao se encontrar com um ex-amigo, ou sei lá, ficar reclamando dele e se transformar nele.

Eles resolvem, então, fazer com que Ralph se transforme em Wolfe e cancele a transação com Amunet. Só que em momento algum eles param para me falar COMO o Ralph pode se transformar em um cara negro. O amigo dele até dava para aceitar, só engordou um pouco, ficou mais baixo, dá para entender que as partes do corpo só foram moldadas de forma diferente, mas mudar a melanina da pele? E, ainda pior, mudar a VOZ? Esses escritores sabem como o corpo humano funciona? (Provavelmente não e não se importam em aprender.)

Mas, assim como muitas outras coisas em Flash, teremos que relevar essa falta de sentido. Ralph finge ser Wolfe, mas nem dá em muita coisa, porque ele fica nervoso e não consegue sustentar sua nova forma, revelando quem ele é para Amunet. Isso só serve para dar um pouco de foco para Ralph, que está um pouco chateado desde que encontrou com esse colega que disse que ele eventualmente iria arruinar tudo e perder esses novos amigos. Como Ralph é uma pessoa solitária e nunca teve muitos amigos, ele fica muito triste com essa possibilidade. Eu sempre falei que não suportava o Ralph e o achava irritante, porém sou uma pessoa sensível e fiquei com pena dele, principalmente depois que ficou claro como ele estava se auto-sabotando.

Logo que ele faz isso, ele já desiste de ajudar os outros, dizendo que ele tinha “arruinado tudo” e era melhor não continuar. Quem acaba o ajudando é Killer Frost, que Caitlin faz aparecer para ter uma conversa com Ralph, dizendo sobre como ela já tinha feito coisas horríveis, como sequestrar o Team Flash, e mesmo assim eles não tinham desistido dela; logo, eles não iriam desistir do Ralph tão fácil assim. Achei até fofo, talvez eu esteja me acostumando com Ralph.

No fim, é Ralph quem salva Barry. Após Cisco aparecer na prisão a tempo de levar Barry embora, Barry resolve que só vai voltar para a cela dele e fingir que nada aconteceu. Porém seus amigos têm outro plano, Ralph se transforma em Devoe (em sua aparência original) e vai até o tribunal, dizendo que está vivo. O juiz aceita isso como evidência, por motivos desconhecidos já que a) o corpo ainda existiria então ALGUÉM morreu, b) já apareceram antes outros metahumans capazes de se transformar em outras pessoas. Mas como já vimos que evidências não é o forte desse tribunal, eles só deixam isso rolar mesmo e inocentam o Barry, deixando-o livre já que não teve assassinato nenhum. As perguntas sobre como funciona esse sistema de justiça só ficam no ar.


marlize devoe 4x13


Afinal, o que Devoe quer? Já passamos da metade da temporada e continua sendo um mistério. A única coisa que vem ficando cada vez mais clara para mim é que a esposa dele já está ficando de saco cheio. Não tenho certeza se é a insatisfação dela com o corpo dele, com os meios que ele utiliza ou se só com a obsessão dele com tudo isso.

Logo no início do episódio, fica bem claro que Marlize não está feliz com esse novo hábito dele de simplesmente querer ficar ouvindo os pensamentos dela e falando em voz alta. Ela até mesmo arranjou truques, cantando uma música na cabeça para que ele não pudesse ouvir o resto. Para alguém tão inteligente, ele não se toca de como é inconveniente. Por mais que ela amasse ele, ninguém quer alguém espiando seus pensamentos o tempo todo, muita falta de privacidade. Toda vez que Devoe diz que ela está com dúvidas e que ele ouve isso nela, ela desconversa e arranja algum outro motivo, dizendo que acredita sim nele.

Só que isso não é tão verdade assim. Marlize o confronta sobre o que está acontecendo e ele não responde direito, o que já começa a deixá-la meio em dúvida, porque era para eles serem parceiros nisso, mas agora parece que ele está escondendo coisas. E, mais tarde, Devoe mata Wolfe sem precisar, o que a faz ver o marido como realmente é. Afinal, desde o início, ela vem dizendo que isso é necessário e acho que realmente acredite que era para o “bem maior”, mas agora talvez esteja enxergando que, ops, o marido dela é o vilão dessa história mesmo.

Por menos tato que tenha, até mesmo Devoe consegue perceber a infelicidade da esposa com os novos acontecimentos. Mas ao invés de terem uma conversa saudável sobre isso, Devoe encontra uma solução muito mais fácil: drogá-la. Usando aquele moço que chora lágrimas de “amor”, ele coloca o amor da bebida de Marlize, para que ela se apaixonasse com ele novamente e não visse nada de errado. Tenho certeza que isso vai dar errado e espero que ela mate o próprio marido no final, com isso ele não contava.

Também temos mais algumas informações sobre o plano de Devoe, que parece ser ter o poder de todos os metahumans no ônibus. Acredito que o único que esteja faltando agora seja Ralph. Só quero saber para que tudo isso.

O Melhor:
+ Gostei da Marlize desconfiando do marido
+ Becky! Foi muito fofo ela ficando do bem.
+ Barry voltou para casa
+ Ralph está mais simpático

O Pior:
- Novos poderes do Ralph não fazem sentido
- Nem o juiz inocentando o Barry assim
- Para que matar a Becky? Poxa

Nota: 8,0

Flávia Crossetti -  carioca, feminista, leitora compulsiva, pseudo-escritora e viciada em mais séries do que deveria.

terça-feira, 6 de fevereiro de 2018

Review: Supergirl 3x13 - "Both Sides Now"

Atenção: A resenha abaixo contém spoilers do episódio "Both Sides Now", exibido no dia 05/02/2018! 

supergirl 3x13

Agora que nossa Supergirl está mais ciente da identidade da Worldkiller, você acharia que as coisas são mais fáceis, mas não exatamente. O DEO cria um plano sólido e invade a casa de Julie, apenas para encontrá-la ouvindo música normalmente.

O cenário, claro, muda bastante quando, ao se sentir ameaçada, Purity (seu alter-ego vilão) resolve assumir o corpo de Julie. Apesar do momento da surpresa que a situação causou, J'onn consegue prendê-la. Tudo parece ser uma grande vitória, mas a verdade é que Kara não está satisfeita. Ela acha que existe realmente a pessoa boa dentro de Purity e quer encontrá-la.

É aí que as irmãs Danvers divergem. Foi bem interessante vê-las interagindo e se descobrindo por causa disso. Já sabíamos, claro, que precisávamos que alguém percebesse as dualidades das Worldkillers e ninguém melhor para acreditar nessas pessoas do que Kara.

No entanto, Alex cria o contraponto. Ela acredita que Purity estava enganando todo mundo, nada além disso. Ela vai além e transfere uma raiva fora do normal em direção à vilã, e, mesmo quando dá uma chance para Kara provar sua teoria, o faz com total descrença.

No primeiro momento, achei Alex não correspondia com sua personalidade e que os escritores deviam ter errado na mão. Mas, ao olharmos mais a fundo, percebemos que Alex só estava descontando suas frustrações e angústias. Lidar com a decisão que tomou e superar Maggie não é algo fácil.

Por mais que soubesse disso, Alex se sentir pressionada. Sente que já deveria ter superado, já deveria ter seguido em frente. O problema maior é que Purity percebe essa raiva em Alex e desconta isso tudo na agente, o que não ajuda exatamente.

supergirl 3x13

As tentativas são várias. Kara tenta falar sobre a família de Julie, seu nome, suas aptidões e até sobre a melhor amiga que salvou no outro episódio. Nada disso faz efeito o suficiente para que o alter-ego desapareça. Acrescentando isso tudo ao fato de Purity mexer com as dores de Alex, Kara decide que a irmã deveria estar certa.

Esse momento se alinha com a "chamada" que Purity recebe da sede maquiavélica de Reign e cia. Assim, com a ajuda da sua peça kryptoniana que Winn estava estudando, Purity consegue fugir. Felizmente, nosso time tem uma segunda chance em lutar contra ela.

Mon-El, Supergirl, Alex e J'onn tem a chance de vencer Purity mais uma vez, mas, por mais que não sofram os efeitos dos gritos sônicas da vilã, ela faz muito estrago. A confusão se instala, pessoas correm para todos os lados, as estruturas da estação são abaladas.

Kara consegue se sustentar na luta, mas não demora para Purity conseguir prendê-la de jeito. Eis então que Julie submerge novamente e consegue ser vista por Alex. Não estou reclamando, mas achei que conseguiram chegar à Julie um pouco rápido demais. Tinha a impressão que iriam usar a melhor amiga de Julie em algum momento, já que as duas têm uma conexão tão forte.

Mas tudo bem. O importante é que, de alguma forma, Alex consegue puxar Julie de volta para controlar seu corpo e parar de atacar Kara. Teríamos gritado sucesso se não fosse pela aparição de Reign, que acaba deixando Julie se render para salvar Alex. Gostei bastante de como a Julie foi corajosa ao ajudar alguém assim.

A notícia ruim, claro, é que não foi dessa vez que vencemos. Olhando para o título, achei que poderiam conseguir uma Worldkiller no lado dos bonzinhos, mas seria fácil demais. A verdade é que o episódio nos mostrou os dois lados de tudo, da esperança e do cinismo, das Wordkillers e suas identidades originais.

supergirl 3x13

Em um enredo menor, acompanhamos um pouco Mon-El, Winn e J'onn. Eles se juntam para ajudar Mon-El a consertar parte de sua nave, mas J'onn acaba o ajudando de outra forma. Acompanhamos muito como Kara lidou com a volta de Mon-El, mas agora tivemos a oportunidade de ver como ele está reagindo a tudo isso.

É assim que descobrimos que Imra e ele não casaram por amor. No começo, ele ainda estava de coração partido e era apenas um contrato para unir Saturno e a Terra politicamente, digamos. Não sei que importância Mon-El tinha no futuro, essa decisão me parece tão século retrasado, mas talvez o casamento fizesse sentido para que mostrassem o comprometimento da Legião? Sei lá.

O fato é que a revelação não muda as coisas, mas muda um pouco. Mon-El realmente se apaixonou por ela depois disso, mas o casamento mostra que ele não desistiu da Kara tão facilmente assim. Está bem óbvio que ele ainda a ama.

O problema maior, no entanto, é que, por causa dos seus sentimentos mistos, Mon-El tem afastado Imra, tornando tudo bem tenso entre eles. J'onn aparece exatamente para falar que casamento é se abrir e se comunicar, e essa é a melhor forma de solucionar isso.

Adorei como, ao conversarem, Imra reclama que Mon-El não a chamou para ajudar nas missões. Já estava imaginando como não iriam nem tentar explicar como a série tem dois heróis que não foram usados nos últimos episódios, mas não é que conseguiram?! (pelo menos por parte da Imra).

Tem mais! Quando eles conversam, Imra deixa em aberto uma grande revelação sobre o real motivo de estarem ali na Terra. Isso dá a entender que Brainiac e ela planejavam que eles ficassem presos ali no passado. Será que ela planeja pedir ajuda da Kara para alguma coisa perigosa demais? Por que eles voltariam e não falariam para o Mon-El?

supergirl 3x13

Por falar em perigo, Sam continua tentando lidar com a possível doença. Lena, como boa amiga que é, resolve dar uma folga para ela e a manda se divertir com a filha. As duas, então, vão patinar no gelo, mas não demora para Reign ser chamada ao resgate de Purity e Ruby terminar abandonada pela mãe.

Lena, então, vai ao resgate da garota e as duas acabam conversando sobre os lapsos de memória de Samantha. A situação nos leva a uma belíssima oportunidade, já que Sam volta nervosa procurando Lena e quase se transforma bem na frente da amiga.

Assim, Lena, que não é boba nem nada, e já estava analisando as incidências dos lapsos de Sam, afirma que sabe o que tem de errado com a amiga e que pode ajudá-la. O que é maravilhoso, mas a maior dúvida que fica é: "Lena está pensando o que estamos pensando?".

Acho que vamos ter que esperar até abril para descobrir. Vou sofrer ali e já volto.


O melhor
- Lena cuidando da Ruby e descobrindo tudo (é o que esperamos).
- Mon-El falando como era babaca e que mudou, yay!
- Imra à beira de uma grande revelação.
- A dualidade das Wordkillers finalmente vindo à tona.
- Adoro como Kara quer salvar todo mundo <3 Esse é o verdadeiro desafio!

O pior
- AAAAH, não acredito que vamos ter que esperar até abril!
- Espero que finalmente descubram a Reign, porque estão perto demais.

Nota 9,5

Mariana Oliveira Sou Publicitária, Beatlemaniaca e Coldplayer. Toco piano e praticamente vivo de séries e livros. Acho que começo uma série nova toda semana. 

domingo, 4 de fevereiro de 2018

Review: Agents of SHIELD 5x10 - "Past Life"

Atenção: A resenha abaixo contém spoilers do episódio "Past Life", exibido no dia 02/02/2018! 

agents of shield 5x10

Essa é última e melhor chance da Shield voltar para o presente. O plano está pronto, precisam fazer Flint reconstruir o monolito e salvar os humanos que faltam das garras de Kasius. Agora só falta executar. 

Para isso, nosso time se separa: Fitzsimmons vai encontrar Mack e Flint; Coulson, May, Deke e Daisy ajudam o resto da população escapar; Enoch fica cuidando da máquina que criará o portal; e Yoyo tem uma missão solo. 

O episódio gira em torno dessas pequenas missões simultâneas, que indicam pouco a pouco o caminho dos personagens. Flint, por exemplo, sabe de seus poderes e recebe a ajuda de Simmons para realmente conseguir reconstruir o monolito. Podemos dizer que ela foi incrível ao criar uma conexão com o garoto. 

Por mais que não tenha poderes, Simmons entende a composição por trás daquela rocha. Ela sabe como falar com Flint e fazê-lo explorar seu eu-inumano. É assim que eles passam para a próxima etapa: encontrar as outras partes do monolito no espaço, para assim montá-lo. 

Foi curioso ver como Fitz matou os krees tão rapidamente, sem piscar. Achei por um momento que Simmons poderia ficar preocupada com essa parte da personalidade de Fitz, mas ela mesma prova que às vezes é preciso tomar decisões mais fortes mesmo.

agents of shield 5x10

Quando Flint encontra as partes do monolito, ele quebra a janela, criando a sucção necessária para derrotar os últimos do exército kree ali. Ideia de quem? Da noiva do Fitz, claro. Agora Flint só precisa de um tempo para fazer sua mágica. 

Já de outro lado do enredo, temos Coulson e cia. O primeiro a se desperçar do grupo é Deke. Enoch está tendo problemas em defender a máquina que se conecta com o monolito, por isso Deke acaba se oferecendo para ajudar. 

Foi divertido ver ele e Daisy discutindo para ver quem ajudaria. Apesar de ter sua dualidade, Deke tem provado que pode ser um herói e acreditar que a Shield vai salvar seu planeta já instinto. Ele conheceu uma Quake diferente da Quake das histórias que lhe contaram.

Achei muito bom que ele tenha expressado isso para Daisy, de certa forma. Aquela Quake que destruiu o mundo não é a mesma que ele viu ser atenciosa e determinada a salvar a todos. É dessa heroína que o mundo precisa. E é ela que precisa voltar para o passado. 

É assim, então, no meio dos "insultos", que eles se despedem. E é assim que Deke se aproxima do perigo que é ser um herói. A máquina do monolito está com problemas e a única solução é usar a fonte de energia que manteve Enoch vivo milhares de anos para consertá-la.

agents of shield 5x10

O problema do plano? Bom, tudo vai explodir depois. O que significa que Enoch e a pessoa que estiver de seu lado, ou seja, Deke, não sobreviverão. Apesar de ter sido triste vê-los se sacrificarem, meu consolo é saber que esse futuro pode ser diferente agora. Eles terão uma nova chance.

Já Daisy, quer acabar com qualquer chance de destruir a Terra. A solução mais fácil é simplesmente não ir para o passado. Coulson, claro, se recusa a deixar Daisy desistir de si mesma assim. Ele e May tentam convencê-la em desistir da ideia, mas o que resolve mesmo é levar Daisy desacordada de volta. 

Devo dizer que está na cara que teremos uns conflitos por aí. Já pressinto que o fato de Daisy ter o poder de destruir mundos vai afetar sua relação com o resto do time, criando um ar de desconfiança em volta dela, e agora adicionamos a decisão de Coulson na equação. 

Além disso, a própria Daisy terá que lutar constantemente com a possibilidade futurística que agora sabe. Já está bem claro que teremos muito a explorar nas consequências dessa volta para o passado. Eu preciso muito saber como vai se desenrolar isso tudo. 

Para ajudar (ou não) com isso, chegamos assim ao ponto mais importante do 5x10: Yoyo. Depois que Tess fala na possibilidade de ter mais gente sendo trazida do mundo dos mortos, Elena decide salvar quem encontrar. O que ela não esperava era que encontrasse com si mesma.

agents of shield 5x10

Conhecemos assim a Elena da linha do tempo em que a Terra foi destruída. SIM, isso mesmo. Eu acho incrível como esses escritores são tão criativos e pensam nas coisas mais mirabolantes. Não sei nem o que dizer. 

Esse encontro abriu muitas portas. Primeiro, nos fez entender um pouco melhor o contexto de tudo. A Elena-2 fala constantemente sobre como está precisa em um looping. Aquele encontro com seu outro eu já aconteceu, ela já estava do outro lado dessa conversa, e, por mais que tenha se esforçado, o resultado é sempre o mesmo. A Terra é destruída, o Mack morre, tudo vai se acabando. 

Como uma grande fã de viagem no tempo, acho incrível essas lógicas complexas do tempo e acho que essa cena explorou um pouco isso. Essa revelação da impotência do nosso time, no entanto, não é a melhor das notícias, mas sabemos muito bem que não tem como a Terra ser destruída de verdade. 

Algum jeito eles vão dar. O que me deixa muito curiosa para saber como que conseguimos quebrar um looping desses, que parece ter sido experienciado tantas vezes. Foi bem bizarro ver como Elena-2, por mais que soubesse do que estava por vir por memória, não conseguisse sair da repetição de palavras e da conversa que teve. 

Nossa Elena, claro, fica bem abalada. Não só com essa falta de esperança, mas com a revelação de um pequeno pedaço do quebra-cabeças. Coulson está no centro da causa da destruição do planeta. Ele foi infectado, provavelmente pelo líquido preto do Kasius enquanto lutava. E, ao tentarem salvá-lo, eles destroem o mundo.

Alguém sabe como conectar esses dois pontos? Será que precisam dos poderes da Daisy para ajudá-lo e liberar esses poderes é o passo para a destruição de tudo? Agents of Shield sabe como dar respostas sem responder as perguntas que temos, hein.

agents of shield 5x10

O conselho da Elena-2? Deixar Coulson morrer. A grande pergunta é: será que essa realmente é a única solução? Isso significa que realmente perderemos uma parte tão importante da série desde o início? Ô, produção, muda isso, por favor.

Tendo em vista que o centésimo episódio será o 5x12, acredito que tudo se desenrole bem aí. Minha teoria é, já que falaram tanto do looping, talvez sejamos apresentados a algumas versões desse futuro até nosso time finalmente acertar. Algumas perdas para doer o nosso coração, mas novas chances de mudar.

Falaram muito sobre o quanto o centésimo é importante e como seria o episódio em que o time voltaria para casa. Fiquei confusa quando já conseguiram realizar isso, então por isso a ideia. Mas, talvez, o 5x12 foque nessa luta deles quebrarem o ciclo, Daisy impedir o descontrole e salvarem todos mesmo. 

Pelo menos, temos nossas vitórias atuais. Todos conseguem voltar para o passado e Mack ainda consegue matar Kasius, e que luta hein! Yoyo demora tanto para voltar que Mack vai atrás dela e, no lugar, encontra um Kasius descontrolado e a morte de Elena-2. 

Em consequência disso, Mack enfrenta Kasius em nome de todos nós. No entanto, é Simmons que tem sua vingança contra o ex-"patrão", usando o dispositivo de surdez nele, possibilitando a Mack dar o golpe final. 

Esse trio, assim, fica na beira de não conseguir chegar ao portal, mas, vamos ser honestos, eles voltam. Não é nem um cliffhanger direito. 


O melhor
- Fitz chamando a Simmons de noiva <3
- Eles conseguiram, amém!
- Os momentos de Deke com Daisy e Enoch. 
- Adorei ver a esperança que nasceu em Tess e Flint.
- Yoyo do futuro e do passado e meu deus. 

O pior
- Só eu que pensei que a Yoyo demorou demais a voltar?
- Enoch maravilhoso, saudades. E as piadinhas do Deke.
- Quero respostas direitas, preciso.

Nota 9,2

Mariana Oliveira Sou Publicitária, Beatlemaniaca e Coldplayer. Toco piano e praticamente vivo de séries e livros. Acho que começo uma série nova toda semana. 

sábado, 3 de fevereiro de 2018

Review: Arrow 6x12 - "All For Nothing"

Atenção: a resenha abaixo contém spoilers do episódio "All For Nothing", exibido no dia 01/02/2018.

arrow all for nothing

Uma semana se passou, mas Cayden James continua com Star City na palma de suas mãos. Vou começar a resenha com uma confissão: não estou entendendo nada do que está acontecendo sobre essa chantagem. Achei que no episódio passado o Oliver tivesse transferido os dez milhões para Cayden e aí acabou, esse era o acordo, mas nesse episódio vemos os personagens transferindo mais dinheiro e conversando com, sei lá, o conselheiro financeiro para arranjar mais dinheiro. Como assim? Eles vão dar dez milhões por semana ou algo assim? Isso faz zero sentido. Seja lá o que for, não tenho interesse o suficiente para pesquisar, mas se alguém quiser me explicar, fique à vontade.

Ao contrário do que eu imaginei semana passado, Oliver não aceita dar os dez milhões assim do nada, ele tenta contatar o ARGUS, só que eles estupidamente vêm com fones eletrônicos e Cayden mata todos. Thea até chega a perguntar se eles não deveriam entrar em contato com, sei lá, o FBI, CIA, NSA, qualquer uma dessas agências governamentais não secretas, mas Oliver diz que eles não podem fazer nada. Realisticamente, é óbvio que um prefeito deve ter sim autoridades maiores para recorrer – na verdade, muito antes disso o governo federal já teria assumido a situação – mas não nesse universo, aqui é cada um que se vire, os super-heróis locais tão ali para isso.

Eles já estão mandando várias pessoas para locais seguros – incluindo o William – mas ainda não têm nenhuma solução, principalmente porque Cayden James tem aquela bomba louca que adquiriu muitos episódios atrás. Mas logo uma opção aparece: Vince a.k.a Vigilante. Ele resolveu semana passada revelar que era um infiltrado e está trabalhando com o Novo Team Arrow, que vou chamar de NTA (em oposição ao OTA, os originais).

Com toda a hipocrisia deles, NTA não contou para ninguém que Vince estava do lado deles até o último momento, quando Oliver está prestes a machucar Vince, sem ouvir suas desculpas, só então eles resolvem dizer que “ah é, Vince está do nosso lado, íamos contar eventualmente”. Mas pode apostar que se o OTA tivesse deixado de falar algo assim, eles já estariam gritando sobre como não podem confiar neles. Um bando de adolescentes rebeldes.

Grande parte do episódio é focado em Dinah e Vince, inclusive os flashbacks que mostram um pouco – bem pouco mesmo – do relacionamento deles enquanto estavam infiltrados em uma máfia. Eu adoro a Dinah, antes desse conflito com o OTA, eu nunca tive absolutamente nada contra ela, inclusive achava uma personagem muito interessante. Por esse motivo, fico bem triste que esse enredo esteja me fazendo gostar menos dela.

dinah  vince arrow 6x12


Apesar de no episódio passado mesmo ela ter dúvidas sobre confiar ou não em Vince, isso já é passado e agora Dinah mergulhou em um relacionamento com ela de novo. Grande parte do meu problema com esse episódio é que ao invés de eles terem usado, sei lá, os últimos doze episódios para mostrar o relacionamento entre Dinah e Vince e me fazer gostar deles, eles só jogam palavras como isso devesse significar uma coisa. Curtis diz que o Vince está “apaixonado” pela Dinah, e Dinah depois diz que o Vince é a família dela. E, por mais que eu entenda que eles têm três anos de relacionamento que nós não vimos, para mim eles acabaram de ficar juntos. Até semana passada eu estava achando que Vince era um vilão, e agora eu deveria me importar com ele? Arrow tem um grande problema de falar ao invés de mostrar, o que é um defeito em qualquer mídia.

De qualquer forma, após OTA descobrir que Vince é “do bem”, resolvem utilizá-lo para implantar algo tecnológico no esconderijo de Cayden para poderem descobrir onde está a bomba e poder libertar Star City. Só que isso calha de ser bem quando Cayden está desconfiado que haja um traidor na equipe deles, o que é verdade, e ele acaba descobrindo que é o Vince. O que o leva a ser torturado bem enquanto está com fones de comunicação e todo mundo, incluindo Dinah, pode ouvir.

OTA e NTA acabam entrando em conflito mais uma vez, porque Vince conseguiu conectar o que precisava antes de ser pego e com isso eles sabem a localização da bomba, o problema é que eles frequentemente mudam de localização, o que significa que precisa ser desativada naquele momento. Entretanto, Vince está sendo torturado e pode ser morto. Dinah, é claro, quer ir salvar Vince, mas Oliver tem outras prioridades, como a cidade. E honestamente, essa deveria ser a prioridade dele, ele é o prefeito. E Vince tem poderes regenerativos, levou um tiro na cabeça mais de uma vez e sobreviveu.

Isso é feito de uma forma que faz parecer que o Oliver é hipócrita porque se fosse a Felicity ele iria salvá-la, o que talvez seja uma correlação que faz sentido para os personagens, mas não para mim, como audiência. Porque a Felicity é uma personagem que conhecemos há seis anos, que eu me importo, é esposa do Oliver, e ela não foi treinada para aguentar tortura, já o Vince é um cara que eu nem conheço direito, está ficando com a Dinah há uma semana, se voluntariou para isso e pode se regenerar. Mas vamos fingir que é a mesma coisa. Eles todos ficam ofendidos um com a escolha do outro, com NTA se juntando para salvar Vince, enquanto Diggle e Oliver vão salvar a cidade.

No final, todos se dão mal. A bomba já está sendo realocada e tem um monte de gente como refém, sendo assim eles precisam parar para salvar as pessoas e se dividir, então o Oliver não consegue chegar a tempo de impedir ou ver para onde a bomba foi levada. E Dinah consegue salvar Vince por dois minutos, antes de Cayden chegar com Black Siren e matá-lo com um grito no ouvido.

black siren 6x12


E por falar em Black Siren, ainda temos um enredo B que gira em torno dela. Quentin acredita que haja esperança para essa nova Laurel, principalmente desde que eles tiveram um momento juntos e ela não o matou. Ele percebe que ela está o seguindo e conta para Thea, que logo acredita que eles possam ajudar Laurel, só precisam conversar com ela.

Eles fazem um plano inteiro para que Laurel siga Lance e então se depare com um local cheio de lembranças da nossa Laurel, incluindo fotos e vídeos dela como Black Canary, sendo heroína. O objetivo disso tudo era que essa Laurel percebesse como ela pode ser uma heroína também, apresentar escolhas que eles acreditam que ela não tenha sido dada. Um jeito de esticar a mão. Achei comovente. Laurel não diz nada quando vê isso tudo, só sai correndo.

O problema é quando Black Siren mata Vince, a fofoca se espalha e chega em Thea, que conta para Quentin, vendo isso como uma evidência que eles estavam errados e ela não tem salvação. Considerei uma conclusão bobinha, afinal Black Siren já tinha matado outras pessoas antes, por que ela tinha salvação até o dia anterior mas o Vince é a gota d’água? Até parece que só de ver um vídeo ela ia mudar da água para o vinho e resolver se tornar uma vigilante. Mas de qualquer forma, talvez tenha se tornado mais real para Quentin e Thea que mudar uma pessoa não é assim, pode até ser que aconteça, mas não é como se ela tivesse “perdido a memória” e ver algumas fotos fosse trazê-la de volta, essa Laurel teve toda uma outra vida, desconstruir isso leva tempo. Eu até acredito que seja possível, mas vai levar muito mais do que isso.

E não sei se vai dar tempo. Depois da morte do Vince, Dinah promete que vai matar todos eles, principalmente a Black Siren, dando início a um confronto maior entre as duas. Oliver tenta falar que não é assim – o que aí sim eu admito que é hipocrisia dele, que estava matando até ano passado -  mas Dinah resolveu que o único jeito de destrui-los é com mais violência. Eu argumentaria que eles JÁ estão usando violência, para falar a verdade, e não me oponho tanto assim a matar ninguém, só acho que vai causar conflitos com o pessoal que quer salvar Laurel. Mais do que isso, só aumenta o conflito entre NTA e OTA, esse episódio foi basicamente para demonstrar como todos se dão mal quando estão separados, já que ninguém conseguiu o que queria, porém só aumentou a discórdia. Tenho medo de onde eles vão levar Dinah com esse enredo, porque se quiserem realmente trazer Black Siren para o lado bom da força, essa é a oportunidade para matar Dinah. A outra opção, que eu prefiro, é fazer Dinah embarcar nisso de cabeça, se dar mal, perceber que estava errado e resolver fazer as pazes com o OTA.

Só sei que tenho a sensação clara de que pelo menos um personagem importante vai morrer até o final da temporada por causa dessa briga.

O Melhor:
+ O enredo avançou um pouco
+ Foco na Dinah
+ Oliver e Felicity no início
Thea e Quentin, sempre adoro as cenas deles juntos

O Pior:
- Estou cansada de NTA x OTA
Não entendo essa história da chantagem
- A morte do Vince teria tido mil vezes mais impacto se eu me importasse com ele pelo menos um pouco

Nota: 7,0

Flávia Crossetti -  carioca, feminista, leitora compulsiva, pseudo-escritora e viciada em mais séries do que deveria.

quinta-feira, 1 de fevereiro de 2018

Review: The Flash 4x12 - "Honey, I Shrunk Team Flash"

Atenção: a resenha abaixo contém spoilers do episódio "Honey, I Shrunk Team Flash", exibido no dia 30/01/2018.

the flash big sir 4x12

Após fazer um (1) amigo na prisão, Barry já está se acostumando a sua nova vida, até mesmo jogando cartas com outros prisioneiros, incluindo o cara que tentou matá-lo na semana anterior. Barry usa seus poderes para roubar no poker e confesso que achei que isso fosse trazer problemas para ele, mas não, ninguém desconfia de nada sobre o jogo, até mesmo porque Barry não rouba para si mesmo e sim para seu novo amigo, Big Sir. Ao que parece, Barry não é o único inocente preso e Big Sir conta sua história, dizendo que ele só tinha uma “cara” de assassino e estava no lugar errado na hora errada. É claro que Barry acredita nele, não só porque ele é uma pessoa que confia facilmente, mas porque acredita que seu pai não teria o salvado se ele não fosse uma boa pessoa.

Por mais que o guarda (diretor?) da prisão tenha dito para Barry parar com isso porque lá só tinham monstros, Barry resolve que vai inocentar Big Sir. Já se passaram quinze anos desde que ele foi preso e, normalmente, seria muito complicado provar sua inocência, mas por uma coincidência divina – ou não exatamente – o verdadeiro culpado continua em Central City, acabou de roubar um prédio e é quem o Team Flash está atrás no momento.

É claro que essa coincidência é grande demais que até o pessoal do Team Flash consegue perceber que é meio demais, de todos os prisioneiros do mundo, Barry fica amigo de um que é inocente e eles simplesmente estão atrás dele no mesmo momento que querem inocentar Big Sir? Harry percebe que isso faz parte do plano de Devoe, que como sempre faz as coisas acontecerem de maneira “quase” natural, ele só vai mexendo as pontinhas de modo que nunca aparece diretamente envolvido.

O que leva a grande questão: por quê? O que Big Sir tem a ver com Devoe? O motivo de Devoe fica bem claro no final. Depois que o Team Flash consegue prender o verdadeiro culpado, eles tentam fazer um acordo para que ele confessasse o crime de quinze anos antes e pudesse inocentar Big Sir, mas nada feito, o cara se recusou a confessar e eles não tinham nenhuma prova concreta. Barry fica muito chateado com isso, porque acredita que deu esperanças para Big Sir só para não cumprir nada e mesmo com Big Sir dizendo que era bom se lembrar como era ter esperança, Barry não consegue superar.

Por mais que esteja disposto a ficar na cadeia até ser inocentado de verdade, Barry se recusa a ver Big Sir ali por um crime que não cometeu e resolve usar seus poderes para o Bem. Usando seus poderes, ele leva Big Sir até um lugar na China que ele queria conhecer e o deixa lá – achei que Barry podia ter deixado um dinheiro também, né, o que o Big Sir vai fazer, mendigar na China? Ele nem sabe falar a língua! – e volta para sua cela. Muito bom, bem discreto, o único detalhe é que Barry não tinha conhecimento de todas as câmeras e pegaram uma imagem dele correndo como Flash em uma das câmeras da prisão. Isso faz com que Barry seja levado para uma prisão de alta segurança e, mais, o diretor da prisão está trabalhando com Amunet e aceita fazer um acordo com ela, provavelmente vendendo Barry ou algo assim. Só podemos imaginar que fosse isso o que Devoe queria que acontecesse.

the flash 4x12


Mas voltando para o Team Flash, todos ainda estão tentando encontrar um jeito de inocentar Barry, mas não tem muito o que fazer sobre isso, e ainda ajudar Big Sir, a pedido de Barry. Eles acabam se deparando com um novo vilão, Dwarfstar, que tem o poder de encolher ou aumentar as coisas e acaba de roubar um prédio, literalmente um prédio inteiro, que ele diminuiu até ficar do tamanho de um brinquedo. Seus poderes funcionam do mesmo jeito que a roupa do Ray Palmer, só que ao invés de encolher a si mesmo, ele pode fazer isso com outras coisas, e é claro ele escolhe usar seu poder para roubar.

Eles se deparam com Dwarfstar de modo quase acidental, ao procurar inocentar Big Sir, mas quando percebem que ele é responsável por roubar o prédio e muitas coisas que ele coleciona (ou revende) resolvem aproveitar, né. É claro que dá errado e, como podíamos presumir pelo título, Dwarfstar acaba atirando contra alguns membros do Team Flash, encolhendo-os. No caso, Cisco e Ralph ficaram miudinhos.

Apesar de eu sempre me irritar com os efeitos especiais de The Flash (não podemos esquecer aquele homem-tubarão com o pior CGI da história), dessa vez não foi tão ruim, nada que fizesse você questionar sua escolha de entretenimento. Ouso dizer que até achei um pouco engraçado, apesar de beirar o ridículo. Talvez, após quatro anos, eu simplesmente tenha me acostumado a isso.

Ralph e Cisco não gostam nem um pouco de estarem do tamanho de Legos (mesmo que eles tenham uma maquete bem legal para poderem ficar durante esse tempo), então cabe ao resto do Team Flash tentar fazê-los ficar do tamanho certo. Infelizmente, Harry só piora a situação, porque ao tentar recriar o equipamento do Ray ele desestabiliza as moléculas de Ralph e Cisco e os coloca em perigo. Isso tudo serviu para dar uma certa crise existencial ao Harry, que por algum motivo está se sentindo culpado por tudo a sua volta, achando que ele não consegue fazer nada direito. A maior força de Harry está em sua inteligência e ele não se considera capaz de pensar mais rápido do que Devoe, o que está acabando com sua autoestima. Foi interessante eles darem um pouco mais de foco para Harry, que está apagadinho nessa temporada, só sendo um personagem de fundo mesmo. Cisco consegue conversar com ele e o faz se sentir um pouco melhor, apesar do problema ainda permanecer.

Sei que de alguma forma eles vão vencer Devoe, mas estou que nem o Harry no momento, pensando como que eles vão fazer isso, quando Devoe consegue pensar tão na frente deles. Só espero que Harry tenha um momento de glória, resolvendo alguma questão.

No fim, eles conseguem fazer com que Dwarfstar atirasse de novo em Cisco e Ralph, trazendo-os de volta a seus tamanhos normais antes que suas células explodissem ao algo assim. Mais um dia normal em Central City.

flash honey i shrunk team flash


Ainda temos mais uma metahuman no pedaço: Cecile. Aparentemente, a gravidez fez com que rastros de Dark Matter em seu organismo fossem ativados, e ela agora tem o poder de ler mentes. Mas isso é só durante a gravidez, depois que ela tiver o bebê, tudo vai voltar ao normal. Acho curioso que já tem mais de quatro anos da explosão e só agora que eles descobrem que a gravidez pode dar poderes? Cadê os artigos científicos? A falta de pesquisadores de metahumans me incomoda nesse universo.

Mas vamos ignorar isso e só aceitar. Cecile pode ler a mente de todo mundo, o que é um poder bastante divertido de se ter, como ela demonstra ao longo do episódio. Só que muitos outros, incluindo Joe, não parecem gostar muito de ter sua individualidade invadida, afinal nem todo pensamento foi feito para ser público. Joe não é muito bom em se comunicar e, apesar de claramente estar incomodado com os poderes da Cecile, não conversa com ela sobre isso, o que acaba causando alguns problemas na relação.

É claro que eles acabam se reconciliando no final, com Joe explicando que não queria que ela soubesse de todos pensamentos idiotas que ele tinha e Cecile se abriu, falando de algumas coisas idiotas que ela pensava e nunca tinha dito para ele, para que os dois pudessem ficar em equilíbrio. Os dois sempre são muito fofos e fiquei feliz com o destaque dado a Cecile, ela quase nunca ganha mais do que umas duas falas então é ótimo poder saber um pouco mais dela. Espero que esses poderes signifiquem que vão utilizá-la mais nessa temporada. Talvez os poderes de Cecile sejam a surpresa que eles precisavam para derrotar Devoe, afinal ele não tem como saber que Cecile iria ter esses poderes ativados por uma gravidez.  Ou talvez tenha, para falar a verdade não entendo muito como os poderes dele funcionam.

Outra coisa importante foi a revelação que o bebê de Cecile e Joe é uma menina. Imagino que isso seja para criar a possibilidade de que a garçonete misteriosa que vem aparecendo seja essa menina do futuro. Eu, particularmente, vou ficar bem decepcionada se ela não for a Dawn, filha do Barry e da Iris, porque ela se parece muito com os pais, mas eles já mudaram o parentesco entre Wally e Iris, não me surpreenderia se mudassem o de Dawn e Iris também, fazendo-a ser sua irmã. Bom, espero que seja só para criar uma dúvida mesmo.

O Melhor:
+ Os poderes de Cecile
+  Cisco e Ralph pequenos foi até engraçado
+ Destaque pro Harry
+ Big Sir conseguiu seu final feliz

O Pior:
- Barry sendo muito bobinho, usando os poderes assim.
- Big Sir vai fazer o que sem dinheiro, casa ou conhecidos? Barry nem pensou nisso direito.

Nota: 8,5

Flávia Crossetti -  carioca, feminista, leitora compulsiva, pseudo-escritora e viciada em mais séries do que deveria.


terça-feira, 30 de janeiro de 2018

Review: Supergirl 3x12 - "For Good"

Atenção: A resenha abaixo contém spoilers do episódio "For Good", exibido no dia 29/01/2018! 

supergirl 3x12

A rivalidade entre Lena e Edge atinge o próximo patamar em Supergirl. Os dois se esbarram na rua e, logo depois, Edge sofre um acidente por seu carro ter sido hackeado. Isso, claro, faz com que o empresário acuse Lena de tentar assassiná-lo e a coisa toda recomeça.

Eis que Edge resolve retaliar e envenena o café de Lena. Felizmente, ela estava com Kara, que salva a amiga a levando para o DEO o mais rápido possível. A impunidade constante de Edge em todos os ataques faz Lena refletir muito sobre a situação.

O mais interessante do episódio foi exatamente todos esses questionamentos de Lena. E, quando ela finalmente descobre que Lilian está por trás dos ataques à Edge, ela precisa confrontar de novo o fato de ser uma Luthor. 

Carregar esse legado da família não deve ser nada fácil, ainda mais se pensarmos que ela conviveu com esse tipo de ambiente sua vida inteira. Ela cresceu com a mãe achando legal que ela se vingou de uma amiguinha. 

A melhor parte foi que, por mais que parecesse tentada a concordar com a mãe, Lena decide seguir seu próprio caminho. E não foi sozinha! Ela resolve contar tudo para a Kara e pedir ajuda no seu plano. Foi muito bom ver Lena se abrindo, contando que quase matou Edge e que existe esse lado mais obscuro na sua vida.

Não só isso como foi muito bom ver Lena se encontrando. Ela percebeu que poderia usar sua inteligência para vencer essa vontade de vingança. Ela percebeu que não precisa matar para encontrar a justiça que procurava.

supergirl 3x12

Por isso, Lena vai atrás de Edge com o objetivo de salvar a vida dele em troca de uma confissão dos crimes que ele cometeu. Ela usa o drone que a mãe programou para matá-lo como uma forma de pressioná-lo, o que foi bem esperto. 

O que Lena não esperava, no entanto, era que Lilian tivesse também um plano B surpreendente. Ela aparece com uma armadura daquelas fazendo alusão à que o filho usa nos quadrinhos, o chamado "Lexosuit", segundo Winn. 

Eis então que entra Supergirl para combater Lilian. Mas Kara não está sozinha. Mon-El e Guardian aparecem para combater Lilian e deter Edge, respectivamente. Devo dizer que adorei ver os dois por ali. James, no papel de namorado, teve que lidar com Edge da forma que achava melhor e que poderia ajudar a proteger Lena. 

Mon-El, por sua vez, está se desenvolvendo. Ele nem sempre foi o melhor namorado para Kara e nunca a escutava, mas os escritores estão mostrando que esses sete anos no futuro realmente ajudaram Mon-El a melhorar. Yay!

No outro episódio, ele mostrou que pode ouvir os problemas de Kara e ajudá-la. E agora, assim que ele teve a ideia de usar os drones de Lilian para detê-la, Mon-El foi ajudá-la prontamente sem ser superprotetor como antigamente. 

Enquanto isso tudo acontecia, Sam deu uma pausa na Reign e resolveu cuidar de si mesma. Depois de ter conversado com Alex, a agente decide ajudar Sam a descobrir o que está causando as faltas de memória da Sam.

supergirl 3x12

Gostei bastante de ver as duas juntas! É sempre bom ver as séries criando novas relações e amizades, e essas duas ainda não tinham tido a oportunidade de realmente se conhecerem. Diga-se de passagem até a gente aprendeu mais sobre a Alex, já que ela contou sobre como se formou em medicina e queria trabalhar em pesquisa. 

Gente, já tinham falado alguma coisa sobre isso? Porque eu não lembrava. Finalmente faz sentido a Alex operar e cuidar das pessoas no DEO, apesar de ela não estar como médica ali. Queria saber como ela fez faculdade, trabalhou em pesquisa, ficou na bad e foi apresentada para o DEO em tão poucos anos. 

O importante é que ela era a pessoa certa para ajudar Samantha. Elas fazem diversos exames para descobrir se Sam está doente e ainda conversam. Tendo se virado por tantos anos sozinha cuidando da filha, Sam tem dificuldades de dividir esses problemas com as amigas. 

Com a ajuda da Alex, felizmente, ela percebe que a melhor coisa a fazer é contar para Lena e Kara sobre esse segredo. Nesse vibe de confiança e união iniciado por Lena no episódio, Sam se abre contando que seu maior medo é não poder proteger a filha. 

Foi muito bom ver as quatro se apoiando e querendo ajudar Sam. Não só isso como agora que Kara sabe que Sam está tendo problemas de memória caminhando um passo a frente de perceberem que os World Killers estão desacordados em pessoas comuns, que nem sabem o que se passa. Acho que essa será a descoberta do próximo episódio inclusive, até porque Kara finalmente descobriu a mulher que vimos no final do 3x11.

supergirl 3x12

Não posso deixar de fazer menção honrosa à cena entre J'onn e Kara. O problema com Lena não deixa de fazer Kara se sentir mal por ficar esperando pelo próximo movimento de Reign. Kara se sente ansiosa e meio impotente de certa forma, mas J'onn a faz ver como o próprio significado da Supergirl é maior do que as lutas em si.

Tendo vivido em um lutar que sofreu com uma guerra civil, foi importante ouvi-lo falar sobre isso e sobre a esperança que precisamos ter em momentos como esse. É espera é difícil, mas, mesmo quando a Supergirl acha não estar fazendo "nada", seu símbolo está.


melhor
- Lena sempre maravilhosa com seu próprio enredo.
- Adorei a cena entre J'onn e Kara <3
- Todo mundo confiou e contou seus segredos para os outros, adorei o ar de confiança no episódio.
- O desenvolvimento da amizade entre Samantha e Alex.
- Edge finalmente foi preso, yas! (não deve durar muito, mas não custa sonhar)

O pior
- De novo eu pergunto: por que a Reign parou de aterrorizar a cidade? A Sam está se tornando mais resistente? 

Nota 9,4

Mariana Oliveira Sou Publicitária, Beatlemaniaca e Coldplayer. Toco piano e praticamente vivo de séries e livros. Acho que começo uma série nova toda semana. 

segunda-feira, 29 de janeiro de 2018

Review: Agents of SHIELD 5x09 - "Best Laid Plans"

Atenção: A resenha abaixo contém spoilers do episódio "Best Laid Plans", exibido no dia 26/01/2018! 

agents of shield 5x09

E a saga continua! Depois da perda do episódio passado, nossa time da Shield precisa achar uma forma de reencontrar com Flint, Mack e Elena. Enquanto May ainda tenta lidar com as revelações de Robin, Fitzsimmons tentam descobrir uma forma de fazerem a nave voar novamente.

Aos poucos, eles percebem que a tecnologia, além de muito tempo inutilizada, fazia parte de planos futuros de atualização que tinham no passado. Resumindo, Fitz, principalmente, finalmente acredita que ajudou na construção da nave como ela é no futuro. O que significa que tudo que Robin falou sobre a linha do tempo alternativa estava certa.

As chances de Daisy ter destruído o mundo e tudo mais decorrente disso parece cada vez mais palpável. No entanto, Simmons prefere acreditar que as coisas só indicam que eles sobrevivem e voltam para o presente deles, vamos focar nisso.

É claro que, por mais que a gente tente, não tem como não imaginar como esse passado/futuro vai ser de verdade. Uma das melhores coisas de viagens no tempo, no entanto, é pensar nos paradoxos. Fitzsimmons percebem que eles verem suas teorias no presente colocadas em prática no futuro é a forma de eles descobrirem como criá-las no passado.

Se formos parar para pensar é um ciclo sem fim. Eles construíram aquilo porque já viram como vai ser, mas como existe no futuro só eles não sabiam até viajarem no tempo? Adoro pensar nas possibilidades, o cérebro quase frita.

agents of shield 5x09

O que eu não adoro é o empasse da Daisy e poderia falar disso por semanas, mas não vou me extender muito mais. Só temos que esperar mesmo, mas é interessante ver os efeitos disso. Daisy, por exemplo, está preocupada e nem quer que seus poderes voltem, algo totalmente compreensível.

Coulson tenta tranquilizar todos, enquanto Enoch só fala das grandes chances de dar errado - o que acabe sendo engraçado. O time tenta reativar o motor e a tecnologia por trás da nave, mas Simmons que tem o plano final: se estamos em uma tempestade gravitacional, por que não usar a gravidade para ajudar o avião a decolar?

O plano tem suas falhas e turbulências ao longo do caminho, mas eles conseguem chegar até o espaço e vão rumo ao centro espacial. Em paralelo, enquanto a nave luta para se estabilizar, Daisy luta com Sinara, que apareceu de última hora ali dentro.

A briga entre as duas entra em conflito também com a lealdade de Deke quanto ao time. Dá para sentir que Deke ainda não confia completamente na Daisy, mas, conforme ela prova para ele que é uma boa pessoa, ele vai amolecendo sua forma de pensar antes fixa.

Assim, quando Sinara está prestes a atingir Daisy de vez, Deke chega para ajudar e receber uns socos no lugar da nossa Quake. Isso dá tempo para Daisy se preparar para o contra-ataque e mata Sinara bem no momento em que a nave consegue se normalizar.

agents of shield 5x09

Com todos partindo em direção ao centro espacial, Mack, Flint e Yoyo tem seus próprios conflitos na rebelião contra Kasius. A começar com a volta de Tess. SIM, isso mesmo! A tecnologia kree é algo misterioso a ponto de possibilitar a volta dos mortos.

Fico feliz de ter desconfiado a forma rápida como passaram pela morte dela. Claro que, ela não volta exatamente bem, porque essa experiência morta-viva deve ser bem estranha, mas Tess consegue ajudar seus amigos ali. Foi bem legal ver como Flint e ela são quase irmãos e se importam um com o outro.

Tess carrega uma mensagem de Kasius com diversas demandas, como o retorno de Yoyo e Flint para servirem como escravos inumanos e o aprisionamento das crianças humanas. Depois de terem tomado um andar inteiro, Kasius sabe que parte da Shield continua ali e essa é sua forma de mostrar que é um "deus", segundo ele.

Mack, é claro, se recusa a dar as crianças e acaba encontrando a arma secreta de Kasius: bombas em todos os andares humanos prontas para ser explodidas. Assim, ele e Yoyo criam um plano maravilhoso, usando o trabalho paralelo e conjunto entre os habitantes dali.

agents of shield 5x09

Enquanto Tess volta com uma resposta para Kasius, Mack e Yoyo roubam todos os elementos que os krees usam para criar inumanos. E, quando o casal finge negociar termos com Kasius ameaçando explodir esses elementos, Flint e os outros humanos conseguem realocar todas as bombas.

Adoro como Kasius se acha, mas nunca consegue realmente antecipar essas manobras. Mack, Yoyo e Flint, mais uma vez, conseguem livrar os humanos do controle dos kree e Kasius faz mais uma promessa vaga de vingança.


O melhor
- Foi ótimo ver Daisy e Coulson apoiando o lado materno da May.
- Gostei do paralelo entre a estabilização da nave e a luta de Daisy e Sinara.
- O plano incrível de Yoyo e Mack.
- Tess voltou!

O pior
- O episódio não teve tantos avanços, só no final.
- Assim como o Mack, tenho minhas preocupações com o Flint.

Nota 9,0

Mariana Oliveira Sou Publicitária, Beatlemaniaca e Coldplayer. Toco piano e praticamente vivo de séries e livros. Acho que começo uma série nova toda semana. 

 
UA-48753576-1