Image Slider

sábado, 24 de maio de 2014

Dica da Semana: "Ghost Stories"


Nome: Ghost Stories
Banda: Coldplay
Gravadora: Parlophone
Lançamento: 19 de Maio de 2014 (UK/EUA)
                    20 de Maio de 2014 (BR)






No Itunes Music Festival, o Chris Martin disse algo como: “I know that you come to see your favorite band play, but sometimes your favorite band needs to come to see you sing along.” (“Eu sei que vocês vêm para ver sua banda favorita tocar, mas às vezes sua banda favorita precisa vir para ver vocês contarem junto”). É, o garotos do Coldplay estão de volta e parecem que sentiram falta. Já ouvi o cd algumas incansáveis vezes, e por isso queria recomendar que todos ouçam essas lindas músicas.

Bom, preciso começar falando que sou uma coldplayer e sou suspeita para falar, mas a verdade é que tenho certeza que muitos gostarão do álbum (como muitos já gostam), afinal a banda conquistou o disco de ouro com menos de 48h após o lançamento de GS. Os três anos que a banda ficou parada e sem shows nos deixou impacientes e com sede por música nova. De repente chegou Atlas, produzida para o filme Em Chamas, e já percebemos para onde a banda estava indo. Os instrumentos e o ar melancólico nos deram uma prova de como poderia ser o próximo álbum. Mas é impossível falar desse novo álbum, sem falar da nova era da banda - sentimentos, os conceitos por trás e tudo ao redor do cd nesse momento.

Aos poucos as músicas do álbum foram sendo apresentadas para nós: Midnight, Magic, Always in my Head*, Anothers Arms* e A Sky Full Of Stars... Tivemos um "filme" mudo em preto e branco como o primeiro videoclipe, antes do CD ser lançado, e até um especial da NBC (transmitido pela Multishow no Brasil) com o show completo deles.   *apresentadas no iTunes Festival



“The idea of Ghost Stories for me was how do you let the things that happened to you in the past, your ghosts, how do you let them affect your present and your future.” – Chris Martin
(“A ideia de Ghost Stories para mim é sobre como você deixa as coisas que aconteceram com você no passado, seus fantasmas, afetarem seu presente e seu futuro.”)

Ghost Stories, como Chris disse em uma entrevista, é sobre os fantasmas do nosso passado, que muitas vezes nos atormentam. De certa forma, temos que passar por isso tudo para crescer. O álbum é sobre como você deixou as coisas afetarem você no passado, e como elas afetam seu presente e futuro. 
A capa - duas metades de um coração, formado por duas asas -, segundo o Chris, representa o conceito do GS de transformar algo ruim em algo positivo e "para cima". O vocalista disse o quanto ele, Guy, Will e Jonny tem se tornado mais e mais próximos e que esse álbum reflete isso, além de o quanto cada pequena contribuição tornou tudo mais sólido. Chris mencionou que sempre é quem traz a primeira ideia e tem a primeira inspiração para uma música, e a partir daí eles vão formulando tudo juntos. Dessa vez, no entanto, foi diferente e Guy foi quem trouxe o começo de Magic para o grupo. Na hora sabiam que essa seria uma das músicas principais de Ghost Stories.

 “O sexto álbum do Coldplay é uma introspectiva e agridoce meditação sobre amor e perda que soa tão espectral quanto o seu nome sugere”. Isso é o que o editor da iTunes americana disse, e devo dizer que concordo. A banda foi nos surpreendendo e através da sutilidade nas melodias e harmonias, podemos sentir uma proximidade com eles. Como Zane Lowe disse na entrevista com Chris, era como se quiséssemos abraçar todos eles depois de ouvir a música. Oceans é esse tipo de música, ou melhor, o álbum todo é assim. 'O' foi uma das músicas que mais mexeu comigo nesse álbum, só de ouvir fico emotiva e o final me faz ficar toda arrepiada, ainda mais sabendo que os filhos do Chris participaram.


Ghost Stories tem uma união entre as faixas muito boa. Desde que eu li um artigo falando sobre isso no Mylo Xyloto, percebi que o os dois cds tem essa caraterística. O objetivo da banda é os fãs ouviçam o cd como um todo, como uma única peça e acredito que é isso que temos aqui. GS parece emendar uma música com a outra, cada uma se complementando, talvez não tão visível quanto MX, que tinha músicas de transição instrumentais, mas do seu jeito. O cd segue uma linha melancólica, mas músicas como A Sky Full of Stars, Ink e True Love levantam um pouco o astral, com um mais tom 'batucado', no caso de Ink. Além das nove músicas do cd, ainda tem mais três especiais para a versão deluxe: O (parte 2), Ghost Story e All Your Friends.

O cd com certeza nós traz grandes emoções e, sabendo como o Coldplay é e tendo visto o trailer do álbum, os efeitos nos shows só vão enfatizar tudo que as letras trazem. Imaginem um céu cheio de estrelas ou um harpa de laser iluminando e colorindo o palco ou até o Chris flutuando por ai. As imagens e identidade visual do Ghost Stories foram feitas por uma artista chamada Mila Fürstová, e devo dizer que ficaram incríveis. Cada arte capta a mensagem da música, formando uma grande imagem (asas, no caso da capa) com pequenas imagens super detalhadas sobre o assunto tratado. Os shows serão mais íntimos daqui para frente e o Coldplay parece querer abandonar os estádios, o que combina com a atmosfera do cd novo.

Além disso, a banda também brincou com os fãs fazendo uma caça ao tesouro. As letras das músicas escritas à mão pelo Chris foram escondidas dentro de nove envelopes em nove países. Eles foram encontrados dentro de livros 'ghost stories' em bibliotecas. E tinha mais: num desses envelopes teria um ‘golden ticket’ em que a pessoa ganhava uma viagem e ingressos de graça para ver o show da banda. Pena que não havia nenhum aqui no Rio.

Curiosidades:
·        Apple Martin, filha do Chris participa como backing vocal das canções Always In My Head e O. Já seu filho, Moses Martin, participa da música O (part 2).
·        O álbum Ghost Stories começou a ser gravado no quarto do Guy, inclusive foi ele que compôs a base da música Magic.
·        Avicii produziu a música A Sky Full Of Stars.
·        Timbaland ajudou com algumas linhas musicais na música ‘True Love’.
·        Ghost Stories e A Rush Of Blood To The Head são os únicos álbuns em que Chris ficou 100% satisfeito no final do processo.


Trailer da entrevista com o Chris Martin à BBC 1 que falei (sem legendas):



Para quem quiser assistir a entrevista, aqui estão os links: Partes 1, 2, 3, 4


domingo, 18 de maio de 2014

Review: The Vampire Diaries 5x22 - "Home" (Season Finale)

Atenção: a resenha abaixo contém spoilers do episódio "Home", exibido no dia 15/05/14.


the vampire diaries home

sábado, 17 de maio de 2014

Dica da semana: Humans of New York

HONY

“Humans of New York”, também conhecido como HONY, é uma página de fotografias no facebook. Você pode encontrá-la aqui.
A premissa da página é bem simples: Brandon, o fotógrafo e dono do site, percorre vários bairros de Nova York, tirando fotos de pessoas comuns que ele encontra na rua. Ele aproveita e faz uma entrevista com essas pessoas, frequentemente colocando alguma citação do que a pessoa disse.
Tá, ok, e o que tem demais nisso?
Apesar de não parecer grande coisa de início, basta ver algumas fotos para mudar de ideia. As fotografias são ótimas por si só, espelhando a diversidade que existe em uma cidade como NY, mas o que realmente faz o diferencial são as histórias que cada pessoa tem a contar. De tiradas engraçadas a relatos emocionais, HONY nos faz pensar em como cada pessoa que nós passamos tem uma história complexa, e nós não fazemos a mínima ideia.
Pelo facebook, ainda podemos acompanhar as respostas às fotos, muitas pessoas comentam contando histórias similares, ou as vezes o próprio fotografado ou conhecidos aparecem, revelando mais informações acerca
Recentemente, Brandon lançou um livro com o mesmo título. “Human Of New York” foi inicialmente rejeitado por várias editoras, que acreditaram que um livro de fotografia local não venderia muito. Eles não poderiam estar mais enganadas! HONY foi um sucesso total.
O livro conta com várias das fotos postadas no facebook, mas também tem algumas inéditas. Ele é do mesmo formato que a página: fotos + citações, só que dessa vez impresso.
 
humans of new york
"Isso tem tipo mil páginas!" - Pessoas aleatórias opinando sobre o livro.

Mais de cinco milhões de pessoas curtem a página do Facebook e a fama não para por aí. Brandon já fez um trabalho para a Vogue e, há pouquíssimo tempo, tirou algumas fotos do baile do MET para a revista. Entrevistando pessoas famosas do mesmo jeito que entrevista todas as outras.
Gostaria de deixar aqui alguns dos meus favoritos, mas infelizmente eu não salvo nem marco nada. Vou então pegar algumas das últimas e mostrar aqui, mas vale a pena conferir o site por si mesmo. E, caso gostem, comprem o livro. Ele é lindo!

"O que você quer ser quando crescer?"
"Uma mãe."
"E qual é a parte mais difícil em ser mãe?"
"A hora do banho."

"Meu marido tem um tumor cerebral raro chamado Neuroma Acústico, que precisou de cirurgia. Nós começamos pensando em recuperação. Nós colocamos toda nossa energia em curar  e confiar na medicina ocidental, acreditando que tudo ia ficar bem. Então chegou um ponto que tivemos que aceitar que não ia voltar ao normal. E isso não vai embora. E não é que não estejamos tentando o suficiente. Só é assim."


"Você se lembra do momento mais triste da sua vida?"
"Há alguns anos, meu pai teve que fazer um teste de paternidade para os papéis de cidadania, e nós descobrimos que ele não era meu pai biológico."
"Como isso mudou o relacionamento de vocês?"
"Não mudou."


"Você se lembra do momento mais feliz da sua vida?"
"Quando eu recebi meu diploma da universidade."
"Você se lembra do momento mais triste da sua vida?"
"Quando eu descobri que eu não conseguiria usá-lo."



"Eu tenho muitos defeitos. Eu tenho certeza que não é fácil conviver comigo. Eu não me comunico bem. E tenho certeza que não é legal ver seu homem engatinhando no chão do quarto de hotel. Mas ela me ama."

"Qual é sua coisa preferida sobre seu irmão?"
"Ele é fofo."

"Meus pais eram imigrantes do Vietnã. Eles tinham passado por uma guerra, e não queriam que a filha passasse pelas mesmas dificuldades que eles, então controlaram minha vida tanto quanto possível. Para eles, controle era amor. Mas eu tive que me distanciar disso."

"O que mais te surpreendeu sobre ser pai?"
"O amor."

"Quando minha filha nasceu, meu avô estava morrendo no mesmo hospital. Me disseram que mostraram uma foto dela pelo celular e ele começou a chorar. Eles iam embrulhá-la e levá-la para ele na manhã seguinte, mas ele morreu naquela tarde."

"Meu pai morava em Newark, então ele me pegava aos fins de semana e eu ia ficar com ele. Mas já que ele e minha mãe não se davam muito bem, ele nunca ia até em casa.  Quando o trem dele chegava, ele me ligava e eu ia até a estação encontrá-lo. Mas em um final de semana ele estava três horas atrasado. Eu tentei ligar para seu celular, mas ele não atendeu, então eu presumi que ele não vinha e saí para ver um filme com meus amigos. Eu acho que o trem dele chegou alguns minutos depois, porque minha mãe disse que ele ligou assim que eu saí. Quando eu finalmente entrei em contato com ele, nós tivemos uma grande briga. Ele ficou irritado porque eu tinha ido ver o filme. Ele disse que eu não ligava para ele ou o amava. Isso foi no sábado. Tarde da noite de domingo, eu levantei para ir no banheiro e encontrei meu padrasto e minha mãe chorando na cozinha. Eles nem conseguiram me dizer que ele foi assassinado. Eles só me disseram que 'uma coisa aconteceu com alguém em Jersey'. Eu perguntei se tinha sido minha tia. E então minha avó. E minha mãe só ficou negando com a cabeça. Eu passei por uma lista de pessoas antes de chegar ao meu pai. E a cada nome que eu dizia, com mais e mais medo eu ficava, porque eu sabia o que tinha acontecido."

Ok, me empolguei bastante e poderia passar o dia inteiro colocando as fotos e traduzindo as entrevistas, mas me controlarei. 
Já tem algum tempo que "descobri" o HONY e, desde então, todo dia vejo as fotos novas que são adicionadas e não deixo de me surpreender e me emocionar com o que encontro.

Divulgado o trailer da nova série "The Flash"

Dos mesmos criadores de Arrow, The Flash é um spin-off aguardado pelos fãs. Vimos um pouco da interação de Barry Allen e como ele se tornou o homem mais rápido do mundo em Arrow, e nada melhor do que ver a continuação dessa história na nova série. Além disso, parece que teremos algumas interceptações nas histórias, o que é sempre legal.

Vejam o trailer estendido (sem legendas):


Além disso, temos um "first look" da série que mostra Oliver e Barry juntos.


E ai? Quem pretende acompanhar a nova série?

Review: Reign 1x22 - "Slaughter of Innocence" (Season Finale)

Atenção: A resenha abaixo contém spoilers do episódio "Slaughter of Innocence", exibido no dia 11/05/2014!
mary stuart

sexta-feira, 16 de maio de 2014

Review: Arrow 2x23 - "Unthinkable" (Season Finale)

Atenção: a resenha abaixo contém spoilers do episódio "Unthinkable", exibido no dia 14/05/14


arrrow 2x23

Review: Once Upon a Time 3x21-22 - "Snow Drifts"/"There's No Place Like Home" (Season Finale)

Atenção: A resenha abaixo contém spoilers dos episódios "Snow Drift" e "There's No Place Like Home", exibidos no dia 11/05/2014!

The charmings

O episódio começa com um flashback de uma criança sendo adotada. No começo podemos achar que seria a Emma, mas logo vemos que nossa 'savior' já é "velha para adotar" e continua no orfanato. Temos pequenos flashbacks nessa season finale, e acredito que o principal intuito em mostrar esse passado da Emma é levar ao entendimento de casa que a personagem tem tanta dificuldade de definir. Não sei se ninguém repara, mas na série sempre temos 'easter eggs' (objetos "infiltrados" no meio das cenas) da Disney, e o começo do episódio não foi diferente e nem um pouco sutil: um Mickey sendo dado para a garotinha deixa claro isso. Bom, o outro flashback e tem a ver com o Neal. Vemos que a partir dele, Emma constrói uma ideia de casa que é essencial para o episódio.

Enfim, no presente vemos que os Charmings estão arrumando a festa de 'coroação' para apresentarem o filho ao "reino" e anunciarem o nome do bebê, já que era uma tradição da floresta encantada. Toda a cena é fofa e é divertido ver a família toda reunida. Ruby dá o ar da sua graça e interage bastante com os Charmings, e até Catherine/Abgail também resolve aparecer. Henry está contando a história do livro para o bebê e Snow e Charming brincam sobre as circunstâncias inusitadas em que se conheceram. O clima está descontraído, mas acabam entrando no assunto de Emma e seu querer ficar na cidade ou não. David aponta que ela é cabeça-dura como a mãe todos da família. Ela sai e Hook resolve mais uma vez conversar com ela, levando o livro aconselhado por Henry. Achei um pouco estranho o Henry ter falado para ele levar o livro, mas depois entendemos que o livro será importante e guiará Emma e Hook no passado.

Enquanto todos percebem que o portal de Zelena parece ter voltado a funcionar e tentando entender o que aconteceu, Hook tenta mais uma vez mostrar para Emma que ela só está querendo fugir, como fez a vida toda, com medo de tentar ser feliz em Storybrooke. Ela afirma que não sabe o que estar em casa e que a sua maneira de descobrir e fugindo e vendo assim se sente saudades do antes, porque só assim ela teria encontrado 'home'. Killian entende, mas questiona se esse seria o melhor plano, afinal quando ela pararia de correr. E fãs de Captain Swan podem ir a loucura,  porque tem muito mais disso *-*. O fato é que a conversa é interrompida, já que eles também percebem o portal aberto e resolvem investigar. Achei estranho o David avisar a Emma e não falar para eles não chegarem perto, ou ela simplesmente ignorou o aviso? De qualquer forma, eles não precisa nem abrir o portão para serem sugados pelo portal do tempo.


Captain swan

"One of these days I'm gonna stop chasing this women" -  Killian.
Emma não consegue se segurando por muito tempo e acaba caindo no portal, já o Hook acompanha a amada deixando claro que "um dia desses vai parar de ir atrás dessa mulher". Mais uma cena que mostra que ele se importa com ela. Os dois vão parar na floresta encantada e logo percebem que estão no passado. Foi divertido ver a Emma tentando fazer referência ao "De Volta para o Futuro" e ficando frustada ao tentar explicar o filme para p Hook, que não entende nada e pergunta se o Marty McFly é um feiticeiro. O livro tem na história um papel de contar se o futuro mudou ou não, já que quando acontecesse alguma coisa ele pode mudar ou até ficar em branco. Logo já percebemos que os dois estão no meio de eventos já conhecidos, como a Evil Queen está atormentando os moradores de uma vila à procura de Snow e Emma quer salvar uma mulher, mas logo aprendemos a lei básica de viagem no tempo: não mude nada, pois pode ter grandes consequências. Logo de primeira, pude perceber que a mulher em questão era a Marian, mulher (ou ex?) do Robin Hood e comecei a me questionar se teria importância na história. HA, mal sabia eu.

"Not Regina, love. The evil queen" (Não é a Regina, amor. É a rainha má") -  Hook.
Bom, Hook logo percebe que Emma precisa mudar seu modo de vestir para não levantar suspeitas e temos mais um momento fofo entre eles. E não demora muito para eles se verem mais uma vez no meio de uma cena famosa que conhecemos: quando Charming conhece a Snow. Emma percebe rapidamente o que vai acontecer e podemos ver que fica emocionada com a cena acontecendo bem na sua frente, mas toda essa emoção acaba fazendo Snow, que estava escondida, perceber os dois e não interceptar o David. Ops, Swan, você acabou de alterar uma parte grande de história.

Emma e Hook precisam de ajuda e sabem quem a recorrer: Rumpelstiltskin. A cara da Emma conhecendo o Mr Gold como Dark One foi impagável. Ele, é claro, não esqueceu que odeia o Hook e vai para cima, mas logo deixam isso de lado, quando Emma menciona a maldição e Bae. Rumpel começa a perguntar sobre o filho e vemos no momento de silêncio de Emma, que não é um assunto fácil, claro. O Dark One faz questão de enfatizar a tal lei de viajantes no tempo, mas já é tarde demais. Se eles não resolveremos logo, tudo que se encadeia depois da união do Charming e a Snow estará perdido. Adorei ver o Rumpel brigando com eles, quase como um pai brigando com os filhos. Rumpel resolve ajudar e os leva para o castelo, onde conhecem Belle. Os comentários sobre o futuro/presente estão a tona saindo da boca da Emma, e só vemos Hook se desculpam com um "She has a strange taste of humor" ("Ela tem um estranho senso de humor").



O plano é montado: enquanto Rumpel tenta encontrar um forma de reproduzir o portal, Emma e Hook tentam fazer Snow e Charming se conhecerem. A chave é o anel de noivado de Charming e, sabendo que Snow precisa de um navio, Hook tem a ideia de se aproximar dela com a proposta do roubo. Mais uma vez, temos um momento significativo e divertido entre Emma e Hook, afinal ela precisa seduzir e distrair o Hook do passado para fazer tudo funcionar, e Killian fica todo enciumado. Dele mesmo. "You and I both know I'm his type" ("Nós dois sabemos que eu sou tipo dele") - Emma falando com o Hook sobre o Hook do passado. Ele chega ao ponto de até bater no Hook do passado, quando Emma o beija como única solução de distraí-lo.

Charming deverá ir a um baile e para vigiar tudo de perto, Hook e Emma se transformam mais uma vez, botando roupas de baile e mudando fisicamente através de magia. Preciso comentar sobre os disfarces deles: Princess Leia e Prince Charles? Não, nem é a princesa de Star Wars e o príncipe da Inglaterra haha. O plano parece estar dando certo e Snow encontra com Charming e praticamente reproduz a cena da pedrada no queixo do futuro marido, com uma caixa de jóias. Além disso, vemos Hook, mais uma vez, tentar trazer a Emma para aquele mundo e a família, quando ele fala que ela parece natural ali, dançando em um baile como uma princesa. Essa era a vida que ela poderia ter tido e apesar de tudo que aconteceu, acredito que conhecer um pouco do passado dos pais e ver tudo concretamente a fez perceber aquela realidade, já que ela mesma disse que toda a história deles parecia simplesmente um livro de conto de fadas e mais nada.

Tudo parece ter dado certo, até que Emma percebe que a Snow deixou cair o anel ou fugir, mas pior ainda é Regina está no baile e resolve prender Emma, por estar trabalhando com a fugitiva. Hook não pode fazer muita coisa na hora, mas decide pedir ajuda para Snow e Charming. Vemos mais uma vez uma cena clássica, quando David prende a Snow numa armadilha e conhecemos o apelido 'Charming' que o príncipe ganha. Preciso comentar em como o Hook fala que Emma é 'sua princesa'. Além disso, ele conversa um pouco sobre os pais dela o aceitarem com Charming, foi uma cena ótima. Dá para ver que ele se preocupa com isso e que Charming, mesmo sem saber ainda, dá a sua benção, digamos. Além disso, Killian expressa mais uma vez seu amor por Swan. "I'd go to the end of the world for her" ("Eu iria até o fim do mundo por ela"). 

Enquanto isso, vemos que Emma está presa e parece sentir saudades dos pais, talvez um começo para perceber o que casa significa? Mais uma vez a Marian (mulher do Hood) aparece e, quando Emma consegue fugir usando arames para abrir o cadeado, eu percebi que alguma coisa não ia dar certo. A 'savior' não queria deixar a mulher ir para a execução, mas sabemos bem que não é bom mexer no passado. Tudo o que eu podia pensar era que a Marian iria viver e que o romance entre a Regina e o Robin não teria acontecido quando eles voltassem para o presente ou talvez o amor verdadeiro da Regina mudasse, isso é possível? Acho que não funciona assim né? Bom, o fato é que o futuro da Evil Queen seria afetado de alguma forma, e realmente foi.

Já Hook e Charming montam um plano para salvar a Emma com a ajuda de Red. Sim, isso mesmo! Não só ela apareceu, como ainda teve uma participação significativa na história. Quer dizer, ela ajuda eles à entrarem no castelo em sua forma de lobo, ainda por cima. Eles chegam para regatar a Emma, mas parece que ela sabe se virar. "What the hell are que doing? You're depriving me of a dashing rescue" ("Que diabos está fazendo? Você está me privando de um resgate maravilhoso") - Hook. Tudo parece dar certo, a não ser o fato de não estarem encontrando a Snow, que logo descobrimos que foi atrás da Regina. O plano dá errado e Snow acaba sendo sentenciada à fogueira. Quando descobrem o que aconteceu, já é tarde demais. Emma fica arrasada em ver aquilo tudo, e sinceramente, nem imagino como seria estar na pele dela. Claro que tudo que eu pensava é que de alguma forma a Snow escapou, ela sempre dá um jeito. Amei a forma como o Killian consolou e a trouxe para perto tentando ajudá-lo nesse momento.


Mas calma gente, tudo dá certo no final. A Snow tinha um pó mágico que a transformou em uma joaninha e Charming percebe o truque. Foi de esmagar o coração ver a Emma toda aliviada com a mãe estra viva, e a Snow nem mesmo saber quem ela é. Hook tenta consolá-la mais uma vez, limpando suas lágrimas e vendo pelo lado positivo, afinal, pelo menos, ela está viva e o plano está dando certo. Assim, vemos uma última cena clássica se recriando: Snow e Charming lutando contra os ogros na ponte, e mesmo Snow não tendo o tal pó para transformá-los em besouros, ela se vira. Ao mesmo tempo, Emma e Hook observam a cena, e mais uma vez, vemos que Emma está emocionada, afinal não é todo mundo que pode presenciar seus pais se apaixonando, como Hook mesmo diz.

Com o dever cumprido e pensando em levar uma Marian desmaiada de volta para o presente para não alterarem o futuro, eles se encontram de novo com o Rumpel. Tudo que eles precisam é que Emma consiga sua magia, já que quem veio pelo portal é que tem que recriá-lo. Então temos nossa prova final de o que é casa para Emma, e Hook a faz perceber que talvez não tenha voltado seus poderes porque ela, mais uma vez, parou de acreditar. Então Emma faz um discurso perfeito sobre o momento que entendeu que sua família é sua casa, que quando achou que sua mãe morreu e depois não a reconhecia depois do desespero que passou, ela viu que estava fazendo a mesma coisa com a Snow, sem se abrir. E então vemos que sim, ela quer voltar. Voltar para casa. Eles conseguem assim abrir o portal, Hook entra com Marian e quando Emma vai entrar vemos Rumpel a impedindo. Com o desespero da situação e o nervoso que nos dá por medo do portal se fechar, vemos Emma botando para fora seus sentimentos. Rumpel quer saber do filho, e acaba descobrindo que ele morre, no entanto, vemos que não tem como mudar e é melhor que Rumpel simplesmente esqueça de tudo com uma porção. Neal morreu como um herói, tentando salvar a todos, e tudo seria me vão se Rumpel tentasse fazer alguma coisa para mudar o futuro e só piorasse.
Finalmente, ele a deixa ir e bebe a poção. E temos um final feliz! Emma volta correndo para os pais e conta tudo. Foi muito ver que ela foi introduzida ao livro e que agora tem mais uma prova que pertence à ali. "Mom. Dad. I missed you" ("Mãe. Pai. Eu senti saudades") - Emma. Assim, finalmente conhecemos o nome do filho dos Charmings e não poderia ser uma homenagem mais bonita: príncipe Neal. Podemos ver no rosto do Rumpel a gratidão que sente pela família. Emma e Hook tem assim um momento final entre os dois que deixa os fãs nas nuvens, se já não estávamos. Ele conta que trocou o Jolly Roger por um feijão mágico para poder ir para Nova York avisá-la da nova maldição. Sim, o navio que sempre o definiu e que era símbolo de sua vida de pirata foi trocado para que ele pudesse ajudar a pessoa que ama e sua família, por algo maior. E podemos ver que ele nem ao mesmo vê tanta importância nisso, afinal era a coisa certa a se fazer (parafraseando Snow e Charming aqui). Então temos mais beijo do casal. Apaixonado e demorado, como merecem.

Depois, meio de surpresa, o casamento da Belle e o Rumpel acontece. Eu realmente achava que iria demorar um pouco mais e senti uma pontada de mágoa pela Belle ainda não saber que Rumpel mentiu para ela, mas a cena não poderia ser mais fofa. A cerimônia tem basicamente os dois, o Dr Hopper como padre e o pai da Belle. O discurso dos dois é lindo e mostra que apesar de tudo que passaram em quase perder um ao outro, como Belle disse, e em ganhar a confiança e acreditar no outro, como Rumpel disse, eles chegaram onde estão. A montagem só deixou tudo melhor, vemos através do discurso não só Rumpel e Belle, mas Emma e Hook se beijando e Robin, Regina e Rolland passeando. E assim, realmente podemos ver que "sometimes the best teacup is chipped" ("às vezes, a melhor xícara está lascada"). 

Pena que a alegria logo acaba, principalmente para a Regina. Como eu disse a presença da Marian com certeza teve seus efeitos, afinal Robin a reencontra e Rolland revê a mãe, e é nesse momento que Regina se vira contra a Emma. Vamos esperar que eles não tenham destruído o desenvolvimento do personagem e que ela não siga o mesmo caminho que fez com Snow: vingança e raiva difícil de deixar. Mas tadinha, meu deus, parece que ela nunca consegue ficar com seu final feliz por muito tempo. Quero saber como o Hood vai lidar com a situação, afinal ele está apaixonado pela Regina, mas também achava que tinha perdido a mulher que havia amado tanto e ela voltou. Argh, por que escritores?! Logo depois de tantos momentos fofos como Rolland andando com Outlaw Queen superfeliz e quando Regina conta que sabia que o 'homem com a tatuagem de leão' era seu amor verdadeiro e os dois compartilham suas histórias e amores?


O episódio foi voltado para a relação de Captain Swan com certeza, apesar de termos obviamente problemas com o 'não atrapalhar o passado' e a procura pela casa de Emma. Os dois têm uma interação maravilhosa. Com cenas engraçadas, podemos ver o cuidado e carinho que um tem pelo outro, além de flertes e ciúmes ocasionais, claro. Ele a ajuda a achar seu lugar, a ficar em Storybrooke porque percebeu que sua vida sem a família nunca seria a mesma, além de cada vez mais mostrar o quanto mudou e se importa com ela.

Esperava que tivesse algo acontecido mais complexo e que as histórias que conhecíamos continuassem e só houvessem pequenas mudanças que sempre estiveram ali e que só foram possíveis com Emma e Hook no passado (como acontece em Harry Potter - Prisioneiro de Askaban, por exemplo), mas gostei da forma como os escritores fizeram, afinal do jeito deles tiveram mais emoções afinal o que fazer quando se muda o destino e ele fica tão incerto quanto o presente?

Agora, vamos falar dos segundos finais. AI MEU DEUS. Não posso acreditar nesse final! Estou tão animada e ansiosa para saber como apresentarão a Elsa para nós. No livro original "A Rainha da Neve", ela é retratada como vilã, mas como já vimos a Elsa de Frozen definitivamente não se encaixa na categoria. Acredito que podem retratá-la como a incompreendida que sempre foi com seus poderes e sem saber ao certo como controlá-los, sendo um pouco vilã e ao mesmo tempo gerando compaixão. Mas tudo isso são apenas especulações e só nos resta esperar. Quero muito saber como será a interação dela com o resto do pessoal também. Será que Emma a reconhecerá dos filmes? O fato é que só haviam boatos sobre a Elsa aparecer em Once e devo dizer que fiquei de boca aberta por alguns minutos ao perceber que está tão próximo de acontecer.

O melhor
Foi divertido ver as cenas que já conhecíamos de outra forma.
Foco em Captain Swan e a interação entre eles *---*
Momento fofo em que Regina e Hood compartilham suas histórias amorosas e como eram destinados um para o outro, além de Rolland e os dois passeando juntos.
Rumpel e Belle se casando.
Discurso da Emma em que compreende que sua casa e onde sua família está, além da cena em que reencontra eles.

O pior
Regina e sua raiva voltando contra a Emma, além de claro terem, mais uma vez, atrasado seu final feliz. (atrasado, porque ainda acredito na nossa rainha).

Nota 9,9 
*Desculpa, pessoal, se me empolguei e contei muito da história, mas me apaixonei pelo episódio e queria falar de todos os detalhes.




Review: Castle 6x23 - "For Better or Worse" (Season Finale)

Atenção: A resenha abaixo contém spoilers do episódio "For Better or Worse", exibido no dia 12/05/2014!

O episódio teve um ar leve e parecia ser um sonho. O foco foi no casamento e todos estavam super ocupados resolvendo os últimos detalhes: Alexis pedindo assinaturas sobre decoração para o Castle e garantindo que Ryan e Esposito experimentem os smokings, enquanto a Beckett está acertando tudo na delegacia para ter sua merecida lua-de-mel depois da volta. Achei fofo a Gates falar que estava feliz com a Beckett e seu grande dia, apesar dela, para não perder o hábito, ‘cutucar’ o fato do noivo ser o Castle. O casal vai resolver então toda a papelada para o casamento e logo descobrem que a Beckett está casada com um ex-namorado que não vê há quinze anos. 

Ao longo do episódio, todos brincam com a Kate, chamando o tal Rogan de ‘seu marido, o que deixa o ar discontraido. Bom, ela resolve ir até o cara para ele assinar os papeis do divórcio. A história não poderia ser menos longe de um clichê de comédia romântica, mas claro que temos um diferencial. Como se pode esperar, a Beckett se vê em uma investigação, a situação só não é um tanto comum. Ela consegue encontrar Rogan em um bar e já percebe que ele continua o mesmo: traindo a confiança das namoradas e mentindo. Depois de se atualizarem sobre as vidas, Beckett pede para ele assinar os documentos. Mas é claro que não seria tão fácil assim e Rogan quer que Kate roube as chaves da garagem da ex-namorada dele. Apesar da legalidade da situação, Beckett se safa e atende ao pedido, mas logo percebemos que o problema está longe de acabar quando Rogan é sequestrado bem na frente da Beckett. Minha reação a isso? Foi basicamente a da Beckett, "WHAAAT? REALLY?".

Os policiais são inúteis quando se trata de Rogan e Beckett é repetidamente avisada que ele não vale a pena, como se estivesse apaixonada por ele. Castle resolve assim ir ao encontro da futura esposa para ajudá-la, apesar de algumas coisas já estejam dando errado, como o smoking minúsculo de Ryan. Não só isso, como por forças do destino ou sei lá, o local onde casariam pegou fogo no teto e após um momento de desespero pelo problema sem saída, eles encontram o lugar perfeito: a casa do Castle em Farhampton. 

Beckett cumprimenta o futuro marido com um 'obrigado por vir, babe' e eles logo começam a perguntar sobre a vida de Rogan, começando com a namorada, ou melhor, ex. Assim eles percebem que o computador de Rogan é importante e o mandam para análise. Entre inda e vindas, descobrem que ele pagou para roubarem o celular de uma stripper e que estava usando uma foto indecente de um padre para subornar o religioso. O grupo que ele contratou pelo serviço, no entanto, não está feliz e quando descobrem que Kate é casada com Rogan, exigem o dinheiro. Castle acaba resolvendo a situação e se vêem num beco sem saída. Quando estão entrevistando a stripper, Kate recebe uma ligação de Lanie que traz mais uma notícia trágica: o vestido da Beckett queimou. O que eu acho disso? Ainda bem, graças a deus. O vestido seria mais bonito se tirassem algumas coisas, mas era meio exagerado para mim. E vamos combinar que o substituto era muito mais bonito e mais significativo, já que foi da mãe de Beckett.


Como sempre as situações são engraçadas e divertidas, dentro de cenas mais sérias, digamos. Vemos que Beckett está desistindo de tudo e acha que talvez seja o destino falando que eles deveriam adiar tudo. A troca do local, o smoking, o sequestro do futuro-ex-marido de Beckett e o vestido queimado... Parece ser loucura eles quererem continuar com tudo depois disso, mas Castle sendo Castle afirma que são necessárias essas dificuldades em um relacionamento, afinal o que seria uma história de amor sem obstáculos a serem ultrapassados? E é por isso, por esse otimismo, que Kate diz querer casar com ele.

Quando as pistas parecem estar acabando, eles percebem que a stripper teria motivos de seqüestrar Rogan, usando uma fazenda que tem acesso. E finalmente encontram Rogan. Beckett, sem perder tempo, exige que ele assine os documentos, sem soltá-lo por inteiro das cordas de sua mão. Tudo parece voltar para o seu caminho, quando Rigan tenta explicar a situação, falando que a foto que o tinha metido naquela furada não era a do padre, e sim, a de um mafioso foragido por anos. Que sorte hein, pessoal. Eles não conseguem sair a tempo, e aí que a situação complica. Fiquei confusa com o fato da Kate dizer que tem um plano e é Castle que arranja uma desculpa para tirá-los de lá, mas vai ver só com o olhar ela soube expressar sua idéia. Se bem que vamos combinar que eles são mestres em descobrir ao mesmo tempo quem é o assassino, então não me surpreende tanto, pensando bem. 

O fato é que eles enrolam o mafioso, dizendo que as fotos estão na casa de Rogan, e quando chegam lá são abordados pelos motoqueiros a quem Rogan devia. Logo, eles vêem que é vantajoso entregar o mafioso para a polícia e ganhar assim um dinheiro, e nossos heróis são liberados. Achei estranho que tudo foi resolvido muito facilmente, vendo o quão perigoso era o mafioso. Talvez eu devesse ter suspeitado que mais alguma coisa iria acontecer. O importante é que Rogan finalmente assina os papéis - e com direito a seu "final feliz" - e Caskett saem correndo para NY.
A próxima cena é a bela visão de Kate com seu vestido de noiva, sendo elogiada por Lanie *-* O momento entre elas é fofo, e mais fofo ainda é a cena de Beckett com a Martha. A mãe do Castle resolve presentear a futura-mas-já nora com brincos azuis que estiveram sempre presentes na família. Kate pode não estar com a mãe, mas com o vestido e com Martha ao seu lado, acredito que ela tenha conseguido chegar o mais próximo possível. O noivo liga, e pelo o que parece, está no carro indo para o local do casamento, depois de resolver finalmente a documentação de Kate. Mais um vez, o casal apaixonado conversa e temos um belo vislumbre do futuro.

Não, o final não poderia ser eles se casando. Não poderia ser condizente com o ritmo leve que o episódio estava tendo. Castle é perseguido e, bom, a próxima coisa que vemos é seu carro em chamas e o sofrimento estampado no rosto de Kate. O casamento foi arruinado, seu marido está morto ou gravemente ferido ou em perigo. 

Existem algumas teorias. Será que os mafiosos fizeram parecer que o Castle morreu para sequestra-lo assim? Eles podem muito bem arranjar um corpo, que estaria tão queimado quanto irreconhecível e os exames demorariam para acusar que era outra pessoa. O próximo episódio seria então um desenvolvimento do caso, em que tentam encontrar quem está com o Castle? Ou é muito delírio e o Castle simplesmente pulou fora do carro e na verdade ele está bem ali do lado da cena do carro, afinal não sabemos o que disseram para a Kate no telefone... 

O que eu tenho certeza é que, não, esse season finale não foi leve como o Nathan tinha falado em uma entrevista. Sim, o episódio passado teve mais drama que o finale, mas eu não poderia nem pensar que teria tamanha reviravolta nesse. Me apontaram algumas falhas, como o porquê do carro ainda estar pegando fogo quando a Kate chega lá. Cadê os bombeiros desse lugar? Eles simplesmente deixaram o fogo continuar queimando enquanto ligavam para um familiar? Outra coisa foi o porquê da polícia ligar para a Kate e não para a mãe do Rick, afinal é ela quem deve estar na lista de contatos do filho, localizável pela placa do carro, talvez? Pelo celular é que não conseguiram nada, já que estaria queimado... Isso seria explicável se o Castle estiver ali no local. A verdade é que, conhecendo a série, sabemos que os escritores adoram terminar as temporadas de maneira dramática e com grandes cliffhangers, e essa não foi diferente.


O melhor
Piadas com o "marido" da Beckett. Não sei se vocês repararam, mas o Ryan uma mensagem para a Kate no estilo "Endereço do seu marido LOL (...)". Adorei.
Momentos Caskett como a conversa de Castle e dificuldades na relação, além dos 'apelidos' da +Beckett para o noivo ("babe" e "lover"). 
Ryan fofo tentando entender o porquê do smoking minúsculo.  
Apesar de clichê, Castle soube dar um diferencial à história. 
O vestido da Beckett e seu momento mãe-filha com a Martha.
Alexis ajudando o pai e organizando tudo.

O pior
Algumas coisas sem explicação no final.
Momento wtf quando o Rogan é sequestrado.

Nota 9,0

Review: Agents of SHIELD 1x22 - "Beginning of the End" (Season Finale)

Atenção: A resenha abaixo contém spoilers do episódio "Beginning of the End", exibido no dia 13/05/2014!

agent coulson






















segunda-feira, 12 de maio de 2014

Dica da Semana: o livro "Deadly" (Pretty Little Liars)

A dica dessa semana demorou, mas está ai. Mais um livro para animar essa época de season finales. Enjoy!

  • Deadly/ Mortais
Título: Deadly (EUA) / Mortais (no Brasil - ainda não lançou)
Autora: Sara Shepard
Editora: HarperTeen/ Rocco
Série: Pretty Little Liars - PLL (14º Livro)

Sinopse: Em Rosewood, vans espreitam por fora em garagens e agentes do FBI estão batendo na porta de toda man~soa - e isso tudo é porque as quatro 'pretty little liars' simplesmente não sabem ser boazinhas. Hanna, Spencer, Emily e Aria têm guardados segredos de matar durante o ano todo... coisas que poderiam levá-las à cadeia de A contasse tudo.






Amei! Devo dizer que está entre os meus preferidos da série. As garotas estão bem mais unidas e passam da fase de esconder certas coisas uma das outras. Não só isso, como elas atendem às minhas rezas e finamente se previnem contando certos segredos ou contam sobre a A para outras pessoas, como a Agente Fuji (sim, a responsável pelo caso da Tabitha)! Temos bastantes cenas "fortes" e importantes, com uma das garotas, principalmente, e com A.

A história começa então com a situação do Noel no hospital e com as garotas tentando tirar informações dele. Sem muitas esperanças, elas acabem desistindo de procurar pela A, até que elas são acusadas pelos seus erros no verão, como a Aria ter roubado um quadro ou a Hanna ter fugido do acidente com a Madison. E então, elas vêem uma oportunidade, contar tudo e finalmente tirar o peso das costas... Mas é claro, que com A, não é tão fácil assim.

O que me impressionou foi a situação mais aberta que as garotas decidiram finalmente tomar e um pequeno plot twist poderíamos dizer, que deixa você surpreendida e revoltada ao mesmo tempo. A relação de algumas das famílias das garotas tem certas evoluções, e outras, não. De certa forma, dá uma visão ampla e mostra a interpretação que cada pai e mãe dá aos acontecimentos. Como a Melissa, por exemplo, que começou a apoiar muito mais a Spencer.

Devo dizer que o Mike e o Noel são fofos, e cada vez mais gosto mais deles. O Mike com certeza surpreende, ainda mais se compararmos com os primeiros livros da série. Ele tem ganhado importância e se mostra sempre muito preocupado com a Hanna e a Aria.

Bom, no livro passado descobrimos que a A trabalha com um ajudante, que segundo as garotas eles seriam a Alison e seu namorado. Em Deadly, descobrimos a primeira letra do nome dele (quase como a A), e muito mais que isso, descobrimos bastante no final do livro. Além de vermos o que realmente aconteceu naquela noite do incêndio em Poconos e que o ajudante da Ali estava lá.

[Mini Spoiler] Finalmente temos certeza se a Allison está viva ou não, e descobrimos o namorado que vinhamos especulando como parceiro de crime dela. Devo dizer que fiquei surpresa, porque ele participou da vida de cada uma das garotas de alguma forma, passando até um pouco desapercebido. A falta de provas da sobrevivência da Ali me deixou louca, e estou ansiosa pelo próximo livro. Houve muitas descobertas e algumas conciliações entre personagens.

Resumindo, com certeza recomendo! Não só esse livro, mas todos da série. Tá no 14º livro e sei que tem mais dois, mas não fiquem com preguiça! Só vou avisando para não confiarem quando dizem que vai acabar a série pq eu achei q Deadly, por exemplo, seria o último haha mas não deixa que estar se encaminhando para o final... Apesar de ter muitas A ao longo da série, tudo vai se encaixando, afinal sempre fica um misteriosinho ou as garotas fazem coisas erradas que comprometem elas. Nunca aprendem!

5 estrelas! 

domingo, 11 de maio de 2014

Promo da Season Finale de Reign

Depois de tantos acontecimentos e o final ameaçador do 1x21 de Reign, foi divulgada a promo da season finale. Postamos aqui a versão americana e a canadense. (Não são legendadas)

(USA)

(Canadá)


Review: Reign 1x21 - "Long Live The King"

Atenção: A resenha abaixo contém spoilers do episódio "Long Live The King", exibido no dia 08/05/2014!

fraryO episódio começa com o retorno de Francis da guerra. Temos então um momento fofo entre ele e Mary se reencontrando depois de tanto tempo, mas não demora para Henry estragar tudo, falando que a rainha da Inglaterra morreu e que devem entrar em guerra para dominarem o trono.

Mary e Francis ficam preocupados, mas antes selam o reencontro. As brigas são passado agora e a saudade que sentiram foi mais forte. Enfim, eles acabam conversando sobre o assunto e Mary já não tem tanta certeza se vai honrar o trato com Henry e reivindicar o trono da Inglaterra. Ao invés disso, ela acab escrevendo uma carta para Elizabeth, mas é interceptada. O casal e Catherine se juntam para discutir o quão sério Henry está sobre voltar à guerra, e enquanto Francis quer tentar se conectar ao pai e convencê-lo à ter calma, Catherine e Mary concordam que Henry é um caso perdido.

Durante uma viagem de caça juntos, conhecemos mais sobre Henry quando ele conta para Francis sobre seu passao. O abandono do pai, o sofrimento e vida independente com o desprezo do pai fizeram ele se tornar quem ele é hoje, Henry demonstra que gostou de conversar com o filho, já que nunca foram muito próximos, e parece concordar finalmente em dar um tempo nas batalhas. Mal sabem que Catherine e Mary resolveram seguir com os planos de envenenar o Henry.

mary catherineEnquanto isso, Lola e Julien parecem ter finalmente uma vida tranquila e sem segredos até que descobrimos mais um segredo do dito Lorde. Descobrimos na verdade é Remi, um secretário do verdadeiro Lorde Julien, que morreu num incêndio. A situação me lembrou de diversos filmes e até de Mad Men, parece ser comum confundirem mortos e as pessoas tomarem o lugar das outras. Enfim, quando o tio do verdadeiro Lorde aparece, Remi entra em desespero e acaba contando tudo para ela, com a finalidade de obter sua ajuda para despistar o tio. Ele declara seu amor, já provado afinal ele ficou lá, mesmo quando sabia que estava se arriscando, porque a amava. Mas óbvio, que não é uma coisa fácil de engolir e, apesar de ajudar na mentira, Lola se mostra irritada com o marido. No final, mas uma morte aleatória acontece, como sempre. Acho que Reign não sabe como matar alguns personagens que estão no caminho. Bom, qual é a bola da vez? O tio descobre tudo, Lola dá um empurrão nele e ele acaba tendo seu pescoço perfurado e morre.

Entendo o sumiço do personagem na série, afinal, Lola vai voltar para a corte agora, e assim os escritores podem criar quanto drama eles quiserem. Fiquei me perguntando como fariam com mais plots fora da corte, já que as ladies irão casar. Ou será que elas vão sumir um pouco? Bom, a verdade é que não iam tirar a Lola tão fácil assim dos problemas dela e ser feliz com outra pessoa, então...

Já Kenna e Bash também tem sua própria história. Bash continua procurando, sempre que pode, pelo "Darkness' e acaba encontrando um garoto na floresta todo sujo de sangue e que parece ser pagão. Pascoal, nome que a criança revela, se dá muito bem com a Kenna, que acaba conseguindo conversar com ele, quando ninguém conseguia. Ele se abre com ela, e gostei de ver um pouco desse lado maternal e protetor da Kenna. Então, eles conseguem o nome de um local onde o tal monstro pode estar, e Bash resolve ir, enquanto manda Kenna para a casa deles longe da corte.

Ela leva Pascoal junto, como uma forma de protegê-lo e dá-lo conforto, mas é claro que fica magoada com Bash, já que o marido disse que iria com ela. Foi fofo ver a declaração aberta dos dois nesse episódio: Kenna se preocupa muito e só quer que ele volte para ela, assim como Bash diz que só quer ficar com ela, mas precisa terminar esse assunto antes. Perto do final do episódio, temos então uma revelação. Investigando mais a fundo o passado do garoto, Kenna descobre que o pai de Pascoal foi morto e, como vimos em um flashback, o culpado é Bash. Wow, ele tentando proteger o garoto e o garoto sabe que foi ele quem matou seu pai. Só consegui pensar no discurso de Bash sobre não pensar muito sobre se o cara que matou para salvar Mary tinha família, pois isso só o deixaria pior. Mas parece que o destino veio a ele, e estou curiosa para saber no que isso vai dar. Achei interessante vermos o fato por outra perspectiva, digamos.

henry






















Voltando ao núcleo principal, Francis avisa a mãe e a esposa de sua vitória com o pai, e eles têm tempo de parar os planos que tinham para Henry. Mas surge um problema: outros tentam matar o rei. Francis fica magoado com a Mary. Óbvio, ela tentou matar o pai dele. Ela tenta falar o porque ela fez o que fez e que queria fazer algo pela França que sabia que ele não conseguiria. Eu sabia que ia acontecer isso, a Mary foi contra a promessa que fez ao Francis e o relacionamento deles seria afetado. O tema confiança entre os dois está complicada, mas o que mais me chamou atenção nessa cena foi o Francis falando que ela parece outra pessoa. 

Desde o último episódio, vemos que Mary ganhou um lado mais frio e calculista, o que me dá um pouco de medo sobre até onde ela vai com isso. Ela está começando a parecer com alguém que conhecemos: a Catherine. Entendo que as vezes é preciso jogar sujo na corte, mas espero que ela aprende que seu outro lado, otimista e generoso, também é bom. Acho interessante termos um pouco dessa discussão, mas espero que ela não ultrapasse os limites. Acredito que Francis a ajude de certa maneira e, vendo pela promo, ele finalmente perceberá que o pai não tem salvação. Além disso, podemos ver que mais uma vez Mary vai se impor de tal forma que até Catherine diz que "preferia a Mary de antes". A resposta da Mary, vocês perguntam? "Muitos irão. Ela era mais fácil de matar".

Percebem com toda a situação que alguém ganharia muito com os acontecimentos: o Duque De Guise, e parece que ele ganhou a confiança de Henry. Não só isso, mas a sanidade do rei parece ter decaído monstruosamente desde que falou com o filho. Henry começa a falar sozinho e chega a conclusão "genial" que a solução para seus problemas seria matar Francis e casar com a Mary. Sim, um momento wtf grandioso. É ai que vemos que ele realmente não tem mais volta, está louco e sem noção da realidade.


O melhor
+Adorei o vestido da Mary (na segunda imagem).
+Momento Frary no começo do episódio.
+Kenna e Bash se declarando, além de Kenna cuidando de Pascoal.
+Lola ajudando o Remi, apesar de tudo.

O pior
-História clichê de Julien, e a morte aleatória do tio do Lorde.
-Argh, a Lola vai voltar para a corte (adoro ela, mas...) e mais drama virá.
-Mary enganando o Francis.

Nota 8,5

promo

sexta-feira, 9 de maio de 2014

Agents of Shield é renovada e Agent Carter aprovada!

Depois dessas semanas todas e especulações quase certas que a série seria renovada, Agents of SHIELD foi finalmente aprovada para sua segunda temporada. A história de Ward então pode não ser totalmente resolvida até a season finale, descobriremos mais sobre o passado de Skye, e as consequências da droga em seu corpo e de Coulson. Com muitas intrigas, traições e ação, a série vem melhorando a cada episódio, além de toda a trama interligada aos filmes da Marvel.

E por falar em Marvel, parece que AoS não são os únicos agentes que terão uma série para eles. Agent Carter foi aprovada pela ABC, com 13 episódios. Lembram da história de Peggy dos filmes do Capitão América? Ela ajudou a criar a Shield e parece ter passado por bastante coisas, enquanto Steve estava congelado esses anos todos. A pergunta que fica é como farão com as duas séries: elas serão intercaladas ou passarão ao mesmo tempo? O fato é que a emissora parece confiante com as séries sobre agentes e devo dizer que estou animada com a possibilidade de mais interações estilo Marvel, que tanto nos fascina.

Fonte.


quinta-feira, 8 de maio de 2014

Review: Arrow 2x22 - "Streets of Fire"

Atenção: a resenha abaixo contém spoilers do episódio "Streets of Fire", exibido no dia 07/05/14

arrow streets of fire

Vídeo promocional da Season Finale de Castle divulgado

A página do facebook da série divulgou hoje um vídeo especial para o nosso querido casal: Beckett e Castle. Os dois vão trocar alianças e tem tudo preparado para o casamento nessa season finale (12/05), mas quem se lembra da Beckett de saco cheio do Castle no primeiro episódio? Eles passaram por bastante coisa nessas seis temporadas e nada melhor do que um vídeo juntando os melhores momentos do casal. Enjoy! #CaskettAlways

video

Review: Agents of SHIELD 1x21 - "Ragtag"

Atenção: A resenha abaixo contém spoilers do episódio "Ragtag", exibido no dia 06/05/2014!



















Review: New Girl 3x23 - "Cruise" (Season Finale)

Atenção: A resenha abaixo contém spoilers do episódio "Cruise", exibido no dia 06/05/2014!

cruise

quarta-feira, 7 de maio de 2014

Review: Castle 6x22 - "Veritas"

Atenção: A resenha abaixo contém spoilers do episódio "Veritas", exibido no dia 05/05/2014!

veritas

Antes do episódio, temos um retrocesso do caso da mãe da Beckett e podemos perceber que haverá finalmente um avanço no caso. Como sabemos, o senador Bracken está se candidatando à presidente e está usando o dinheiro sujo de um traficante, Vulcan Simmons. Agora, o começo mesmo do episódio, vemos Beckett seguindo um cara que parece estar ligado ao caso, Jason Marks, que entra em um carro suspeito, mas não vai muito além e se restringe à tirar fotos. Logo na manhã seguinte, percebemos que Castle está fora da cidade e meu primeiro pensamento foi se a Kate estava fazendo aquilo sozinha de novo, mas adorei ver que os dois estavam trabalhando nisso juntos. Rick fica preocupado com a noiva, afinal é um tanto perigoso ficar perseguindo caras perigosos às uma da manhã.

Então, Beckett recebe um telefonema da delegacia com um novo assassinato para desvendar, e adivinhem de quem: Jason Marks. Assim que ela vê o corpo sabe que quem quer se tenha pegado o rapaz de carro na madrugada, foi quem o matou. Claro que ela não pode falar sobre sua experiência, mas consegue que eles aumentem o perímetro de buscas já que sabe que podem encontrar fotos do tal carro. Ela logo liga para o Castle e precisa urgentemente de uma maneira de lidar com a situação.

Descobrem então algo mais surpreendente: Vulcan Simmons é quem estava atrás do volante do tal carro. Nosso querido escritor vê ali talvez uma oportunidade de tentarem tirar informações do criminoso que apontem para Bracken, mas antes que possam fazer alguma coisa, Gates resolver tirar Kate do caso. Próxima cena: Kate está fissurada mais uma vez e resolve ir atrás do tal carro, que seria evidência irrefutável na culpabilidade de Vulcan Simmons. Tudo que eu conseguia pensar é que essa ideia não era nem um pouco boa. Kate acaba encontrando o criminoso e tudo o que sabemos é que no dia seguinte ele aparece morto. Ninguém sabe que Beckett esteve ali, além do Castle, claro, mas logo aparecem provas à incriminando.

caskettE a partir dai, tudo é uma montanha-russa de emoções. Beckett está fugitiva e Castle, após ser dispensado da delegacia, conta a conexão de tudo para Esposito e Ryan, que prometem ajudar. O casal se encontra e tentam pensar em formas de provar a culpa de Bracken, já que o acordo dele com a Beckett não vale mais (ele sabe que ela blefou ao falar que tinha o arquivo incriminatório). Eles descobrem alguém que pode ajudá-los e descobrem a existência de uma fita que pode acabar com tudo aquilo. A busca é incessante e Kate até encontra com Bracken mais uma vez e seus capangas tentam matá-la. Nessa cena, eu achei um pouco aleatório o fato dele estar ali, afinal é arriscado demais para um candidato à presidência resolver esses assuntos com as "próprias mãos", maas... Acabou que não fez muita diferença, porque ele não demorou muito. Kate, apesar de tudo, mantém em mente uma frase que sua mãe sempre dizia, e que está em seu túmulo: "vincit omnia veritas" ('a verdade conquista tudo').

Enquanto isso, vemos que Esposito e Ryan tentam ajudá-los e acabam contando tudo para Gates em busca de mais um aliado. Nesse episódio, temos também um flashback (raro na série) da Beckett visitando pela primeira vez o caso da mãe e conhecendo Montgomery. A lembrança acaba ajudando-a com sua última tentativa de encontrar a fita, sendo sua última esperança quando estavam já fugindo da cidade. No final, quando tudo parece ter dado errado, temos uma simples aposta de Kate, que dá certo.

Esse episódio com certeza se sobressaiu ao resto desse final de temporada. Enquanto houveram casos divertidos, leves e até um pouco surpreendentes, foi maravilhoso ver a conclusão de um caso tão importante na vida da Beckett (e do Castle). As lágrimas no rosto da detetive me fizeram chorar (não falarei se foram de felicidade ou não - mínimo de spoilers) e acredito que era tudo que ela precisava para se livrar do peso que a tanto tempo levava consigo.

[SPOILER SOBRE O FINAL]

caskett
créditos
Foi um momento muito grande de vitória, depois de tudo que acompanhamos com a Beckett: Montgomery ter sua culpa e sua morte, Kate quase cair de um prédio, as mentiras de Castle para protegê-la, Smith ajudando secretamente e morrendo pouco antes de falarem com ele (apesar de descobrirem ser mentira), proteger o assassino de sua mãe, a falta de esperança e o sentimento de impotência frente à alguém tão importante. Tudo isso foi recompensado no final e ver nos olhos de Kate o alívio de finalmente justiçar a morte de sua mãe foi uma cena muito bonita. Principalmente quando ela fala que não poderia ter feito isso sem o Castle; afinal, lembram quem foi o enxerido que resolveu ajudá-la à reabrir o caso? E o apoio moral então, nem se fale.

Fiquei surpresa com a conclusão de tudo nesse episódio, mas acho que foi na hora certa. Beckett vai se casar, e apesar de não ter a mãe ali nesse momento especial, ela sabe que Johanna está orgulhosa dela, como Castle disse, e nossa detetive pode aproveitar o grande dia mais ainda agora. A importância que os elefantes tiveram no caso foi brilhante, mas devo dizer que deve ter dado uma raiva ter estado esse tempo todo tão perto e não saber. Metáfora, talvez? O fato é que a simbologia está ali e percebemos que Johanna realmente confiava na filha, e deixou a prova para pegarem seu assassino com a família.


O melhor 
+Amei ver como Beckett e Castle estão unidos em resolver o caso.
+A abordagem ao caso mais uma vez e a cena final foram ótimas.
+Gates, Kevin, Esposito e Lanie tentando ajudar os nossos fugitivos.
+O lema da mãe de Beckett, gravado também em seu tumulo (detalhe sutil, que eu não tinha percebido ou conectado antes de ler sobre isso).
+O apoio do Esposito e Ryan até quando são levados de volta pra delegacia.

O pior
-Ideia nem um pouco esperta do Bracken se encontrar com a Beckett, mesmo que não tenha sido pego por causa disso.
-Pouca participação do Ryan e Esposito no caso, apesar de eu entender que não havia muito o que eles fazerem.
-O flashback feito com o cabelo atual da Beckett. Eu sei que é exigir demais, mas não parece verídico. A não ser que a Kate tenha cortado e pintado o cabelo, depois do flashback. 

Nota 9,5

*eu pus um link da personagem, Johanna Beckett, para lembrarem do caso todo, mas infelizmente só achei sites em inglês.

 
UA-48753576-1