Image Slider

sábado, 30 de janeiro de 2016

Spoiler Zone: Agent Carter, Arrow e The Vampire Diaries

O mundo dos spoilers está meio parado essa semana, mas temos coisas bem interessantes para acontecer! 

agent carter tvd arrow

Agent Carter

Fã: Nós veremos mais da Dottie na série?
EW: Muio em breve. E você ficará surpreso em saber que Peggy pode usar Dottie em seu conflito com Whitney Frost, apesar de isso não significar que Carter confia nela. "Dottie não tem empatia, e isso é incrivelmente perigoso, porque significa que ela é meio doente," Hayley Atwell (Peggy) disse. "No entanto, Peggy não pode negar que ela pode ser bastante valiosa. As duas no fundo sabem que isso é um jogo psicológico entre as duas." 

Arrow

Fã: O que está por vir para Laurel?
EW: Na verdade, ela terá um grande papel na missão para derrotar Damien Darhk. "Laurel será realmente crucial para pegarem Damien Darhk e acabar com os planos dele," a produtora executiva Wendy Mericle deu uma palinha do que está por vir. "Estamos muito animados porque ela será uma peça-chave do plano, e não era focado em ação."

The Vampire Diaries

Fã: O que você pode nos falar sobre o tempo de Damon na Pedra Phoenix?
EW: Você já viu o filme Feitiço do Tempo? A Pedra Phoenix é bem parecida. Só vou acrescentar falando que o momento terrível que Damon revive chega a conclusão que deixará vocês de queixo caído - e não só por ele, mas por todo mundo. 

Se quiser, vejam mais, em inglês, na EW.


Mariana Oliveira Sou estudante de Publicidade, Beatlemaniaca e Coldplayer. Toco piano e praticamente vivo de séries e livros. Estou sempre à procura de mais uma série, afinal nunca é demais.

sexta-feira, 29 de janeiro de 2016

Review: Agent Carter 2x03 - "Better Angels"

Atenção: A resenha abaixo contém spoilers do episódio "Better Angels", exibido no dia 25/01/2016!

agent carter 2x03

Howard voltou! Depois dos eventos do episódio passado, Peggy continua a investigar o laboratório (Isodyne Energy) e a conspiração por trás dele que resultou no desaparecimento de Dr. Wilkes. Assim, ela pede a ajuda de Howard para investigar a fundo o que significa a Matéria Zero e acaba se deparando com o clube de elite que Chadwick (Arena Club) faz parte e controla boa parte da imprensa de LA. 

O problema é que Jack está de volta e não torna as coisas nada fáceis. Thompson, como sempre, fica no vai e vem. Sua sede por poder e ser aceito faz com que ele queira mudar o relatório da Peggy e incriminar Wilkes como comunista. Eis que, depois de Carter dizer algumas verdades, ele decide que não vai mostrar a filmagem da explosão que criou a Matéria Zero para o FBI. No entanto, basta eles descordarem mais uma vez e Peggy mencionar o fato de ele sempre querer os créditos de tudo, que lá se vai Jack atrás do FBI entregar as evidências, que provavelmente serão enterradas para nunca serem vistas (me diz que alguém fez uma cópia). Ele fica nesse conflito entre a moral e o poder, mas o problema é que sempre escolhe simplesmente facilitar um sistema sujo ao invés de lutar contra ele. Sério, ninguém merece. Ainda mais com os comentários machistas...  

agent carter 2x03

Por mais que Peggy conte tudo que viu e ouviu, sem provas, Jack nem deixa ela prosseguir com as investigações. Ou melhor, ele acha que não deixa, porque Peggy tem seus planos. Acho que, apesar de conhecer Wilkes por tão pouco tempo, Peggy se sente muito responsável pelo que aconteceu. Sim, ele era um civil que se arriscou demais indo até o laboratório roubar a Matéria Zero, mas é mais que isso. É impossível não ver o paralelo da história dela com Steve. Peggy se deixou abrir para um possível relacionamento de novo e saiu magoada, isso com certeza a afetou. Ela se arriscou das duas formas e os resultados não foram nada bons. 

E se você achava que iria demorar mais para Peggy descobrir sobre a conspiração do Arena Club, engano seu (e meu). Peggy, com a ajuda de Stark e Jarvis, consegue entrar no local em que se reúnem e chega a descobrir até a sala de reunião do clube. Ela vê, inclusive, evidências de como manipulam eleições e fatos dados nos jornais. No entanto, Jack não quer dar o braço a torcer e exige que Peggy volte para Nova Iorque. Ao invés disso, Peggy descobre algo extraordinário. Quando Sousa vai atrás dela para oferecer ajuda, ele percebe que suas chaves e metais estão levitando em volta de Peggy.

Pensando que é algum efeito da Matéria Zero, os dois vão atrás de Howard e, sem querer, descobrem finalmente que destino teve Jason Wilkes. Admito que a história de toda a explicação química para poderem vê-lo e falar com ele, principalmente, eram meio irreais demais, mas estamos em um universo com poderes, então vou relevar. A notícia boa é que ele está vivo e bem, na medida do possível. O problema agora é descobrir como fazer ele ficar visível de forma permanente (o que parece que conseguem rapidamente) e ele ganhar massa, já que continua literalmente intocável.

agent carter 2x03

Peggy continua em sua luta para descobrir mais sobre a conspiração, mas entre um momento e outro, ela se encontra com Wilkes e eles tem suas cenas fofas. Eu diria que eu gosto do casal, mas sinto que os escritores estejam querendo empurrar um pouco as coisas. Ainda estamos no 2x03, então vamos ver o que acontece, ainda temos tempo. Enquanto isso, Wilkes, apesar de não querer causar mais problemas, decide que vai ficar e tentar achar uma cura para seu problema. (Adoro como a Peggy o dá valor e empodera seu talento na profissão).

Rapidamente, Peggy também descobre sobre Whitney Frost - afinal, Jason estava lá, não é mesmo? - e vai atrás dela averiguar os fatos. O papo não dá em nada, mas serve para deixar Frost receosa quanto a quantidade de informações que Peggy tem sobre ela. A futura Madame Masque chega a mandar um assassino atrás de Peggy com a ajuda do marido, mas Jarvis salva o dia (ou ajuda, pelo menos).

Por falar em Frost, vemos o desenvolvimento de seus poderes também. Com uma "rachadura" em sua testa, podemos perceber que a Matéria Zero parece estar impregnada dentro da atriz. Até ai tudo bem, ela vive tentando esconder atrás de sua franja sem muitos problemas, até que - acredito que seja - seu empresário descobre e, quando menos se espera, ela o absorve com a gosma preta. É, bem louco. O pior de tudo é que a "rachadura" aumenta. Só quero ver como ela ficará se mais um incidente desses acontecer. A "rachadura" abriria até onde? Como ela poderá continuar a esconder isso? Será que o marido ainda não percebeu?

agent carter 2x03

Por fim, perceberam os paralelos do episódio com o universo Marvel? Peggy menciona filmes feitos a partir de quadrinhos e ainda extravasa no boxe como Steve em Capitão América, Jarvis fala que não gostaria de ser apenas uma voz sem corpo e Howard menciona que quer fazer fondue (assim como no primeiro filme do Capitão América). Fica o link como dica. 


O melhor
Howard fingindo ser professor e explicando os efeitos da Matéria Zero foi divertido.
Jarvis tentando salvar Peggy do ataque na piscina. Os dois são sempre uma ótima dupla.
Descobrimos sobre Jason!
Os poderes de Whitney Frost.
Voto em Howard fazer um filme com a Peggy como cowboy.

O pior
Jack Thompson.
Quero saber como o poder da Whitney vai se desenvolver já que está tão visível. E esse marido, hein?

Nota 8,5

Mariana Oliveira Sou estudante de Publicidade, Beatlemaniaca e Coldplayer. Toco piano e praticamente vivo de séries e livros. Estou sempre à procura de mais uma série, afinal nunca é demais.

WTF is... Jessica Jones?

jessica jones netflix

Jessica Jones é muito mais do que uma simples série de superheróis. Sendo mulher, é sempre bom ver cada vez mais superheróinas assumindo papeis importantes e sendo colocadas como protagonistas de suas histórias. Admito que ainda temos que melhorar, mas adoro ver o avanço. Assim, Jessica Jones me chamou atenção e de muita gente. A personagem não é tão conhecida quanto Steve Rogers ou Tony Stark, mas valia a pena. Eu mesma conhecia pouco, só mesmo por ler os evento da Guerra Civil dos quadrinhos. 

Como alguns devem saber fizemos um top 5 das melhores temporadas de 2015 e não foi uma surpresa ver Jessica Jones na lista. Já falei um pouco sobre a série, mas vou me aprofundar. A história geral da série? Bom, Jessica Jones (Kristen Ritter) é uma mulher que tem como poderes uma força gigante e seus famosos "saltos", já que ela mesma diria que não adequam ao termo 'voar'. Jessica trabalha como investigadora particular e acaba tendo que enfrentar os problemas no passado que a assombram - diretamente ligados ao vilão da temporada: Kilgrave (David Tennant). O poder dele? Controlar as ações de todas as pessoas só pelas palavras.

A série
Como mais uma parceria entre Marvel e Netflix, muita gente deve ter relacionado a série a Demolidor, até porque se passa no mesmo universo (tivemos inclusive um personagem de Demolidor dando uma passada e conhece a Jessica, para a alegria dos fãs). Por mais que vocês queiram comparar, não façam isso. A proposta de Jessica Jones é diferente, muitos considerariam mais "parada", sem tanta ação, mas, acreditem, tem bastante. 

Jessica Jones 

Acredito que a série seja um tanto pessoal. Jessica nunca quis ser uma heroína ou que as pessoas a vissem dessa forma, mas ainda assim ela se importa com as pessoas a sua volta. Ela não é o tipo de pessoa que deixaria outra morrer ou ser presa por um crime que cometeu e não tinha consciência disso. A série toda é uma grande viagem emocional que foca em um assunto bem importante: relacionamentos abusivos. No momento, Jessica só está tentando conviver com as coisas que fez sob a influência de Kilgrave e, acreditem, não consigo nem imaginar como deve ser viver com essa batalha interna quando se está sendo controlada por alguém. 

O que o Kilgrave fez com todas aquelas pessoas não é legal, não está ok, não importa o que ele fale. Acreditem, ele pode ser bem persuasivo. Depois de tanto refletir sobre a série e tudo que nos ensina.... é maravilhoso. A forma como empodera a todos que estejam em uma situação parecida, porque, acreditem, temos uma história real sendo contada - com ou sem poderes. 

E, relaxem, temos alívio cômico e até romance nessa história toda. 

Trish e Luke 

Por isso, separei um minutinho para falar desses dois. Trish é a melhor amiga de Jessica e irmã adotiva. Está aí mais um exemplo de outra mulher forte nessa série. Trish sofreu muito com a mãe e percebemos o quanto a conexão entre Trish e Jessica é forte. As duas aprenderam a se cuidar desde a adolescência e lutavam juntas para se defender dos perigos do mundo, cada uma da sua maneira. Acreditem, Trish pode não ter poderes, mas fez questão de aprender a lutar e nunca depender de ninguém para certas coisas. Amei ver a amizade das duas e como Trish talvez seja a única a amolecer um pouco o coração da Jess.

marvel's jessica jones

Luke é nosso superherói da história e par romântico de Jessica. Nos quadrinhos, os dois tem uma história longa juntos. Fica a dica porque tanto Luke quanto o Punho de Ferro terão suas próprias séries, e ainda teremos Os Defensores, com o quarteto Netflix/Marvel (sim, Demolidor está dentro). Fãs já podem ir à loucura. Enfim, Luke é um ótimo personagem exatamente por ter poderes também e entender o que se passa com Jessica, ainda mais com a ligação entre os dois que descobrimos. É por meio dele que vemos Jessica enfrentar alguns medos e receber ajuda - coisa tão difícil para ela.
  
marvel's jessica jones

Kilgrave 

Por fim, o vilão. O ex-Doctor deixou todos os fãs de Doctor Who com crise de identidade, sem saber como separar os dois personagens icônicos. Kilgrave pode ser a pior pessoa do mundo e ter feito coisas terríveis, mas preciso parabenizar David Tennant. Toda dissimulação e manipulação do personagem foi muito bem construída. Kilgrave a discussão do consentimento, da infância ruim que cria adultos como ele e de como nada disso é uma desculpa.

marvel's jessica jones
"Diga que me ama"
Ótimos atores que deram vida tão bem para cada personagem, um bom tema para se discutir, uma história para se contar. Uma série muito boa, vai lá conferir!

Se quiserem ver mais sobre isso, encontrei esse vídeo mais técnico falando sobre a série!


Mariana Oliveira Sou estudante de Publicidade, Beatlemaniaca e Coldplayer. Toco piano e praticamente vivo de séries e livros. Estou sempre à procura de mais uma série, afinal nunca é demais.

Review: Arrow 4x11 - "A.W.O.L"

Atenção: a resenha abaixo contém spoilers do episódio "A.W.O.L", exibido no dia 27/01/16.

arrow 4x11
 
Sempre depois que me depciono com Arrow vem um episódio maravilhoso, e foi exatamente o caso do 4x11. Apesar do episódio passado não ter sido ruim, ficou faltando uma coisa principal: o POV da Felicity, e é isso que temos aqui. O episódio é inteiramente dividido em duas partes: Diggle e Felicity. A parte do Diggle pegou até os flashbacks, o que foi um alívio, porque, por mais que os flashbacks nunca sejam a melhor parte dos episódios, os do Oliver na ilha esse ano estavam realmente um saco, então foi bom dar um tempo neles.

O episódio já começa sendo ótimo, John e Lyla estão passeando, sendo o casal fofo que eles são, quando um agente da ARGUS aparece de repente, pedindo a ajuda de Lyla e é sequestrado bem na frente dos dois, sendo depois assassinado e abandonado na rua. Apesar de Lyla não fazer mais parte da ARGUS, os dois vão até Waller para tentar descobrir o que aconteceu, e ela passa um pendrive com informações sobre uma organização mercenária, a Shadowspire. Isso acaba se conectando com o passado do Digg, pois ele conheceu várias pessoas dela enquanto estava no exército com seu irmão, que aparentemente fez alguns trabalhos para eles. Dessa vez os flashbacks até chegam a algum lugar, mostrando que o líder da Shadowspire é aquele cara dos flashbacks do Oliver, então quem sabe a gente não vai ver um pouco mais deles no futuro?

John e Andy já estavam começando a se conectar um pouco mais e esse episódio serve para firmar ainda mais a relação entre os dois. Dessa vez, quando John vai lá brigar com o irmão, dizendo que ele estava trabalhando para o Shadowspire e tudo mais, Andy nem luta muito e revela essas informações sem muito problema, ao contrário do que fez com a HIVE que demorou mil episódios para conseguir dizer qualquer coisa relevante.

Ao longo do episódio, o Team Arrow vai atrás do Shadowspire, tentando impedi-los de cumprir seus planos, e apesar dos avisos de Andy, acabam sendo enganados, e enquanto Oliver, Thea e Laurel estão lá em um outro lugar esperando eles aparecerem para pegar umas armas, Shadowspire invade a ARGUS, onde se encontram várias agentes, Waller, Lyla e os dois Diggles.

arrow awol

Se esse episódio serviu para alguma coisa foi para mostrar que a Lyla deveria estar em todos episódios, porque ela arrasou totalmente, como sempre, né. Enquanto John e Andy estão em uma outra sala, tentando contatar o Team Arrow e bolar um plano, todo o resto está sendo morto e ameaçado, até a Waller revelar um código lá super importante. Waller, é claro, não se abala com a morte de seus colegas, e quando Lyla diz isso, a Shadowspire vai lá e... Mata a Waller! Como assim??? Que falta de respeito! Nunca fui a maior fã da Waller, e sei que a morte dela deve ser só por conflitos contratuais por causa do filme de Suicide Squad, mas mesmo assim, podiam ter deixado ela só ir embora, sei lá, não precisava matar. Só espero que a Lyla assuma a ARGUS agora, principalmente porque ainda estou tentando entender de que emprego John e Lyla sobrevivem. Mistérios.

Depois que Waller é morta, tudo passa a ficar nas mãos de Lyla, que aparentemente também tem o tal código, porque era a agente mais amada pela Waller. Isso a coloca em grande perigo, o que faz John e Andy precisarem agir rápido. Depois de ter chamado já o Team Arrow através de um sinal de TV, dica da Felicity, John e Andy bolam um plano, fazendo com que a Shadowspire acredite que Andy estivesse em seu lado para depois,todos juntos lutarem contra eles.

Achei bem interessante que o Andy resolveu ajudá-los e as cenas deles lutando contra o Shadowspire foi bem interessante. Felicity bloqueou as tentativas de Lyla colocar o código o suficiente para o resto do Team chegar e impedir todo mundo, com a ajuda dos três Diggles.

Depois de derrotar a Shadowspire, Diggle pensa bastante sobre o que fazer com o seu irmão e resolve libertá-lo se sua mini-cela, levando-o para sua casa, em um tipo de prisão domicilar, pelo o que eu entendi. Eu não confio nem um pouco no Andy, ele pode até ter sido legal nesses últimos episódios, mas achei bem suspeito e tenho certeza que ele vai acabar traindo todo mundo eventualmente. A única coisa boa disso é que nós finalmente revimos a baby Sara, que já cresceu muito desde a última vez que apareceu na série! Espero que com o Andy ali, nós vejamos mais os Diggles, porque eles são uma verdadeira preciosidade e merecem mais destaque do que um ou dois episódios por temporada.

felicity alucinação 4x11

Enquanto tudo isso acontece, Felicity tem que lidar com seus próprios problemas. Ela descobriu que perdeu os movimentos das pernas no episódio passado, mas nós nem a vimos reagir a isso. Nesse episódio, nós não exatamente vemos isso, mas pelo menos ela demonstra algum sentimento de luto por tudo o que não vai mais poder fazer, além de muitas vezes disfarçar com humor.

Ela está um pouco receosa sobre voltar para o Team Arrow, o que faz bastante sentido, considerando que ela acabou de passar por um evento traumático e está tentando lidar com isso ainda. Ela diz que precisa de um tempo e fica em casa – que, por sinal, precisa urgente de se tornar mais acessível, como assim eles moram em um apartamento em que a Felicity não consegue ir da cozinha para o próprio quarto sozinha??? Gente, isso não é prático – e é quando ela começa a ter alucinações por causa da quantidade de remédios pra dor que tomou.

Acho alucinações sempre um jeito bom de demonstrar conflitos e diálogos internos em séries desse tipo, apesar de provavelmente não fazer muito sentido medicamente a Felicity ter uma alucinação desse tipo, é uma boa técnica para nos levar para dentro de sua mente. Felicity vê ela mesma como era há alguns anos, estilo gótico, cabelo preto e revoltada com o mundo, igual vimos no flashback da temporada passada. Sua alucinação fica dizendo coisas malvadas~ para ela, sobre como aquela não era a verdadeira ela e que ter tentado ser uma heroína só fez com que ela perdesse os movimentos da perna, que a Felicity Gótica era a verdadeira Felicity e tudo mais.

Felicity fica muito estressada com a alucinação, e quando Oliver liga para pedir ajuda, ela inicialmente consegue hackear os sistemas do outro lugar facilmente, mas logo começa a se atrapalhar. Honestamente, já é muito surpreendente que ela tivesse conseguido fazer qualquer coisa, porque é difícil se concentrar quando se está alucinando. Mas isso só faz a Felicity se sentir pior, como se ela não conseguisse mais fazer nada e inclusive chega a dizer para o Oliver que ela ia sair do Team Arrow, logo antes de perder a paciência e mandá-lo embora, quando na verdade estava falando com a alucinação.

Por mais que eu tenha adorado a parte das alucinações, eu achei que elas poderiam ter sido melhor trabalhadas. Muitas das cenas foram um pouco repetitivas, quando poderiam ter explorado um pouco mais o que a Felicity estava sentindo no momento, porque a perda das pernas fez com que ela sentisse que aquele não era mais o eu verdadeiro dela. Além disso, nós não a vemos resolvendo o conflito, uma hora ela está estressada com a alucinação e depois ela simplesmente decide que ela é ela mesmo e supera isso, indo até o novo esconderijo. Senti falta de uma cena dela confrontando a alucinação e chegando a essa conclusão, teria sido mais satisfatório.

arrow 4x11

Mas tudo bem, eu sei que eles têm um tempo limitado na televisão e esses conflitos são assim mesmo, duram um episódio e acabam, então fico bastante feliz com o que temos. Principalmente porque esse episódio proporcionou algumas das cenas mais fofas entre Olicity, para tentar compensar a falta de cenas de semana passada. Finalmente temos os dois dizendo “Eu te amo” ao mesmo tempo, além de vermos os dois tendo ótimos discursos.

Depois que Felicity chega a conclusão que ela deveria voltar para o Team Arrow, ela diz sobre como ela mudou e realmente se tornou quem é hoje, e que ela quis fazer parte do grupo de vigilantes para tornar o mundo melhor e que eles vão parar o Darhk não por vingança, mas porque é o que eles fazem, inclusive ela acalma Oliver dizendo que o que aconteceu não foi culpa dele, apenas do Darhk. Realmente, foi um discurso muito bom, Oliver ficou até com lágrimas nos olhos no final, porque ele é a pessoa mais fofa.

E finalmente Felicity ganhou um codenome: Overwatch. Não achei o melhor, mas pelo menos é algum, e o Oliver já tinha chamado ela assim nos quadrinhos da temporada 2.5, então pelo menos teve continuidade. E achei lindo que foi o Oliver que tinha escolhido, imagino ele pensando em vários até escolher o que combinava mais.

Em uma das cenas finais do episódio, vemos Oliver e Felicity juntos em casa, e Felicity resolve queimar uma foto dela gótica, não sem antes mostrar para o Oliver como ela se vestia. Sempre quis ver a reação dele, e achei ótimo, mas sério, Oliver, você nem pode falar nada sobre estilos ruins, porque seu cabelo era horrível antes. Foi uma cena maravilhosa, e voto para todo episódio acabar com os dois em casa, eu amo demais esse sentimento de domesticidade.

A única coisa que me incomodou um pouco foi o discurso do Oliver sobre querer arranjar um jeito dela andar de novo, senti que era um pouco contraditório com não viver em negação. Eu sei que eles provavelmente vão achar uma cura mesmo até o final da temporada, mas eu acho que seria uma coisa se isso partisse da Felicity querer andar de novo e fazer uma cura, mas o Oliver falar sobre isso, me passa a impressão errada. Mas, com tantos momentos lindos, é fácil esquecer esses detalhes.

O Melhor:
+ Oliver e Felicity!! Todas as cenas deles!
+ Diggle e Lyla continuam sendo muito fofos!
+ BABY SARA
+ Conversa entre Laurel e Oliver foi surpreendentemente legal?
+ Toda história com o ARGUS/Shadowspire foi bem interessante
+ Alucinações da Felicity e explorando um pouco mais o que ela pensa
+ Discursos da Felicity
+ Felicity ganhando um codinome
+ Sem flashbacks do Oliver!

O Pior:
- Tenho certeza que o Andy vai trair todo mundo
- Para que matar a Waller?
- Oliver dizendo que quer que a Felicity ande de novo
- Alucinações podiam ter sido um pouquinho mais aprofundadas
- FALTA DE ACESSIBILIDADE EM TUDO! Eu sei que eles não podem simplesmente mudar o cenário e aquela casa já está estabelecida, mas vocês não tem noção de como está me incomodando pensar em uma cadeirante morando em uma casa de dois andares sem conseguir chegar no próprio quarto!


Nota: 9,0


quinta-feira, 28 de janeiro de 2016

Review: The Flash 2x11 - "The Reverse-Flash Returns"

Atenção: a resenha abaixo contém spoilers do episódio "The Reverse-Flash Returns", exibido no dia 26/01/16.

the flash 2x11

Minha animação por The Flash é tanta que semana passada eu inclusive esqueci de assistir o episódio. Em minha defesa – e da série –, eu estava viajando e tinha acabado de voltar do hiatus, mas agora estamos de volta com a nossa programação normal.

Esse episódio foi dividido em várias partes e remeteu bastante à primeira temporada, principalmente por causa do vilão dessa semana: Eobard Thawne, o Flash Reverso. Ué, mas ele não tinha sido deletado da linha do tempo e parado de existir? É, se The Flash funcionasse com uma linha do tempo que fizesse sentido, toda aquela história teria criado um paradoxo enorme – que foi o que eu mesma disse na minha review do season finale – então esse episódio foi o jeito que eles encontraram para finalmente explicar o que aconteceu e como nada mudou.

Não sei se eu diria que eles conseguiram explicar direito, porque honestamente não entendi nada do que o Harry disse sobre timelines, mas pelo menos eles tentaram e o que vale é a intenção. Tudo o que precisamos saber é que apesar do sacrifício do Eddie ter feito o Eobard parar de existir, ele só parou de existir depois daquele momento mesmo, porque ele tinha nascido depois daquele evento e aquilo continua intocado. Por esse motivo, o Eobard do futuro pode muito bem voltar ao passado, depois da “morte” dele e concluir uma linha do tempo que já estava existente. Fez algum sentido? Não, mas a gente perdoa.

Para mim, o mais interessante mesmo foi ver essa origem do Eobard, várias perguntas tinham ficado em aberto depois de temporada passada e eu já tinha me conformado que nunca seriam respondidas, mas foi bom saber que eu estava errada. Vemos Eobard surgindo no presente, aparentemente pela primeira vez, sendo esse o momento que ele descobre de quando o Barry é. Ele quer voltar para o seu tempo, mas para isso ele sequestra a Dr. McGees, que está sempre sendo roubada ou coisas assim, não sei como não sei mudou ainda, obrigando-a a fazer um portal do tempo para ele.

Com a ajuda do Cisco, Barry consegue prender Eobard e salvar McGees, mas por motivos que serão em breve explicados, ele precisa deixá-lo ir, mas não sem antes fazer uma pergunta: por que afinal Eobard quer tanto matar Barry? A explicação é bem fraca, para variar, mas não sei se teria alguma explicação boa o suficiente, para falar a verdade. Eobard era fascinado com o Flash, queria ser ele, quando descobriu que não podia, resolveu ser totalmente o contrário e virar o Flash Reverso e aí matar o Flash. É só isso. Um pouco sem graça, mas para quem não estava esperando resposta nenhuma, pelo menos é alguma coisa.

the flash the reverse flash returns

Outra parte bastante interessante do episódio foi o avanço nos poderes do Cisco. Até o momento era bastante confuso o método dele vibe~, às vezes funcionava direto, às vezes não, ninguém tinha entendido direito a lógica. Mas é então que Harry aparece com a solução: ele é movido por adrenalina, ou algo assim, então quando ele fica com medo e emoções fortes, ele consegue ter acesso a esses poderes mais facilmente. Achei legal, só não sei como o Cisco mesmo não percebeu isso antes, porque me pareceu meio idiota.

Harry resolve então achar uma solução e monta um óculos super tecnológico para Cisco que faria com que ele pudesse acessar essas visões dele mais facilmente. Confesso que nunca consigo entender direito qual é a do Harry, ele teoricamente está meio do lado do mal, espião do Zoom e sabotando tudo secretamente, mas aí ele chega e fica sendo legal quando nem precisava, ajudando o Cisco? Se decide, cara, eu tenho uma visão do mundo muito preto e branca não consigo lidar com isso, ok.

Mas, tudo bem, dilemais morais à parte, depois que Cisco coloca o óculos, ele consegue facilmente acessar suas visões e vê uma cena de Eobard matando a Dr. McGees e depois voltando pro tempo dele. Só um detalhe: isso só aconteceu no futuro, aparentemente, além de tudo, Cisco consegue ver o futuro! É claro que eles resolvem impedir isso tudo de acontecer, sem nem parar para pensar. Você pensaria que depois de todos os avisos sobre não mexer com o tempo e não mudar nada que possa alterar o futuro que o Barry deu em Arrow, eles já saberiam que isso não daria certo, mas só porque dessa vez eles não voltaram ao passado e sim viram o futuro, acharam que estava tudo bem mudar o futuro.

Obviamente, não estava. Depois que Barry vai até lá, prende Eobard e salva McGees, ele muda o que aconteceu e Cisco começa a sentir os efeitos, com o clássico Sangue no Nariz, um típico sintoma encontrado em séries. Eles logo percebem o motivo e sabem que precisam mandar Eobard embora, o que deixa Barry bem conflituoso, porque ele ainda sente muita raiva e quer se vingar.

No fim, é claro que Barry acaba ajudando a mandá-lo de volta mesmo e Cisco consegue se recompor, tudo fica bem. Só fico um pouco confusa sobre a McGees, que era pra ter morrido na linha do tempo original, mas está viva, como é que isso não altera nada?

patty spivot 2x11

Além de tudo isso acontecendo, ainda tivemos Patty indo embora da cidade. No episódio passado, ela tinha dito pro Barry que ia se mudar, depois de ter brigado com ele e ficado bastante chateada, dizendo que ia realizar seu sonho de ser CSI e tudo mais. Barry aceitou tudo numa boa, sem nem tentar convencê-la a ficar, o que é claro não foi a postura certa. Patty fica bem chateada com a aceitação dele de simplesmente deixá-la ir embora, e até tenta fazer com que ele se abrisse um pouco mais, mas nada.

É entào que ela descobre que ele é o The Flash, só fazendo pesquisa mesmo, porque, convenhamos, não é um segredo muito difícil. Inicialmente ela tenta confrontar Joe sobre esse assunto, ele mente para encobrir o Barry, mas está muito na cara, e só faz com que Patty fique mais irritada. Joe avisa o Barry pra contar a verdade, mas desde o aviso de Harry no episódio passado, ele está determinado a não deixar que ela soubesse sobre sua identidade secreta, entrando mais uma vez na onda de mentir para proteger. Será que esses personagens não aprendem nada? Achei que depois da Iris descobrir, nós fôssemos parar com essa história, mas ela parece não ter fim.

Patty chega até a diretamente confrontar o Barry, dizendo que sabia que ele era o Flash, que ele devia simplesmente admitir e que ela perdoava ele por tudo o que tinha feito e ficava em Central City, basicamente dando uma última chance, e Barry simplesmente diz que não é o Flash e deixa ela ir embora, assim! Quando está indo embora de trem, Patty liga para Barry, fingindo uma emergência, fazendo com que ele aparecesse como Flash, uma última confirmação de suas suspeitas.

Fiquei bastante chateada com esse final, gostava da Patty e achei esse término deles muito desnecessário. Espero que ela volte pelo menos em algum outro episódio, porque não é justo esses personagens nos abandonarem assim. Eu sei que ela era para ser apenas um interesse romântico temporário, mas por que eles tiveram que fazê-la tão fofa?

Pelo menos, agora que Patty foi embora, Eddie está morto, e essa storyline com a mãe da Iris está acabando, espero que eles finalmente tentem continuar com Westallen. Se esse é o objetivo final deles, é melhor os escritores começarem a caminhar para chegar lá, construindo de novo um romance, já que eles parecem ter abandonado esse lado totalmente.

the flash 2x11

Por fim, ainda tivemos a parte da história dos Wests avançando ainda mais. A relação entre todos os membros dessa família ainda continua um pouco estranha, depois de tantos anos de separação, mas todos acabam se unindo por um motivo maior: Francine está chegando perto de seus últimos dias. Joe, que aparentemente tem estado em contato com a ex-esposa, avisa para Iris que a mãe está perto de morrer, fazendo com que Iris finalmente vá vê-la e se despedir.

Quando ela disse que estava morrendo, eu imaginei que fosse demorar mais um tempo, tipo lá pro final da temporada, mas isso foi bem mais rápido. Iris vai conversar com a mãe, que diz que ela pode ficar irritada e deve colocar todas as mágoas para fora, enquanto ainda tem a mãe ali para poder ouvir, mas ao invés de fazer isso, Iris diz que a perdoa por não ter ido embora e só queria que elas tivessem tido mais tempo. Achei bem fofo, essa parte da série foi bem previsível, mas eu adorei mesmo assim.

Francine comenta que Wally estava bem irritado e não ia visitar há um tempo, o que faz sentido, porque até onde sabemos Francine tinha sido a única parente dele até o momento, então se perder a mãe já é horrível em qualquer situação, imagina nessa, principalmente considerando que todos eles são relativamente novos. Mas mesmo entendendo, Iris vai falar com o irmão, dizer que ele deveria ir se despedir da mãe e ela até se abre um pouco, contando sobre como foi perder o Eddie. Achei muito bom ouvi-la falando de Eddie, porque esses momentos são raríssimos em Flash e só servem mais para me lembrar que morro de saudades dele. No fim, Wally acaba seguindo o conselho dela e pede para Iris acompanhá-lo, espero que possamos com o tempo só vendo os dois ficando mais próximos e se tornando irmãos de verdade.

Também tivemos algumas cenas com Jay e Caitlin, mas, sério, quem se importa? Não eu.

O Melhor:
+ Finalmente sabemos a história completa do Eobard
+ Evolução dos poderes do Cisco!!
+ Parte dos Wests bem fofa
+ Um episódio legal no geral

O Pior:
- Patty indo embora
- Continuo sem entender como funcionam essas linhas do tempo


Nota: 8,5

Flávia Crossetti - Estudante de psicologia, carioca, feminista, leitora compulsiva, pseudo-escritora e viciada em mais séries do que deveria.

quarta-feira, 27 de janeiro de 2016

Review: Supergirl 1x11 - "Strange Visitor From Another Planet"

Atenção: A resenha abaixo contém spoilers do episódio "Strange Visitor From Another Planet", exibido no dia 25/01/2016!

supergirl 1x11

Como o nome do episódio já diz, nossa população de alienígenas em National City cresceu um pouquinho. Quando uma senadora que prega a desconfiança em aliens como Supergirl chega à cidade, Alex e Hank se deparam com uma espécie antiga conhecida de Ajax: um Marciano Branco. Assim como os Marcianos Verdes da espécie de Ajax, eles são transmorfos. No entanto, apesar das semelhanças, as espécies são inimigas, principalmente porque o objetivo de vida dos Marcianos Brancos é destruir pessoas como o Ajax. E é a partir daí que conhecemos um pouco mais sobre o passado de Jonn.

Sempre amo desenvolvimento dos personagens, por isso foi um ótimo e importante episódio. Ao longo do 1x11, com tantos encontros e desencontros entre os antigos inimigos, fica claro o quanto a presença do outro marciano, faz Hank paralisar de medo. É só olhar a expressão de Hank quando o reconhece para ver isso. Aos poucos, Ajax se abre e conta para Alex (e Kara) como os Marcianos Brancos mataram sua mulher e duas filhas de forma tão cruel. Como se não fosse o bastante, eles mataram todos os Marcianos Verdes que encontraram no caminho. Hank é o único sobrevivente de um planeta inteiro e traz uma questão importante a ser discutida.

Mais uma vez, Kara se identifica completamente com a situação dele. Ela também é uma das poucas sobreviventes de sua espécie, aliás, ela sobreviveu no lugar das pessoas que mais amava: seus pais. Por que eles também não fugiram com ela? Assim como Ajax, o senso de responsabilidade os fez querer ficar com seu planeta por mais que significasse morrer, mas, apesar de entender os pais, Kara se mantém firme em não deixar Hank se render. 

supergirl 1x11

Porque, acreditem, ele quase faz isso. Na batalha final com o Marciano Branco, Ajax decide se entregar para salvar Alex das mãos. Acho que o peso de ser o único sobrevivente se torna pesado ao longo dos anos, até porque imaginem se isso acontecesse. Além da solidão, parece natural que perguntas como "por que eu, e não a minha família e todo o resto?" e "por que lutar e sobreviver?" apareçam. No entanto, com a ajuda de Kara, Hank consegue se controlar em não se render e não matar o inimigo. 

Possivelmente a cena mais fofa do episódio vem a seguir quando Hank agradece Alex e Kara por ajudá-lo a se superar e basicamente as compara com suas filhas. Não tem como não ver a figura paterna que ele está construindo para as duas, ainda mais depois do pai delas ter morrido. Pode não parecer, mas eles estão se tornando uma pequena família.  

E por falar em família, eis a outra montanha russa emocional do episódio: Cat e Adam. Para quem não lembrava, Cat teve seu primogênito muito nova e acabou acompanhando sua vida somente através de cartas e apoio financeiro. No entanto, a surpresa do episódio é que Kara decidiu agir pela chefe e redigiu (ou completou) uma de suas cartas nunca enviadas para o filho. Com um pouco de razão, claro que Cat fica irritada e ameaça demitir Kara. Eu entendo, é um assunto pessoal demais para a Kara simplesmente tomar essa iniciativa sozinha, mas, ao mesmo tempo, é o tipo de situação que é preciso um empurrãozinho. Elas se entendem a ponto da Cat perceber que a Kara também fez isso por conta da experiência própria. Afinal, ela não tem mais sua mãe e foi abandonada, de certa forma, por conta própria. Se pudesse, ela gostaria de poder rever a mãe.

supergirl 1x11

Enfim, conhecemos Adam. Mais uma vez, para os fãs de Glee, não foi difícil de reconhecer mais um membro de 2ª geração da série. Blake Jenner, mais uma vez, faz um par romântico para sua mulher e nossa querida Melissa Benoist. Depois de todas essas informações, vocês podem entender como eu fiquei o tempo todo lembrando que os dois são um casal na vida real. 

Pois é, nossa Supergirl encontrou mais um interesse romântico, mas o foco do episódio foi na relação familiar de Cat e o esforço de Kara em ajudar a chefe a se expressar. O primeiro encontro entre Cat e Adam não é nada fácil. Por mais que saibamos o quanto Cat se arrepende do passado, ela realmente se esconde nas suas histórias de carreira e anedotas sobre si. Adam, claro, fica magoado por ela não ter perguntado tanto sobre ele e deixa Cat sozinha no restaurante. O único adendo é que, sim, Cat pode ser um pouco egocêntrica, mas ela falar sobre a faculdade dela, por exemplo, poderia ser interpretado como uma forma de ela mostrar empatia e não egocentrismo. Enfim, acho que nós sabemos que as mágoas são mais profundas que isso e não são racionais assim. 

O importante é que vemos o quanto isso afeta Cat e como é difícil para ela se abrir; assim, Kara, mais uma vez, ajuda a chefe e vai atrás do filho. A relação entre elas com certeza é um ponto forte da série. Apesar do jeito da Cat, se tem uma coisa que aprendemos com ela é como nos defendermos e irmos atrás daquilo que acreditamos sempre, independente do que dizem. KaraCat como mentora e sabe o quanto ela pode inspirar as pessoas, e é exatamente isso que ela fala para Adam

Assim, no fim, com mais alguns empurrõezinhos de Kara, Cat finalmente consegue se desculpar com o filho e falar o quanto se arrepende por não ter participado de sua infância, assim como Adam consegue perdoar a mãe, de certa forma. 

supergirl 1x11

Por fim, apesar de ser uma parte minuscula do episódio, temos um desenvolvimento da situação entre Kara e Winn. Nosso expert em T.I. não andava falando com Kara, apesar de ela tentar. No entanto, no final do episódio, quando Kara finalmente para de tentar pressioná-lo, Winn toma o primeiro passo para reconstruírem a amizade deles. Vamos ver o que nos aguarda.  


O melhor
Cat tentando se reconciliar com o filho.
Kara ajudando Cat e mostrando o quanto acredita nela. 
O passado de Ajax e o enfrentamento disso. 
Vínculo entre Kara e Hank
Cena final entre Alex, Kara e Hank

O pior
Não sei como me sinto sobre Adam e Kara juntos, apesar das cenas entre eles terem sido fofas. 

Nota 9,0

Mariana Oliveira Sou estudante de Publicidade, Beatlemaniaca e Coldplayer. Toco piano e praticamente vivo de séries e livros. Estou sempre à procura de mais uma série, afinal nunca é demais.

segunda-feira, 25 de janeiro de 2016

Review: The Middle 7x13 - “Floating 50”

Atenção: A resenha abaixo contém spoilers do episódio “Floating 50”, exibido no dia 20/01/2016! 
the middle 7x13
Frankie Heck fez 50 anos. Sim, a matriarca deste pequenino e precioso seriado norte-americano chegou à meia idade. E se isto causou transtornos psicológicos egoísticos em Mike, como vimos no 5º episódio desta temporada, parece que a crise foi totalmente superada.

Sim, pois como bem típico do seriado, a família Heck passou pela data como se nada tivesse acontecido. Sem festas, sem presentes. Justo uma data tão importante, 50 anos, foi renegado a poucas fanfarras. E Frankie sabe disso.

Logo ao começo do episódio, vemos a família (menos Sue) dentro do tradicional carro amassado de Mike. Axl lamuria sobre a demora na cerimônia de crisma do vizinho Donahue, enquanto questiona a real necessidade de terem ido em primeiro lugar. “Ninguém queria ir na confirmação da Dottie, mas os Donahue foram na nossa, então fomos na deles. É assim que funciona” – simplifica Frankie, antes de Brick questionar quando ele seria crismado.

E enquanto parecia que o episódio poderia ir nessa direção – já que Axl inicia uma série de piadas sobre Brick ir para o inferno – logo vemos que o foco será totalmente diferente. E afinal, como já cansamos de ver, este definitivamente não é o “Ano do Brick” em The Middle.

Tudo se inicia quando Frankie pede a Mike que pare para comprar uma pizza, já que ela acredita que a família está irritadiça devido à fome. A pizzaria indicada por ela, entretanto, não é vista com bons olhos pela família. “Frankie, aquele lugar é caro” – diz Mike, antes de ser complementado por Axl, “Fora que eles colocam aquelas coberturas nojentas. Quem coloca espinafre numa pizza?”.

Mas não importa quantas críticas sejam feitas, Frankie quer aquela pizza, e numa jogada emocional mestra, usa a carta de seus 50 anos. Se o aniversário passou batido, nada mais justo do que, como ela mesma diz, ‘uma mera meia pizza com abacaxis em cima’ para servir de presente. Nem isso, entretanto, pareceu atingir os garotos. Os Heck não praticam muito a empatia, lembre-se bem.

the middle 7x13

Mike é o único que toma o lado da esposa. Muito provavelmente por culpa, e não empatia. Mas The Middle gosta de apertar o parafuso ainda mais fundo, e justamente quando a pobre Frankie parecia estar recebendo seu simplório e simbólico presente, Mike esquece a pizza no teto do carro, e ela cai no meio da estrada. E ainda mais imbuído de culpa, Mike resolve voltar para busca-la. 

“Esta é a família que somos agora? Comemos coisas da rua? Se fizermos isso, perdemos a única coisa que nos separa dos mendigos. Isto é o quão baixo chegamos?” – filosofa a matriarca. Definitivamente, Frankie não está com sorte. Mas é justamente este amargo que tira Mike de sua inércia e o faz orquestrar uma festa surpresa para entregar à Frankie sua tão merecida celebração. 

E tudo funciona espetacularmente bem – mesmo com a dificuldade de Sue em manter o segredo – ao ser pelo fato de que Mike se esquece, ou não se preocupa, em elaborar um roteiro para Frankie, que sem saber, obviamente, viaja até a faculdade de Sue para se encontrar com a filha. Uma nevasca, então, a impede de voltar, e ela acaba perdendo sua própria festa. Graças à tecnologia, entretanto, uma videoconferência faz com que Frankie veja sua própria celebração, e num momento tocante típico de The Middle, nos mostra o quão feliz ela ficou com a surpresa, mesmo sem estar presente. “Família é ocasionalmente melhor apreciada à distância” – filosofa ela no monólogo final do episódio. Nada poderia ser mais verdadeiro.

Mesmo com uma trama principal rica e divertida como esta, que nos entrega momentos muito engraçados, o seriado insiste em espremer duas pequenas subtramas, uma divertida e outra que, desta vez, mais do que nunca, vai do nada a lugar nenhum. Na primeira delas, justamente aquela que nada acrescenta, Sue trava sua própria cruzada na Universidade, ao perder uma de suas meias durante uma lavagem. Sendo Sue, Sue, ela faz uma pequeno cartaz, com o desenho exato do exemplar perdido, e fixa na parede. 

the middle 7x13

Obviamente, o cartaz se torna alvo de risadas dos colegas, e até mesmo Sue parece rir de si mesma, para não demonstrar que era ela quem havia o feito. Ao final, ela resolva iniciar ela própria um programa de ‘achados e perdidos’, e coloca cartazes anunciando as meias que ela achou enquanto procurava pela própria. Como dito, nada sai desta subtrama, que só serviu para tirar Sue da casa, e incluir as divertidíssimas sequencias em que ela tenta esconder a festa surpresa quando recebe ligações de Frankie.

E ao final, temos Brick, a criatura mais menosprezada pelos roteiristas nesta sétima temporada. Aqui, Brick é obrigado a encontrar alguma coisa que não consiga fazer para participar de uma celebração simbólica em sua escola. O garoto escolhe ‘esportes’, após muito ponderar, e assim como seus colegas, escreve isto num papel e joga num buraco feito na grama do colégio, afim de enterrar sua incapacidade para poder superá-la. A professora de educação física vê Brick dizendo que não pode fazer esportes, e decide ajuda-lo, numa atitude típica daquelas professoras caricaturais norte-americanas.

Ao final desta subtrama – que entrega um divertido momento em que Brick não consegue pegar nenhum tipo de bola arremessada contra sua cara – a professora acaba ganhando um ferimento no olho e desiste de ensinar o garoto, e os dois passam a escavar o buraco para achar o papel de Brick e substitui-lo, já que no que tange esportes, não há cerimonia simbólica – ou tentativa real – que o faça superar esta limitação.

the middle 7x13


O melhor
+ É sempre engraçado quando colocam a família Heck (ou a maior parte dela) dentro de um carro.
+ O Brick não conseguindo nem mesmo jogar o papel dentro do buraco, e depois sendo atingido na cara por vários tipos de bolas.
+ A Sue tentando esconder sua excitação – e soltando grunhidos engraçados – para não estragar a surpresa da Frankie foi o melhor.

O pior
- A subtrama da Sue foi totalmente descartável, e sequer teve um fim. Poderiam ter usado o tempo dela para aprofundar a subtrama do Brick, que anda sofrendo com subtramas mal aproveitadas justamente por falta de tempo.

Nota: 10

Cássio Delmanto Advogado, colunista automotivo, beatlemaníaco, fanático por carros, filmes, séries, música, tecnologia e cultura inútil em geral. 

sábado, 23 de janeiro de 2016

Review: Teen Wolf 5x13 - "Codominance"

A volta de Kira...

teen wolf 5x13

Se no episódio anterior eu senti falta de alguns personagens e desenvolvimentos, "Codominance" veio para mostrar que a reunião do bando do Scott vai demorar, mas nem tanto. O true alfa e o Stilles saem em busca de Kira e o episódio já começa com a cena que quase aconteceu na semana passada. O encontro entre Scott e seu beta. Senti o Liam muito envergonhado (claro!) e um Scott demonstrando não frieza, mas seriedade. Ele é um líder e já passou da hora de agir como tal. Depois de tudo o que aconteceu e de Liam quase matá-lo, não dá para dar carta branca a ele logo de cara. Ele vai perdoá-lo eventualmente, como disse ao Stilles, mas não agora. Mesmo pedindo para o beta não fazer nada, já senti um avanço. E se não fosse por Mason, que novamente fez o papel do amigo que interfere, o Liam teria cedido as provocações do Theo, que continua se achando o alfa, mas só achando mesmo, porque em uma conversa sempre perturbadora  com os Dread Doctors ele diz que ainda não é alfa e mostra os olhos. Sinto que essa obsessão ainda vai acabar mal, para ele, claro.

tw 5x13

Em outro ponto, Kira precisa passar por um teste com os Skin-whatever-não gravei, no meio do deserto. Passando, eles podem ajudá-la, mas demorará meses ou anos. Se errar, ela vira um deles, ou morre. Se tem uma personagem que me irrita nesse núcleo é a mãe da japa. Ela nunca consegue soluções viáveis para a filha. Bate no peito que é uma Kitsune de 900 anos mas a Kira sempre sofre pelas consequências dos atos da mãe. Ela acredita que passou no teste, mas na verdade a raposa novamente se manifestou. Sorte que Stilles e Scott chegam na hora. Sorte e ajuda do roteiro né? Porque Kira e sua mãe saíram em busca de ajuda há dias, e parece que tudo no deserto se desenvolveu no mesmo dia. Tudo bem, que elas podem ter parado em outros lugares, mas Scott sabia exatamente para onde elas foram, e passaram-se muitos dias em Beacon Hills e na cronologia da série ela saiu no 5x08. olha quanto tempo se passou, esse ponto merecia uma explicação.

teen wolf 5x13

E aí temos Lydia, pobre Lydia. Estou adorando os toques da Meredith nela. Já vi na promo que o Stilles vai até ela no próximo episódio, só que a própria Lydia é que poderá se salvar. Mas, gente tá muito lento. Capaz da sexta temporada começar e a banshee ainda estar presa naquele lugar. :/ No mais, algumas perguntas foram respondidas por Theo em sua conversa com a Tracy: a besta é assassina mesmo, mas foi "ressuscitada" no corpo de um adolescente e não lembra quem é, ou seja, é somente por isso que tudo não se complicou ainda. E ao final, Mason se mostra útil mais uma vez, ao descobrir através de Corey que fofura os dois que Theo está atrás de Deucalion, lembram dele? Não faço ideia do que ele pode querer com o alfa. Espero vocês na semana que vem para descobrirmos juntos!

PS: Os Skin-whatever quiseram deixar eles escaparem né? Eu acertava logo aquela lança no carro, hahaha.

PS2: Layden tá virando Romeu e Julieta. Entendo que faz parte um drama, mas eles só: brigam por causa de Theo, Liam faz as carinhas dele e se beijam. Vamos desenvolver mais isso dai.

PS3: Scott no seu soninho de alfa, pobrezinho sendo acordado rs

PS4: Os produtores estão de parabéns. Uma ótima forma de ver a volta da amizade de Scilles é jogá-los numa trip. Quem não se emocionou quando Stilles contou para o amigo como exatamente aconteceu a morte do Donavan e o melhor, viu a reação do Scott? "Eu sei o que é legítima defesa." Amei todas as cenas envolvendo os dois.

teen wolf 5x13

Besos!


Coisas da Juuh/ Autora: Juliana Rovere A resenha está em um modelo diferente do qual usamos porque foi posteriormente postada pelo nosso site parceiro Coisas da Juuh. A repostagem foi autorizada pelo autor e blog. 

Spoiler Zone: Arrow, Castle, Supergirl e Legends of Tomorrow

A EW nos presenteou com algumas novidades sobre o que vai rolar nas séries! Fãs de Arrow, depois do episódio 4x10, acho que vocês vão querer ler isso. Enjoy!

arrow castle legends of tomorrow

Castle

Fã: Alguma novidade para a volta de Castle em Fevereiro seria ótimo. 
EW: Quando a série voltar, Castle e Beckett finalmente estarão em sincronia. "Eles estão juntos, mas estão mantendo tudo em segredo," a produtora executiva Alexi Hawley diz. "Eles estão brigando em público e sendo românticos no privado, o que dá uma apimentada na relação." Bônus: Jon Huertas (Esposito) e Susan Sullivan (Martha) vão cantar juntos na mid-season premiere temática em acapela com a participação do Corbin Bleu. 

Legends of Tomorrow

Fã: Só para eu entender quais são as regras da viagem no tempo, eles não podem voltar no tempo para um evento que eles já mexeram. Mas eles podem voltar para seus próprios passados e mudar as coisas? 
EW: Sim, eles podem, mas não vai ser fácil. "Uma das coisas que estabelecemos na série é que o tempo quer que aconteça," o produtor Marc Guggenheim disse. "Nós não fizemos ainda a história em que um personagem quer voltar e mudar um momento em sua vida, mas será algo extremamente difícil de fazer." Resumindo, a Sara pode tentar se impedir de entrar no Queen's Gambit, mas ela pode parar no barco de outra forma. "Além disso, não sei se a Sara gostaria de mudar isso," Guggenheim chama atenção. "Obviamente todos os anos na Liga de Assassinos e em Lian Yu não foram um mar de rosas, mas a Sara está feliz com a pessoa que ela é. Ela não pára para pensar muito sobre mudar quem ela é."

Supergirl

Fã: É estranho eu shippar a Alex e o Maxwell Lord, mesmo sabendo que ele é um dos vilões?
EW: Não, claro que não. "Há muita química entre a Chyler [Leigh] e Peter [Facinelli]", o produtor Andrew Kreisberg diz. "É incrível. Enquanto é divertido brincar com a tensão, eu não quero que ninguém do público ou nenhum de nós quer que a Alex se apaixone por alguém que fez coisas horríveis." Ainda assim, Kreisberg acrescenta: "Nós vamos manter o vai-ou-não-vai até as pessoas pararem de assistir."

Arrow

Fã: Alguma informação sobre a Felicity e o Oliver?
EW: Se você quer saber como o Oliver e a Felicity vão lidar com a nova situação deles, o Oliver será bem otimista e esperançoso, mas não no sentido de encontrar formas de ela voltar a andar. Ele sabe que o poder dela está em sua inteligência. Esse não é o final de alguma coisa, mas um recomeço. Enquanto Felicity tentará manter o mesmo otimismo, mas, por estar vivendo tudo na pele, não será fácil. Ela terá sua própria jornada por um caminho mais sombrio. Como ela se vê? Qual é seu papel no time? Seu relacionamento com o Oliver não entra muito em questão, e sim como ela vê seu próprio futuro. O mistério é que ainda não sabemos se a situação vai ser permanente ou não. 

Apesar de estar numa cadeira de rodas, parece que Felicity não é o Oráculo, mas ela ganhará um codinome em determinado episódio. Mas se você quer saber se o Calculator é o pai da Felicity, continue lendo. "Fiquem atentos, com certeza," disse a produtora Wendy Mericle quando eu falei da teoria. "Nós estamos muito animados com esse personagem. Ele tem uma conexão com a Felicity. Estamos empolgados. Tom Amandes tem sio incrível com o papel e está trazendo muita delicadeza e malícia para o personagem."


Mariana Oliveira Sou estudante de Publicidade, Beatlemaniaca e Coldplayer. Toco piano e praticamente vivo de séries e livros. Estou sempre à procura de mais uma série, afinal nunca é demais.

Heroína Vixen aparecerá em Arrow

Recentemente foi divulgado que a heroína Vixen fará sua primeira aparição como live-action na série Arrow. A atriz Megalyn Echikunwoke interpretará a personagem e fará sua estréia no episódio 4x15 (Taken), que vai ao ar dia 24 de Fevereiro. Confira a imagem oficial da atriz como Vixen:

arrow 4x15

Vixen é uma heroína com a habilidade de imitar qualquer animal que já viveu na Terra. A personagem tem uma websérie animada na CW produzida pelos mesmos responsáveis por Arrow e The Flash e também se passa no mesmo universo das suas séries. A animação é exibida pelo canal online CW Seed

Stephen Amell postou uma foto em seu twitter junto com a atriz, confira abaixo:

arrow spoilers

Lucas Rodrigues Atualmente servindo o exército brasileiro. Pode-se dizer que vivo e respiro séries, livros e filmes.  

Sinopse dos episódios 11x11 ao 11x13 de Supernatural


A sinopse dos próximos episódios de Supernatural foi divulgada pela CW, confira abaixo: 

supernatural

11x11 - Into the Mystic 
Sam (Jared Padalecki) e Dean (Jensen Ackles) investigam um caso onde pessoas estão sofrendo mortes violentas após escutarem uma misteriosa música. 

O episódio irá ao ar no dia 27 de janeiro. 

11x12 - Don't You Forget About Me
Sam (Jared Padalecki) e Dean (Jensen Ackles) vão ao encontro de Jody Mills (Kim Rhodes), Claire (Kathryn Newton) e Alex (Katherine Ramdine) após receberem uma ligação desesperada de Claire. Ela acredita que os recentes assassinatos que vêm acontecendo na cidade são sobrenaturais e pede pela ajuda dos rapazes. Entretanto, xerife Mills diz a Sam e Dean de que Claire está no meio de problemas, atacando pessoas normais e as acusando de serem monstros. 

O episódio irá ao ar no dia 03 de fevereiro. 

11x13 - Love Hurts
Sam (Jared Padalecki) e Dean (Jensen Ackles) investigam uma série de assassinatos no Dia dos Namorados e descobrem que eles estão lidando com uma antiga maldição. Uma vez que beijado pela maldição, a pessoa está marcada para morrer. 

O episódio irá ao ar no dia 10 de fevereiro. 

Lucas Rodrigues Atualmente servindo o exército brasileiro. Pode-se dizer que vivo e respiro séries, livros e filmes.  

 
UA-48753576-1