Image Slider

segunda-feira, 30 de janeiro de 2017

Dica da Semana: Yuri!!! On Ice

Yuri on Ice Capa


Eu não sabia da existência de Yuri!!! On Ice até uma tarde de Dezembro. Em busca de entretenimento "barato", visitei muitos sites dedicados a animes. Entre uma lista e outra (dos “top ten” aos “must see”), aconteceu: conheci minha nova obsessão.

Yuri!!! On Ice conta a história de Yuuri Katsuki, um patinador artístico. Sua carreira, no entanto, não está indo nada bem. Recém-colocado em último lugar na Final do Grand Prix, Yuuri considera seriamente desistir de tudo.

Durante uma visita às termas de sua família em Hasetsu, no Japão, Yuuri é surpreendido pela chegada de seu ídolo: o russo Victor Nikiforov, figura lendária no mundo da patinação de gelo artística. E Victor que treiná-lo para o próximo Grand Prix!

Se, a princípio, tudo parece meio surreal demais. Acredite, existe uma explicação.

O mais interessante de tudo isso, porém, é a subversão dentro de uma categoria tão “clichê”. Não só a escolha de um esporte “desconhecido” por grande parte do público, como também o desenvolvimento dos personagens (e de seus relacionamentos).

Yuuri Katsuki, por exemplo, sofre de baixa autoestima e ansiedade. E seu relacionamento com Victor Nikiforov se torna indispensável no caminho do sucesso!

Mas YOI não é feito somente de Victuuri! Temos Yuri Plisetsky, frenemie do Yuuri e do Victor. Extremamente talentoso – e muito confiante –, Plisetsky é um Victor Nikiforov 2.0. Todo mundo acredita que ele é o próximo astro da patinação do gelo internacional.

Também temos Phichit Chulanont, Christophe Giacometti, Altin Otabek e muitos outros. E todos são extremamente cativantes, IMO. Esse é, afinal, um dos pontos fortes do anime. Assim como a OP (“History Maker”, por Dean Fujioka) e a EP (“You Only Live Once”, por Wataru Hatano).

No final, é impossível torcer por um personagem específico. Pelo menos, eu queria que todos ganhassem a medalha de ouro! Suas rotinas, diga-se de passagem, foram criadas por um ex-patinador japonês, Kenji Miyamoto. Incrível, não?

Quer saber mais desse anime sensacional? Leia uma resenha do Chunan: https://goo.gl/QU0KEm 

Thaís Cabral - Estudante de Publicidade, pseudo-escritora, leitora compulsiva e chocólatra. Gosto de séries de TV (americanas e/ou britânicas), filmes e anime/mangá.

sexta-feira, 27 de janeiro de 2017

Review: Arrow 5x10 - "Who are you?"

Atenção: a resenha abaixo contém spoilers do episódio "Who are you?", exibido no dia 25/01/17. 

arrow 5x10

Arrow voltou e... Laurel também? Qualquer um com um cérebro podia perceber que não iam simplesmente jogar a Laurel verdadeira de volta assim do nada. A teoria mais provável se comprovou verdade e quem apareceu no lugar foi a Black Siren, a Laurel da Terra-2 que já tinha aparecido em The Flash e, teoricamente, estava presa em Central City. Ela tenta se passar pela nossa Laurel, dizendo para Oliver e Felicity que ela tinha sido salva pela Sara, que tinha viajado pro passado e levado ela diretamente para meses no futuro.

Vou atribuir a ingenuidade do Oliver ao pensamento positivo e sua própria culpa, porque essa foi a desculpa mais esfarrapada que deram na série. Eu sei que não é totalmente novidade alguém voltar dos mortos nessa série, então é mais fácil acreditar, mas por que a Sara não daria nem um oi? E não acho que viagem no tempo funcione assim, que eles possam simplesmente modificar o passado e o Oliver não se lembraria, ele VIU a Laurel morrendo, eles enterraram ela, não tinha como fingir isso, gente.

Pelo menos Felicity não se deixa enganar tão facilmente, ela convida Laurel e o resto do Team Arrow para sua casa como uma desculpa para pegar o DNA da Laurel, que comprova que realmente é o mesmo, mas logo depois ela se lembra da Black Siren. Depois de uma pequena investigação, Felicity descobre que Prometheus resgatou essa Laurel do STAR Labs, provavelmente para utilizá-la contra o Oliver. O plano de Prometheus até dá bem certo inicialmente, porque mesmo depois de descobrir que ela é da Terra-2, Oliver está disposto a dar uma segunda chance à Laurel, achando que foram apenas as circunstâncias que a fizeram assim e ela pode se tornar a Laurel da Terra-1 com um certo incentivo.

Por mais que eu não discorde em princípio da teoria do Oliver – de que é possível mudar – para isso ela precisaria realmente querer, e no caso seria péssimo confiar nessa Laurel, que já sabíamos que estava trabalhando junto com Prometheus e era uma vilã. Por favor, Oliver. Felicity já está bem mais desconfiada e isso acaba causando um certo conflito entre os dois, que mais uma vez se encontram em lados opostos de uma discussão.

Esse episódio foi lotado de cenas Olicity, mesmo que muitas delas tenham sido discussões, serviu para mostrar a comunicação entre os personagens e a clara tensão sexual. Honestamente, pra mim os escritores estão só perdendo tempo colocando a Susan nesse meio, quando está claro que Oliver e Felicity em alguns episódios já estariam prontos para reatar o relacionamento, se os escritores quisessem ir por esse caminho. Infelizmente, eles querem esperar até o final da temporada, o que vai levar ainda uns três meses.

Os dois estavam fofíssimos nesse episódio, principalmente no final quando Oliver diz que vai conseguir fazer justiça ao Billy, dizendo que ele era uma boa pessoa, e Felicity assegura Oliver de que ele também é. Vimos os dois muito mais próximos nesse episódio do que nos últimos e vejo isso como algo positivo, só espero que não se perca no resto da temporada.

team arrow 5x10

Felicity arma um plano para liberar a Black Siren, levando-os diretamente até Prometheus. Durante o episódio inteiro, vemos Felicity fazendo planos alternativos, incluindo dar ordens para o resto do Team Arrow que iam contrárias ao que Oliver tinha dito, mostrando que é ela mesmo quem manda ali. Isso é o início de uma trajetória da Felicity que devemos acompanhar pelo resto da temporada, com ela “desobedecendo” algumas regras para poder se aproximar de Prometheus, o que ela precisa fazer para vingar a morte do Billy.

Nós até mesmo vemos Felicity treinando de novo, o que não víamos desde a segunda temporada e PRECISAMOS ver de novo, afinal não é possível que a Felicity fique ali e não saiba nem autodefesa. E, no fim, isso é útil, pois ela acaba dando um soco na Laurel, apesar de eu não ser a favor da violência entre mulheres, sororidade e tal, fico feliz por ver a Felicity em ação. Afinal, foi bem fofo como ela ficou orgulhosa de ter conseguido manter os pulsos retos.

Mas quem consegue impedir mesmo a Black Siren é Curtis, que cria um aparelho móvel que impede seus poderes. Durante o episódio inteiro, Curtis está bem chateado e pessimista, achando que ele nem leva jeito para essa vida, sentindo-se incapaz e, é claro, triste porque ele acabou de terminar com Paul. Em uma ótima reviravolta, quem o ajuda a superar esse momento é o Rene, que faz algumas piadas sobre como o Curtis está estranho, é um pouco insensível, mas depois acaba dando uma lição valiosa para o amigo: ele deve focar no que ele pode fazer, e não no que não pode. Curtis consegue terminar a tecnologia anti-Black Siren e tudo fica um pouco melhor do que estava. Gostei de ver Curtis reagindo, apesar de eu esperar que esse não seja o final da história dele e o vejamos falar com Paul de novo. Mas gostei ainda mais de ver Rene com Curtis, adoro esses momentos de amizade. Agora só falta trazerem o Rory que aí pronto, os três podem virar besties.

Por mais que eles tenham conseguido capturar a Black Siren, o plano não dá totalmente certo porque eles não conseguem nada no Prometheus, ele até vai lá, mas bem quando Oliver está lutando contra ele, a Felicity fica em perigo e, como sabemos, não tem o que escolher ali. Nenhuma surpresa, uma vitória de cada vez.

diggle adrian chase

Na outra parte do episódio, John voltou a ficar preso. Achei uma escolha esquisita de narrativa fazer com que o Diggle fugisse da prisão simplesmente para trazê-lo de volta e então resolver ter um julgamento verdadeiro. Para começar, o fato de ele ter fugido não ajuda em nada no caso e, aliás, é um crime, então mesmo que ele seja inocentado das outras acusações, não tem como negar que ele fugiu. E aí, como é que vão fazer isso?

Mas tudo bem, todos sabemos que os escritores de Arrow têm tanto conhecimento de direito quanto eu, ou seja, muito pouco, então o que quer que aconteça, provavelmente não vai fazer sentido para quem entende do assunto. Não sou uma dessas pessoas, então tanto faz. O importante é que Diggle quer fazer tudo do jeito certo agora, já que tentar fugir não deu certo, e Oliver o ajuda com a indicação de um advogado: Adrian Chase, o DA de Star City.

Existe uma forte teoria que Adrian seja o verdadeiro Prometheus, já que até o momento não foi revelado quem é o Vigilante – que é o Adrian nos quadrinhos – e seria um bom plot twist não ser Adrian na série. Penso que ele se tornar advogado do Digg seja uma indicação contrária da teoria, porque, afinal, se ele for Prometheus ele não vai ter motivos para querer ajudar o John a realmente sair da cadeia, e se ele não sair assim, não imagino como é que vão conseguir tirá-lo de lá. Só se o ARGUS interferisse, mas imagino que se a Lyla não fez nada até agora, é porque não tem como.

Só espero que não demore muito para libertarem o John, porque já passamos por essa história no início da temporada e não vejo motivo para repetir, quero mais cenas com o Team Arrow Original.

Também, no final do episódio, recebemos um gostinho do que está por vir nos próximos episódios: Talia al Ghul, nos flashbacks, e Tina, a nova Canário Negro, que vai se juntar ao Team Arrow dentro em breve. Eu, pessoalmente, estou ansiosa para ver onde vai chegar.

O Melhor:
+ Ótimas cenas entre Oliver e Felicity
+ Adorei essa amizade de Curtis e Rene
+ Felicity treinando!!
+ Talia e Tina!
Não teve Susan nesse episódio, bem que podia continuar.

O Pior:
- Ingenuidade do Oliver
- Laurel zzzz
- Repetição da história do Digg


Nota: 8,0

Flávia Crossetti - Estudante de psicologia, carioca, feminista, leitora compulsiva, pseudo-escritora e viciada em mais séries do que deveria.


Review: Agents of SHIELD 4x11 - "Wake Up"

Atenção: A resenha abaixo contém spoilers do episódio "Wake Up", exibido no dia 24/01/2017!

agents of shield 4x11

Haja reviravolta para um episódio só. Para começar, o foco é na May e sua prisão psicológica. Infelizmente vou logo avisando que se a temática parece indicar que May vai voltar agora, isso não acontece, mas descobrimos um monte de coisas no caminho. Por exemplo, sabemos agora que Melinda foi capturada ao buscar Aida para ela poder ajudar com Eli na missão do mid-season finale e como tudo aconteceu. Desde suas alucinações zen que não funcionaram até as mais novas, e acreditem até a gente caiu nessa.

Depois de sua tentativa de fuga, Radcliffe coloca May em um eterno looping de fugas do laboratório para manter sua mente ocupada. Ele engana não só Melinda, mas nos dá falsas esperanças de que a agente está fugindo finalmente. Mesmo estando descobrindo a farsa cada vez mais rápido, May se rende ao último cenário criado, ou melhor recriado. Apesar de não querer admitir, a ideia é inteligente: Radcliffe a coloca para reviver a missão que virou a Cavalaria, assim sua vontade de mudar os eventos daquele dia e salvar a garota a manteriam ocupada. Além de que, se não cumprisse essa missão, não seria nada diferente do que já foi.

Já na pequena missão do episódio atual, Daisy e Mace tomam as rédeas da situação contra Nadeer. Eles sabem que ela ajuda os Watchdogs, então, enquanto Daisy enfrenta um comitê para poder assinar o Acordo da SokóviaCoulson e Yoyo pretendem invadir o escritório da senadora para espiarem nela. Pena que tudo vai por água a baixo.

agents of shield 4x11

Daisy se vira bem com as respostas, aliás tem até um momento sentimental com Mace antes do comitê começar - o que mostra a continuação do processo de redenção do Diretor. Aos poucos, cada um está começando a confiar nele um pouco mais. Daisy e ele encontram uma conexão ali; mas a felicidade dura pouco.

Nadeer descobre que a Shield estava em seu escritório e pega eles no flagra, o que não é nada bom para o comitê descobrir. Eles tentam abafar, Talbot fica no meio irritando todo mundo achando que sabe tudo, mas uma coisa fica clara: houve um vazamento da missão deles no escritório dentro da Shield.

No meio disso tudo, Fitz está estudando Aida intensivamente. Simmons fica um pouco preocupada, mas não se toca sobre o que o namorado está fazendo até perceber que Nadeer pode ter conseguido a informação por ali. Nossa, fiquei bem feliz de ela descobrir a mentira dele logo. Achei que iam extender isso - o que seria péssimo para o relacionamento deles, mas tiraram o band-aid rápido. Vai ficar vermelho, mas deve passar.

Felizmente, Leo fez algum progresso e conta para Jemma que estava investigando Aida porque achava que Radcliffe estava por trás de tudo. Como não amar esse Fitz, hein? <3 Apesar da revelação e prisão, nossa esperança morre novamente quando Fitz descobre que o Radcliffe que prenderam era mais um android. Essa série está brincando seriamente com as nossas emoções. Pelo menos, agora Radcliffe é considerado oficialmente um inimigo. (Só falta a "May".)

agents of shield 4x11

Enquanto isso, os jogos emocionais continuam e agora conhecemos um pouco mais da May-robô. Depois de ter se ferido no episódio passado, "May" tenta entender sua situação e percebe que é uma android. Paremos para pensar. Ela tem as mesmas memórias da May, diversas semelhanças na personalidade. Apesar da codificação implantada em suas ações, se sente como se fosse a May, acha que é ela, então imagine que descobrir que você é na verdade um robô de você mesma é uma coisa meio louca.

"May" fica meio confusa e até tenta averiguar com Fitz se Aida sabia que ia fazer alguma coisa antes de roubar o Darkhold. Ela tem medo de machucar alguém, não controle do próprio corpo. Para dizer verdade, acho que não tinha entendido o que tinha acontecido até perceber que estava ligada com Radcliffe (o que, honestamente, achei que ela deveria ter percebido antes). O espião no meio da Shield deveria ser ela mesma, tendo em vista que Aida tinha um visor óptico que poderia ter vazado informações. Por isso, ela vai ver Radcliffe.

Ele fica maravilhado com a capacidade de "May" estar tão certa de que é Melinda, o que no final das contas é bem triste. Ela fica achando que ele fez alguma transformação nela, quando, no fundo, ela nem é a May verdadeira. Assim, ele expõe a verdade e, por mais que parte da Melinda ainda estivesse ali, "May" não consegue machucá-lo por causa da programação feita. Radcliffe ainda vai e planta a semente de que ela deveria continuar normal, não só isso, mas ser uma May melhor e aproveitar o que May não fez - o que significa ter uma chance com Coulson. (Programação pesada porque May nunca seria tão facilmente distraída).

agents of shield 4x11
créditos
Particularmente, nunca pensei nos dois como um par romântico, mas ficou claro que, nos últimos episódios, os escritores têm dado indícios disso. Eu não sei como me sinto ainda, mas o fato é que Radcliffe só está atrás de uma coisa: com os dois próximos dessa forma, ele poderá descobrir onde está o Darkhold.

O melhor
Todas as reviravoltas e conceitos por trás da May-robô, desafiando a própria ideia de o que é ser humano.
Mini dicas sobre personagens que não estavam agindo como eles mesmos para despistar.
Wow, Mack com revelações pesadas nesse episódio. Quero saber mais sobre ele.
Yoyo e Mack juntos, cute.
Fitz descobrindo a verdade sobre Radcliffe.

O pior
Radcliffe usando a May e o Coulson, argh.
- Odeio quando o Talbot está certo.

Nota 9,3

Mariana Oliveira Sou estudante de Publicidade, Beatlemaniaca e Coldplayer. Toco piano e praticamente vivo de séries e livros. Estou sempre à procura de mais uma série, afinal nunca é demais.

quinta-feira, 26 de janeiro de 2017

Review: The Flash 3x10 - "Borrowing Problems from the Future"

Atenção: a resenha abaixo contém spoilers do episódio "Borrowing Problems from the Future", exibido no dia 24/01/17.

the flash borrowing problems from the future

The Flash voltou do hiatus e, por incrível que pareça, pela primeira vez na história da série eu estava realmente animada para ver o episódio. Minha afeição por enredos que envolvem tentar impedir o futuro de acontecer falou mais alto do que meu bom senso, então agora estou investida nessa história.

Um mês se passou desde o midseason finale e, desde então, Westallen estão vivendo juntos e muito felizes, do jeitinho que a gente gosta, o único problema é... a Iris vai morrer no futuro. O que é uma afirmativa óbvia, porque todo mundo vai morrer no futuro provavelmente, mas que aqui quer dizer mais cedo do que esperado, já que Barry viajou um pouco pro futuro – em maio – e viu Savitar assassinando sua namorada. Agora, Barry não contou isso para ninguém, deixou para si mesmo e está tendo pesadelos com essa cena, o que Iris percebeu, mas tinha resolvido não pressionar muito até o momento.

As coisas ficam mais complicadas quando um ladrão, cujo nome Barry se lembra de ter visto em uma notícia do futuro, aparece por Central City. Barry fica paralisado com isso e tenta modificar os eventos para provar para ele mesmo que, afinal, aquele não é o futuro fixo. Isso acaba trazendo alguns problemas para a equipe, mas no fim acaba nos ajudando, porque Barry resolve fazer a coisa certa e contar para Iris sobre o que ele viu. Eu só queria tirar um segundo para agradecer os personagens, os escritores e todos os deuses por não ter feito o Barry mentir por mais de um episódio, muito obrigada e que continue assim, é exatamente esse tipo de atitude que nós queremos ver na televisão: honestidade. Já tem muito do contrário acontecendo na vida real.

Iris fica um pouco abalada, quem não ficaria, mas menos do que poderia se esperar. Considerando tudo, ela até que levou de boa, resolvendo, junto com Barry, contar o que descobriu para todos os outros personagens, tirando Joe. Por mais que eu seja uma grande defensora de não tentar esconder nada porque só acaba piorando a situação, tenho que concordar que, nesse caso, talvez essa seja mesmo a melhor escolha, porque do jeito que o Joe é, ele ia realmente surtar e piorar tudo. A verdade é que ele provavelmente vai descobrir alguma hora, então eles estão só adiando o inevitável, pelo menos a Iris consegue alguns episódios a mais sem o pai a perturbando.

kid-flash 3x10


De qualquer forma, com todos colaborando eles conseguem chegar a quase um plano: descobrir todos os eventos que Barry viu no jornal – com a ajuda dos poderes do Cisco – para tentar impedi-los de ocorrer e, assim, impedir também a morte da Iris. Achei a explicação de HR sobre o futuro ser uma sequência de dominós muito útil e os eventos que vimos, nos dando uns pequenos spoilers sobre o futuro, serviram para me deixar mais ansiosa, de uma maneira positiva.

Quem teve uma maior participação nesse episódio foi Wally, em sua estreia oficial como Kid-Flash. Por mais que oficialmente tenha sido aceito em missões com o Barry, Wally continua tendo uma figura mais de figurante, o que acaba sendo notado pelas pessoas e Wally acaba ouvindo comentários negativos sobre ele mesmo. Achei bem injusto porque o Wally literalmente tinha acabado de começar, mas ok. Também não ajudou que o Barry estava super focado nos seus próprios problemas e descontou no Wally, tirando-o do caso sem explicar o porquê, o que só fez o garoto ficar mais inseguro.

Felizmente para Wally, depois que Iris conta o que tinha acontecido, Barry resolve utilizar sua ajuda de novo. Uma das notícias dizia que quem havia capturado o vilão dessa semana era o Flash, porém se eles manipulassem os eventos para que o Wally salvasse, a notícia diria Kid-Flash no lugar e o futuro teria sido mudado, mesmo que de maneira pequena, isso seria uma confirmação sobre como o futuro não é fixo.

Wally se sente um pouco manipulado e acusa Barry de só ter querido que ele participasse para que mudasse o futuro, e não porque realmente achava que ele tinha capacidade, mas Barry assegurou que esse não era o caso. Mesmo que fosse, foi ótimo vendo a cidade, no final, finalmente celebrando o Wally, gritando “Kid-Flash” e sendo todos fãs dele. Como sempre, Wally é um personagem super carismático e foi uma fofura vê-lo recebendo toda essa atenção positiva.

De todos os personagens, Wally foi o que mais demonstrou uma reação à notícia de que Iris poderia morrer no futuro. Ele não pareceu gostar da ideia de não contar pro Joe, o que me faz suspeitar que ele vai ser quem vai acabar revelando alguma coisa.

the flash 3x10


Também tivemos outras revelações menores sobre o futuro, a primeira que Caitlin iria se tornar novamente Killer Frost e ficar “à solta”. Durante esse episódio inteiro a vimos preocupada que isso iria acontecer, já que ele precisa estar sempre com aquelas pulseiras para impedir seus poderes e, quando elas descarregam, ela fica vulnerável.

Por algum motivo, ela resolve ir até Julian para pedir ajuda, já que ele estudou sobre metahumans e poderia ajudá-la a encontrar uma solução para reverter seus poderes. Julian inicialmente se recusa a ajudar, mas Caitlin oferece para ele um lugar no Team Flash e Julian acaba se abrindo um pouco mais a ideia. Por mais que ele seja meio chato e ofereça umas respostas rudes, eles começando a gostar um pouco mais dele e estou sentindo que eles vão fazê-lo ficar com a Caitlin. Para variar, Caitlin é jogada com um personagem novo, agora é só torcer para que esse não morra nem vire mau.

Julian e Cisco se juntam para fazer um presente para Caitlin: um colar para ela usar quando a pulseira precisar carregar. É bem ridículo que eles tenham levado um episódio inteiro para chegar à conclusão que precisavam de dois objetos, eu pensei nisso em dois segundos. Só acho que, se fosse a Caitlin, ia pedir para eles arranjarem um jeito de mudar esse azul, porque fica bem feio.

Também tivemos a revelação que o tal Museu do Star Labs vai fechar no futuro. HR ficou meses preparando isso e, na abertura, deu bem errado, ninguém apareceu, como eles já deviam ter esperado, já que nem sei se fizeram uma boa propaganda. Nem conhecidos deles foram. Mas depois Cisco fala com algumas escolas e eles conseguem melhorar um pouco, a questão é como eles vão impedir de falir, ou se vai ter alguma coisa a ver com HR... Considerando a moça que apareceu no final do episódio, eu posso apostar que o HR esconde mais do que ele contou até agora. 

O Melhor:
+ Westallen domésticos, LINDOS!! Adorei tudo sobre eles nesse episódio
+ Barry contando a verdade para a Iris e depois para todos
+ Eles tentando impedir de acontecer todos eventos no futuro
+ Wally estava uma fofura nesse episódio

O Pior:
- Essa história da bateria da Caitlin foi bem idiota
- Por que todos eles ainda confiam no HR? Eles o deixaram fazer esse museu e nem consultaram pra ver o andamento?


Nota: 8,5

Flávia Crossetti - Estudante de psicologia, carioca, feminista, leitora compulsiva, pseudo-escritora e viciada em mais séries do que deveria.


terça-feira, 24 de janeiro de 2017

Review: Supergirl 2x09 - "Supergirl Lives"

Atenção: A resenha abaixo contém spoilers do episódio "Supergirl Lives", exibido no dia 23/01/2017!

supergirl 2x09

Kara está de volta! Depois de viajar para outra dimensão, ajudar Flash, Arrow e Co. a salvar o mundo, nossa Supergirl sente como se não estivesse fazendo tanto assim pelas pessoas. Ela continua intrigada quanto ao Guardião e suas vitórias derrotando ladrões parece não ser o suficiente. E se procuramos problemas, encontremos. Por isso, Kara se depara com um caso de pessoa desaparecida que faz o episódio ganhar um desafio diferente: o planeta Maldoria

Lembram da Roulette? Depois da Supergirl ter interrompido seu ringue de lutas para aliens, ela decidiu investir na venda de escravos. O esquema consistia basicamente em pegar pessoas da Terra e levá-las para Maldoria por meio de um portal. Sem muito filtro, Kara acaba no meio disso tudo ao investigar o desaparecimento e leva Mon-El junto. 

Foi interessante ver os dois em outro planeta. A própria reação de cada um ao chegar ali já mostra a principal divergência entre eles: o propósito de seus poderes. Enquanto, mesmo sem poderes por causa do céu vermelho, Kara continua atrás das pessoas que sumiram, Mon-El prefere tentar achar uma forma de voltar para a Terra. 

Apesar de tudo que aconteceu, faz sentido Mon-El não decidir virar super-herói tão facilmente. Era preciso trabalhar isso com sua personalidade. No entanto, se continuassem isso por muito tempo ficaria repetitivo, se é que já não estava ficando. Felizmente, o final do episódio logo resolve isso. Mon-El percebe que quer ser diferente do que era em Daxam - o que nos leva a forte teoria de que ele era o príncipe de seu planeta. 

supergirl 2x09

Acho que os sinais ficaram bem claros no episódio. Ele mesmo fala que o príncipe não era alguém que valia a pena e que quer mostrar que sobreviveu por um motivo. Ajudar as pessoas seria uma forma de se redimir, o que faria sentido. Além disso, sua vida é preservada por outro alien por motivos misteriosos, o que torna a teoria mais convincente ainda. Dito isso, fiquei bem feliz com sua decisão de virar herói. 

Seria interessante que ele seguisse outro caminho? Talvez. Mas acredito que sua entrada na série não faria sentido de outro jeito senão esse. Era inevitável que ele fizesse parte do time de alguma forma. Acho que vai ser legal ver Kara com um parceiro, principalmente alguém que conhece um pouco dos outros mundos que conheceu. Fica claro que eles se dão bem nessa familiaridade; é uma forma de deixá-la próxima do mundo que deixou para trás.

A jornada dos dois em Maldoria mais uma vez acaba na ideia de esperança e positividade tão pregada por nossa Supergirl. A dupla encontra um nativo, Joe, que, apesar de ameaçador no começo, logo fica amigo dos dois e os informa sobre o planeta. Sim, a garota que procuravam estava lá e o planeta era conhecido como Lua dos Escravos, o que é bem sugestivo. Por isso, apesar de contra a vontade, Mon-El se rende junto com Kara para chegar até a cela dos humanos que estavam ali - o que é bem fácil. 

Apesar das palavras de encorajamento, Supergirl não pode fazer nada sem seus poderes e só resta ficar na frente dos humanos levando choques ao impedir que os levassem para seu novo(a) 'dono(a)'. Vendo o sacrifício da líder, todos se juntam e lutam para conseguir nocautear seus captores. É, preciso dizer que foi fácil demais; mas tudo bem, a mensagem foi enviada. 

Como se tivessem cronometrado, Alex e um time do DEO conseguem chegar até Maldoria pelo mesmo portal na hora que Kara, Mon-El e o resto estavam fugindo. Felizmente Kara disse para onde estava indo e Alex percebeu sua ausência demorada, o que levou as irmãs Danvers a se encontrarem no planeta de escravos. 

supergirl 2x09

Eles quase perdem a oportunidade do portal se fechar de novo, mas tudo corre bem. Por falar nisso, eis uma novidade: Winn vai junto como sua primeira missão de campo para ajudar a abrir o portal. E ele está morrendo de medo. Apesar de não ter tido tanto foco, essa novidade para Winn é interessante. 

Ele sempre acreditou ser o tipo de pessoa que ajuda por trás dos computadores, longe da ação. No entanto, ele precisa entrar em campo para ajudar Guardião no começo do episódio e se vê com uma arma apontada para sua cabeça. Por mais que já tenha ajudado a Supergirl no meio dos acontecimentos, como quando montou um  dispositivo com Lena, ele percebe que não está preparado para ser um agente que nem Alex e se fecha completamente. 

James até tenta ir atrás de Winn, mas ele esbraveja com o amigo. Por incrível que pareça, é Alex que faz Winn enfrentar o medo. Para salvarem Kara, ela precisava alguém que conseguisse descobrir a mecânica do portal e acompanhá-la até Maldoria. Apesar de tudo, Winn se vê obrigado a ir e vê que vira até bem. Aliás, talvez ele fique é confiante demais. Nada como um mix de drama e comédia nas nossas vidas.

Last, but not the least, temos Maggie e Alex. Assim como Winn, Alex mostra ter um medo que quase a paralisa. O namoro das duas está indo de vento em polpa. Alex está nas nuvens e fica animada com as novidades do relacionamento como Maggie dormir na sua casa. Infelizmente, as coisas sofrem uma caída drástica por um momento.

supergirl 2x09 sanvers

Com Supergirl sumida, Alex está surtando. Assim, quando Maggie aparece no DEO procurando notícias suas, Alex repensa seu relacionamento e fala que 'não vai dar certo'. É, eu sei, do nada. Admito que fiquei bem confusa com a cena. Achei que Alex poderia afastar Maggie, mas terminar assim com duas palavras, achei exagerado. 

Apesar do calor da emoção e a decisão repentina, os sentimentos por trás disso fazem sentido. Alex nunca foi tão feliz quando estava sendo agora, despreocupada e leve. No momento em que vira as costas e decide aproveitar um pouco mais a vida, sua irmã fica em perigo e ela se sente culpa. Por isso, a maior represália é se privar da felicidade que estava sentindo com Maggie. Felizmente, ela percebe a burrada que fez e resolve confessar isso tudo para a namorada. Maggie não só entende como logo percebe que Kara é a Supergirl. Pois é, Maggie, os óculos realmente não escondem nada.

O melhor
Kara indo atrás de Maggie por ajuda. 
Maggie e Alex fofas. <3
Joe, o novo alien da Terra. 
Indícios de que Mon-El é o príncipe de Daxam.
Mon-El decidindo ser super-herói, além de ter protegido Kara.
James e Kara competindo sobre quem é o melhor: Supergirl ou Guardião. (Acho que só isso devia ser uma dica para a Kara.)

O pior
Fuga - talvez um pouco fácil demais - de Maldoria.
Quero ver mais o J'onn!
Alex terminando com a Maggie do nada. Wtf.

Nota 8,5


Mariana Oliveira Sou estudante de Publicidade, Beatlemaniaca e Coldplayer. Toco piano e praticamente vivo de séries e livros. Estou sempre à procura de mais uma série, afinal nunca é demais.

segunda-feira, 23 de janeiro de 2017

Spoiler Zone: Arrow, The Flash e Agents of SHIELD!

the flash, arrow, agents of shield

Arrow

Fã: Agora que a Talia al Ghul vai aparecer na série, vamos vê-la interagindo com a Nyssa?
EW: Por enquanto, vamos ver só Talia, mas parece ser possível no futuro. Ao descrever como Talia é diferente da irmã, o produtor executivo Marc Guggenheim disse, "Ela é sua própria pessoa com certeza; ela não é um clone da Nyssa, nem perto disso. Você pode sentir uma semelhança familiar. Ao ter Ra's al Ghul como pai, cria-se um tipo de pessoa específica. Elas são próximas e distantes o suficiente que eu amaria fazer uma história com as duas." E se você está se perguntando porque Oliver nunca mencionou ter cruzado com ela antes, nós vamos ter a resposta. "Nós estamos lidando diretamente com essa pergunta justa de se fazer, que é: Espera um minuto, quando Oliver conheceu o Ra's al Ghul, porque ele não falou 'Ah, espera, eu acho que conheci a sua filha na Rússia!', Guggheim disse. "Nós temos uma resposta bem específica quanto a isso."

The Flash

Fã: Podemos ganhar alguma dica do que vai acontecer na série? Obrigado!
EW: Aqui vai um gostinho: "Nós vamos ver Cisco percebendo o que ele pode fazer," o produtor Aaron Helbing disse, complementando que a chegada de Gypsy (Jessica Camacho) vai forçar Cisco a melhorar. "Gypsy é uma adversária formidável. Ele nunca percebeu a extensão de seus poderes, e ao ver Gypsy, ele vai ficar muito mais sincronizado com seus poderes e com o que ele pode fazer, seja cruzando dimensões ou abrindo portais mais rápido. Ele vai construir confiança, e isso vai ter um papel no resto da temporada na missão de Barry de salvar Iris de Savitar." 

Agents of SHIELD

Fã: Alguma novidade sobre Fitzsimmons?
EW: Agora que Fitz vai esconder o fato de estar trabalhando na cabeça da Aida de Simmons, tudo vai ficar complicado. "Eles estão cem por cento em seu relacionamento, então o objetivo é continuarem juntos não importa o que for, mas isso fica difícil quando há tantas formas para eles se despedaçarem," Elizabeth Henstridge (Jemma Simmons) disse. "Com os androids (LMDS), a Simmons tem um fascínio por eles, mas seu primeiro instinto quando encontra algo diferente é ter medo e se livrar daquilo. Com Fitz é diferente, então há aí outra causa de conflito. Eles estão tentando. Eles têm muitos desafios pela frente, mas espero que eles superem." 

Fonte: Revista EW


quarta-feira, 18 de janeiro de 2017

Review: Agents of SHIELD 4x10 - "The Patriot"

Atenção: A resenha abaixo contém spoilers do episódio "The Patriot", exibido no dia 17/01/2017!

agents of shield 4x10

Em "Broken Promises" (4x09), as revelações foram intensas. Passamos pela descoberta de Aida e sua sede pelo poder do Darkhold e a batalha interna que isso causou, além de terem tentado salvar o irmão inumano da Senadora Nadeer ao descobrirem seu envolvimento com os Watchdogs. O episódio foi imperdível, gerando nervosismo e surpresa, já que May continua em seu estado crítico sem que ninguém perceba e eu não esperava que Aida fosse descoberta tão rápido. 

Eis que nos enganamos. A descoberta não foi rápido porque nem foi uma descoberta de verdade. O vilão por trás disso tudo? O Doutor Radcliffe, como já deveríamos ter imaginado. Não pude deixar de achar interessante a forma que nos enganou ao acreditarmos que Aida tinha conseguido sentir emoções e se tornar humana, de certa forma. Só as referências à filmes com robôs malvados feitos por Mack e Elena para alegrar o nosso dia mesmo. 

No entanto, essa história ainda vai rolar. Enquanto o foco do episódio é em Mace, a nova Aida e Radcliffe tentam estabilizar May para que ela permaneça sedada. Agora que o cientista não tem acesso à sede da Shield, só o resta ficar escondido por um tempo. Apesar de não termos muito progresso, algumas coisas ficam mais claras. Radcliffe sente impulsos um tanto violentos em Aida e isso gera conflito entre os dois. Será que os efeitos do Darkhold são minimamente reais? Ou será que ela só está reproduzindo o sentimento que vê em Radcliffe (com toda sua sede por poder)?

Além disso, percebemos que eles estão coletando dados da May verdadeira, o que explica como a May-robô lembra de histórias e mimica tão bem Melinda. Depois de May quase foge, eles decidem colocar May em um estado de ação constante, o que pode facilitar agora essa coleta de dados. Not good. Principalmente quando acho que criaram um cenário de traição ou algo que manipule Melinda a pensar que alguém de seu time é seu inimigo. Será possível? Tenho um mal pressentimento.

Do outro lado, Fitz insiste em estudar a cabeça de Aida, apesar de Simmons tentar convencê-lo em deixar isso para lá. E mais uma vez Fitz vai mentir para Simmons. Eu sei, péssimo para um relacionamento, mas tenho esperança que, pelo menos, já que ele quer estudar o que deu errado, Leo descubra o envolvimento do Radcliffe. Só vamos torcer para que ele não revele ao Radcliffe o que está fazendo. 

agents of shield 4x10

Já no centro do episódio, temos Mace. Em uma homenagem pública da Shield ao trabalho de Daisy, Mace sofre um atentado à sua vida. Por isso, Coulson, Mack e um agente com uma maleta secreta ficam responsáveis por levar o Diretor para algum lugar seguro. A coisa toda vira do avesso quando o avião em que estão é atingido e o agente com a maleta é sugado no ar. Aos poucos descobrimos que os responsáveis são pessoas da Hydra que sabiam os protocolos de segurança e pareciam querer a tal maleta.

Mace, então, decide recuperá-la, levando Coulson e Mack junto para o meio da floresta. E quando o trio tenta reaver a maleta das mãos dos tais agentes da Hydra, não demora para descobrirmos seu conteúdo: drogas que dão superforça para Mace. É, nosso Diretor inumano é bem humano. Se quem já conhecia as histórias dos quadrinhos achou que a série mudaria o rumo, estava enganado. De qualquer forma, sabendo ou não, foi uma ótima reviravolta. Não só para dar uma mexida nas coisas como para entendermos melhor Mace. Ele com certeza traz muita história por trás de todos seus atos.

Talbot explica o quanto precisava de uma nova cara para a Shield e, sem ninguém inumano que pudesse assumir o controle, ele fez o necessário para reunir as qualidades que queriam. Compreensível. É muito bom ver o quanto a Shield/o governo se preocuparam em mostrar para todos que os inumanos são cidadãos como qualquer um, mas ao mesmo tempo, como Phil aponta, mentir não é a melhor maneira de construir confiança na relação com inumanos.

A história tem um final feliz. Mace consegue distrair os agentes da Hydra e, com ótimas cenas de luta, Mack desabilita a antena que impedia a Shield de encontrá-los e Coulson põe seu escudo em uso. Até May-robô e Daisy dão uma mãozinha e resgatam o trio. Com todos da equipe a par do grande segredo de Jeffrey, ele e Coulson tem uma conversa. Gostei bastante. Foi honesto e direto. Mace contou como chegou até ali, como seu título de herói foi puro engano - o que me fez pensar como escolheram ele do nada. Por isso, ele faz questão de devolver o cargo para Coulson.

agents of shield 4x10

No entanto, por mais que tenha errado, ele até que se virou bem como Diretor. Sua mensagem e oferta de proteção aos inumanos foi tocante. Por mais que não seja um, ele se preocupa e já é o suficiente. Coulson sabe disso e sabe que ter essa uma imagem na Shield a fez/fará bem. Assim, fica o trato. Mace continua como Diretor nos olhos do público, mas quando o assunto é missão e tática, o Diretor é o Coulson. Uma parceria meio rainha/primeiro ministro, eu diria.


O melhor
Simmons badass fingindo ter cortado a cabeça de alguém da Hydra para impôr respeito.
Pela primeira vez, gostei do Mace. Agora sim ele parece sincero.
Daisy pulando no atirador como se fosse nada.
Plotwist de Mace, apesar de não ser muito surpreendente para quem conhecia os quadrinhos.
Adorei a Daisy tentando descobrir se May e Coulson estavam envolvidos romanticamente. Pena que foi com a May errada.

O pior
Estou tentando entender como a Simmons tinha acesso ao Projeto Patriot se não queriam que ninguém descobrisse.
Fitz mentindo de novo, why.

Nota 9,0

Mariana Oliveira Sou estudante de Publicidade, Beatlemaniaca e Coldplayer. Toco piano e praticamente vivo de séries e livros. Estou sempre à procura de mais uma série, afinal nunca é demais.

terça-feira, 17 de janeiro de 2017

Review: Teen Wolf 6x06/07 - "Ghosted"/"Heartless"

Atenção: A resenha abaixo contém spoilers dos episódios "Ghosted" e "Heartless", exibidos nos dias 04/01/2017 e 11/01/2017!

teen wolf 6x06

Depois de nos mostrar um pouco como estava Stiles, Teen Wolf traz os dois primeiros episódios do ano, onde a trama ao mesmo tempo que avança, nos traz questionamentos (como sempre). Em "Ghosted", Lydia, Scott e Malia partem para Canaan após uma visão da banshee. Chegando lá encontram a única mulher que não foi levada pelos Caçadores em 1987. O curioso é que ela é uma banshee, o que deixa Lydia com dúvidas se ficará para trás. A mulher ainda conjurou o filho morto, para preencher o vazio que sentia... as cenas foram bem tensas, parecia um daqueles filmes de terror de espíritos. Mas, tudo termina bem e eles conseguem voltar para Beacon Hills.

Em contrapartida, temos o Team Liam fazendo merda, para variar. O garoto cismou de se impor e tomar decisões sem o Scott e um plano com a Seleninha para capturar um caçador chama a atenção do professor esquisito. O fato é que eles confiaram muito rápido no professor. Outra decisão do Liam, que só o futuro nos dirá se foi ruim, foi trazer o Theo de volta. Ele queria usar os poderes que ele roubou de Josh, mas Theo já não os tem. O interessante é que ele sabe sobre a caçada (claro) e lembra de Stiles, então o beta o julga útil.

teen wolf 6x07
"Quem está tomando as decisões aqui? Onde está o Scott? Onde está o Stiles?
Já em "Heartless", o sétimo episódio da sexta temporada, vemos Scott aceitar o plano de Liam e aceitar a ajuda de Theo, bem rápido por sinal, Malia e Melissa salvando o Peter e claro, Lydia e o xerife encontrando finalmente, o quarto que era de Stiles. Esse episódio nos revelou mais do que o anterior e teve um ritmo um pouco melhor, juntando os dois vilões da temporada, para nos mostrar do que o professor Douglas é capaz. Mas vamos com calma.

Primeiramente, Liam segue o plano e o roteiro quis que eles conseguissem capturar um caçador. O problema era se comunicar, visto que ele usava uma linguagem diferente. A solução? Chama Parrish! Ainda não entendemos bem o papel dele nessa trama em específico, até porque o Parrish foi hipnotizado pelo cavaleiro lá.

teen wolf 6x07


Quando não fica ninguém, apenas Theo no recinto, quem surge para comer um pouquinho de glândula pineal? Ele mesmo, o professor esquisitão. Não sei porque ele não matou o Theo, se ficou claro que o garoto sabe quem é ele. Mas o que deu para perceber é que, quando ele come essa parte do cérebro dos outros, absorve os poderes, caso a criatura tenha um, e já saiu largando o chicote no pobre Corey.

Melissa no episódio anterior, havia aprendido a fazer a cura das nove ervas para o seu novo crush Argent. E nesse episódio, ela utiliza no Peter, que cura tudo e ainda traz cabelo, barba e bigode para nosso vilão favorito. Bem forçado, ein! rs Mas seguindo, Peter e Malia vão atrás do lugar que ele caiu, de uma possível fenda. O plano dá errado porque os Ghosts Riders aparecem e em um momento fofo ele a manda fugir. Peter só não voltou para a estação de trem porque a morte de um Ghost assustou os demais.

teen wolf 6x07


Temos ainda a Lydia, e sua teoria de que o xerife conjurou a esposa, para preencher o vazio de Stiles assim como a Lenore fez com o filho em Canaan. Gostei até da explicação, porque o mistério cercando a volta de Claudia já estava chato... Porém, como sempre digo aqui, Teen Wolf nos revela mas ao mesmo tempo dá outros questionamentos. Nos resta acompanhar e aguardar!


PS: Kira foi citada. A bichinha faz falta.


PS2: Shippando mesmo Melissa e Argent.


PS3: Mostrem mais do Stiles, please.



Coisas da Juuh/ Autora: Juliana Rovere A resenha está em um modelo diferente do qual usamos porque foi posteriormente postada pelo nosso site parceiro Coisas da Juuh. A repostagem foi autorizada pelo autor e blog. 

Dica da Semana: Moana

Animação Disney Moana 2017

Considerado um sucesso de bilheteria nos Estados Unidos, Moana – dos Walt Disney Animation Studios – acabou de estrear no Brasil.

No filme, conhecemos Moana Waialiki (Aili’i Cravalho), a filha do chefe de uma tribo polinésia. Para salvar sua ilha, ela deve atravessar a barreira de corais – coisa que ninguém da tribo faz a gerações –, encontrar o semideus Maui (Dwayne Johnson) e ajudá-lo a devolver uma relíquia sagrada à deusa Te Fiti.

Sendo curta e grossa... Moana é um filme belíssimo. Do início ao fim.

Com uma heroína forte, aventureira e sem nenhum interesse romântico (#neednoman), Moana é mais uma amostra do novo posicionamento da Disney. Elsa, de Frozen, foi a primeira.

Em termos técnicos, no entanto, Moana é a melhor animação da Disney – literalmente! Uma busca no Google revela as novas técnicas desenvolvidas durante suaprodução. Da areia e dos tons azulados do oceano ao cabelo ondulado da heroína, é tudo tão detalhado.

Além disso, a trilha sonora se destaca muito. Não à toa “How Far I’ll Go” foi indicada ao Globo de Ouro de “Melhor Canção Original” em 2017. Para mim, entretanto, o melhor número foi “We Know The Way” de Lin-Manuel Miranda e Opetaia Foa’i.

Com uma animação brilhante, personagens carismáticos e uma trilha sonora absolutamente viciante, só tenho uma crítica ao filme: cadê o vilão?

Tamatoa (Jemaine Clements) é um caranguejo gigante (e malvado!). Seu número musical – “Shiny” – é muito divertido, mas é só. Diferente de outros, como Jafar, Ursula e Scar, ele não foi bem desenvolvido. E sua participação é tão curta, mas tão curta, que quase nos esquecemos dele depois.

Infelizmente, isso afeta o filme. Moana acaba ficando meio arrastado vez ou outra. Um herói (ou uma heroína, nesse caso) necessita de um vilão (ou uma vilã) à altura.

Mas isso sou eu!

Que tal tirar suas próprias conclusões? Um mar de aventuras aguarda você!

Thaís Cabral - Estudante de Publicidade, pseudo-escritora, leitora compulsiva e chocólatra. Gosto de séries de TV (americanas e/ou britânicas), filmes e anime/mangá.

domingo, 15 de janeiro de 2017

Spoiler Zone: Once Upon a Time, Agents of SHIELD e Supergirl!

agents of shield, ouat, supergirl

Once Upon a Time

Fã: Podem falar alguma coisa sobre o que o Rumple e a Belle vão fazer para salvar Gideon?
EW: Lembra como o Rumple disse que o tempo funciona de maneira diferente no Mundo Obscuro (Dark Realm)? A pergunta então fica: Será que Rumple e Belle podem previnir o futuro de Gideon se eles encontrarem ele mais jovem? "Essa é a questão da segunda metade da temporada," o produtor Edward Kitsis diz. "É exatamente isso que vamos explorar". 

Supergirl

Fã: Já que J'onn não se tornará um Marciano Branco, o que está por vir para o personagem?
EW: Depois de sua quase transformação, J'onn vai ter uma nova fase em sua vida, particularmente quando o assunto é a Miss Martian. "Seu relacionamento com M'gann é um assunto importante nos próximos episódios," o produtor Andrew Kreisberg diz. "Existem algumas coisas muito boas para David [Harewood] e Sharon [Leal] que estamos animados. Nós amamos a atuação de Sharon e amamos ver ela e David juntos, foi uma das coisas que mais gostamos essa temporada. Nós tivemos sorte com nossos pares românticos essa temporada e realmente achamos que temos uma ótima história entre J'onn e M'gann por vir. 

Agents of SHIELD

Fã: Algo novo sobre AoS?
EW: Os verdadeiros planos do diretor Mace vão começar a ser revelados conforme descobrimos mais sobre ele nos próximos episódios. "Há uma pergunta-base com ele quando o assunto é confiança," o produtor Jed Whedon diz. "'O time que confia é o time que triunfa!' Um cara que sempre fala isso para os novatos, mas tem um segredo, é alguém difícil de se confiar. Até mesmo no episódio 8, ele começa a fazer perguntas sobre o livro Darkhold. Eu acho que o posicionamento dele não está muito claro ainda."


Fonte: Revista EW

Mariana Oliveira Sou estudante de Publicidade, Beatlemaniaca e Coldplayer. Toco piano e praticamente vivo de séries e livros. Estou sempre à procura de mais uma série, afinal nunca é demais.

quarta-feira, 11 de janeiro de 2017

Dica da Semana: Repeteco

Bryan Lee O’Malley ficou famoso com a série Scott Pilgrim. Recentemente, ele lançou uma nova história: Repeteco (Seconds, no original).

Lançada pela Companhia das Letras com o selo Quadrinhos na Cia no Brasil, a graphic novel nos introduz à Katie, uma chef talentosa com grandes planos de vida. Ela está prestes a abrir um novo restaurante com seu sócio e está vivendo um rolo bacana com outro chef.

Infelizmente, tudo vai por água abaixo em um único dia. Katie perde uma grande oportunidade de negócios, o rolo desanda e uma de suas garçonetes se machuca. Para piorar a situação, um ex-namorado muito charmoso está de volta.

Uma garota misteriosa, um caderninho vermelho e um cogumelo, no entanto, parecem ser a resposta para todos os seus problemas. Eles oferecem uma segunda chance. De refazer as coisas. E de refazer melhor, ainda por cima.



Honestamente, Repeteco, como Lumberjanes, é uma daquelas histórias que não dá para largar até chegar ao fim. Só parei de ler para colocar os piscas-piscas na árvore de natal (e olhe lá!). A história, em si, é muito bem estruturada. Tem começo, meio e fim.

Além disso, não é uma história difícil de acompanhar. Mas é a premissa – do famoso “e se?” e suas possíveis consequências –, assim como o carisma da protagonista, que cativa o leitor.

O foco da história é na Katie, que tem que lidar com várias mudanças em sua vida. Mas isso não significa que outros personagens não consigam brilhar. Foi o caso da Hazel, que é uma gracinha, da Liz e até mesmo da “bruxa”. Raymond, co-proprietário da restaurante atual da Katie, também é hilário. 

Todos esses nomes devem ter te deixado meio confuso. Vamos simplificar? Bryan Lee O’Malley é um escritor e desenhista muito talentoso. Leia Repeteco. Vale à pena.

Thaís Cabral - Estudante de Publicidade, pseudo-escritora, leitora compulsiva e chocólatra. Gosto de séries de TV (americanas e/ou britânicas), filmes e anime/mangá.

 
UA-48753576-1