Image Slider

quinta-feira, 25 de maio de 2017

Review: Arrow 5x23 - "Lian Yu" [Season Finale]

Atenção: a resenha abaixo contém spoilers do episódio "Lian Yu", exibido no dia 24/05/17. 

arrow 5x23

Reclamo muito de Arrow o tempo todo, mas uma coisa precisamos admitir, eles realmente sabem fazer season finales. A temporada inteira pode decepcionar, mas o season finale vai ser consistente e emocionante (ao contrário de outras séries por aí). E dessa vez Arrow caprichou mesmo no episódio, teve cena para agradar todo o tipo de público, não deixou para ninguém reclamar.

Nesse season finale, deixamos Star City em paz – seus habitantes agradecem – e vamos diretamente para Lian Yu, a ilha do Oliver. Adrian Chase, em sua última jogada, sequestrou literalmente todos os personagens menos o Oliver, deixando-o sem ninguém para ajudar. Para poder resgatar seus amigos e família, Oliver precisa da ajuda de Malcolm Merlyn, Nyssa al Ghul, e, surpreendentemente, Slade Wilson e Digger Harkness, o cara do boomerang que também estava preso em Lian Yu.

No lado de Chase, temos a Laurel Lance da Terra-2 (Black Siren), Evelyn Sharp e Talia al Ghul, que ainda traz junto vários de seus capangas ninjas. Bem cedo no episódio ainda vemos Harkness trocar de lado, revelando que Chase já havia previsto que Oliver o liberaria e comprou seu apoio. Ou seja, temos um time bem equilibrado dos dois lados.

Confesso que nunca fui a maior fã do Slade e estava curiosa para ver como é que eles iriam fazer ele e Oliver trabalharem juntos novamente, mas até gostei muito como foi feito. Slade parece ter voltado à sanidade nesses últimos dois anos sem vê-lo, o Mirakuru desapareceu de seu sistema, ele continua não sendo a pessoa mais simpática do mundo, mas não é irracional. Para convencê-lo a ajudá-lo, Oliver entrega para Slade informações sobre seu filho, Joe, e promete ajudar a encontrá-lo.

A dinâmica entre Oliver e Slade é maravilhosa. Por mais que Slade tenha matado Moira e toda a segunda temporada tenha acontecido, eles voltam um pouco para o relacionamento que costumavam ter quando eram amigos. Slade fala várias coisas bem importantes sobre o Oliver, dizendo que ele sofre da síndrome do sobrevivente, que se culpa por tudo o que aconteceu desde o suicídio do seu próprio pai. Achei ótimo que eles tenham voltado logo pra onde tudo começou, admitindo que Oliver realmente vem se culpando por suas ações e é movido por esse culpa durante toda a série.

Mas não são só eles que marcam o episódio. Malcolm e Nyssa irritando um ao outro foi ótimo, e acho que eu até poderia suportar mais o Malcolm, se a Nyssa estivesse presente sempre. Ela não confia nele e não perde a oportunidade de deixar isso bem claro. Eu também, Nyssa.

arrow lian yu


Quando o grupo encontra Felicity, Curtis, Samantha e Thea, eles acabam resolvendo se separar. Já que ainda precisam encontrar o resto e levar Felicity e Samantha – que não sabem lutar – para algum lugar seguro. Temos um breve momento entre Oliver e Felicity, em que eles trocam um beijo e promessas de conversar depois, o que me deixou feliz e ansiosa para ver se eles finalmente poderão ter paz e ficar juntos sem obstáculos na temporada que vem. Felicity e Samantha também tem a chance de conversar um pouco, o que foi até interessante de se ver. Honestamente, queria que esse episódio tivesse durado uma temporada inteira para eu poder ter um pouco mais de todas as dinâmicas existentes ali.

Malcolm acaba indo acompanhar todos até o avião de Chase para irem embora, enquanto Nyssa, Slade e Oliver seguem em busca dos outros. Eu honestamente odeio o Malcolm e estava torcendo para que ele morresse nesse episódio. E não é que meus desejos foram atendidos? Thea acaba ativando uma bomba sem querer e eles não estão com tempo para achar uma solução, já que Harkness está atrás deles. Mesmo com Thea deixando claro que o odeia e não o considera seu pai (porque ele não é, pai é quem cria, beijos), Malcolm empurra Thea para ora da mina e assume seu lugar, aceitando se sacrificar para que a filha sobrevivesse. Ele tem uma morte heroica, dizendo que mesmo que ele não seja o pai da Thea, ela é sua filha, e não acho que ele merecesse uma morte positiva, porque ele é péssimo, mas aceito a morte dele de qualquer jeito que for. E ainda é útil, porque ele deixa os outros fugierem e se explode quando Harkness chega, matando o outro vilão junto.

A melhor parte é que isso leva a uma conversa entre Felicity e Thea, que eu SEMPRE quis que acontecesse. A última vez que tivemos um momento entre as duas foi literalmente há dois anos, então me emocionei muito em ver Felicity abraçando a Thea e conversando com ela. Felicity fala sobre como também tem muita mágoa em relação ao seu próprio pai, que também não é a melhor pessoa, mas que a protegeu quando precisou. Não acho que o pai da Felicity esteja no mesmo nível que o Malcolm, mas o que importa é que elas têm algo em comum e puderam conversar sobre isso por uns trinta segundos.

Enquanto isso, Quentin, Dinah, Rene e Digg estão presos em um castelinho chinês. Slade finge se voltar contra Oliver, mas apenas o suficiente para que Oliver fosse preso e pudesse levar para Dinah um colar que permitisse que seus poderes funcionassem (mesmo com o aparelho que Chase tinha colocado para impedir). Assim, Dinah pode usar seu canto de canário para poder destruir as algemas e libertar todo mundo para fugir.

Talia e Nyssa têm uma merecida luta entre irmãs. Confesso que passei o episódio inteiro morrendo de medo que eles matassem a Nyssa, mas graças a deus isso não aconteceu. As duas lutam e Nyssa sai como a vencedora. MERECIDO! Nyssa, melhor personagem e rainha do universo. As duas falam sobre o Ra’s, Talia irritada que Nyssa está se aliando aos assassinos do pai delas, enquanto Nyssa fala sobre como o pai sempre teve vergonha dela mesmo. Nyssa tem a oportunidade de matar a irmã, mas ela apenas a nocauteia e a deixa viver, mostrando, como já sabíamos, ser o ser superior que ela é.

Também vemos algumas outras lutas menores, como Dinah e Black Siren, as duas com poderes iguais, o que é bem interessante. No final, é Quentin quem salva a Dinah, derrotando a Laurel. Quero muito ver como que ele vai agir com essa outra Laurel temporada que vem.

william queen 5x23


Mas falta a grande batalha final, com Chase aparecendo de repente. Oliver precisa saber onde William está, já que não foi encontrado junto com nenhum dos dois grupos, e Chase, é claro se recusa a dizer. Adrian quer que Oliver o mate para que comprove o que ele vinha dizendo sobre Oliver ser um assassino no fundo. Dá para ver quanto Oliver está abalado com esse conflito, porque Chase está dizendo coisas horríveis e dá vontade de matá-lo, mas isso seria exatamente o que Chase quer.

Confesso que achei LINDO o Oliver resistir a vontade de matá-lo (honestamente eu já estava gritando “mata ele logo, quem se importa!!”), principalmente comparando com as cenas do flashback, do Oliver matando o Kovar, ou seja lá o nome do cara russo. Oliver diz que não vai matá-lo, não importa o que ele faça, que ele não é mais essa pessoa e que ele não vai mais se culpar pelo o que ele fez. Sério, eu literalmente vi o Oliver fechar uma Gestalt ali. Me senti muito orgulhosa dele.

Mas esse não é o fim. Logo Felicity avisa para o Oliver – usando aqueles comunicadores – que eles descobriram que a ilha inteira está cheia de bombas prontas para descobrir. E, pior, essas bombas estão diretamente ligadas com a vida do Adrian, ou seja, se ele morrer, o lugar todo explode. Por isso é mais um motivo para ele querer que o Oliver o matasse, ele queria que todo mundo morresse. Antes que Oliver pudesse reagir a isso, Adrian consegue fugir.

Oliver ainda precisa encontrar o William, então ele manda todo mundo que estava ali ir até o avião encontrar o resto e ir embora assim que possível, enquanto ele vai atrás de Chase. Essas últimas cenas de ação são super tensas, com Adrian indo até um barquinho, Oliver querendo que ele revelasse onde William estava, mas também sem poder matar o Adrian.

É então que Adrian tira sua carta final, revelando que William está preso dentro do barco e pegando-o como refém. Oliver pode atirar no Chase e salvar o William, sacrificando todo mundo na ilha, ou ele pode ver o filho morrer. No fim, não é uma escolha difícil, por que quem não salvaria a criança nessa situação? Eu trocaria a vida de vários adultos pela de uma criança qualquer sem nem pensar duas vezes, crianças merecem muito mais ser protegidas. Imagina se fosse meu filho, mais fácil ainda escolher!

Oliver atira na perna de Adrian – não o matando – e traz William para perto dele. Fiquei muito comovida de ver Oliver abraçando o filho e checando se ele está bem, espero muito que na sexta temporada a gente veja o Oliver como pai, porque foi tão lindo, Oliver merece isso, dá para ver que ele ama o filho. Só que não para aí, Oliver pode não tê-lo matado, mas Adrian continua no jogo, diz para ele que espera que os dois fiquem felizes só um com o outro, porque é tudo o que vão ter, e aí Chase puxa uma arma e se suicida, servindo de gatilho para que várias explosões ocorressem na ilha.

E acaba a temporada, sem sabermos se alguém se machucou ou morreu. Tudo bem que a maioria dos personagens está seguro porque sabemos que eles estarão na próxima temporada, mas estou morrendo de medo que eles matem a minha amada Nyssa. Se forem matar alguém, matem o Slade, já que o ator odeia a série mesmo e não vai querer voltar.

oliver flashback final


Para terminar, eu literalmente quase nunca falo dos flashbacks, mas dessa vez preciso fazer um comentário. Nós finalmente chegamos ao momento do episódio piloto, o que significa que na próxima temporada não teremos mais flashbacks dos cinco anos do Oliver. Pode até ter alguns flashbacks, mas seriam dos outros personagens.

Dessa vez, eles realmente capricharam, fizeram com que a cena tivesse sentido e, mais importante, que a continuidade emocional do Oliver acontecesse. Depois de toda essa última experiência na ilha, podemos ver o estado em que o Oliver voltou, porque ele agiu da forma que agiu.

E ainda temos uma pequena cena do Oliver ligando para a mãe e avisando que estava vivo. Eu não esperava ver a Moira nesse momento, e achei muito emocionante. Foi lindo vê-la descobrir que o filho estava vivo, Oliver chorando e dizendo que estava voltando para casa. Só tive vontade de abraçá-lo.

Não vou sentir falta dos flashbacks, porque acho que se perde muito tempo de episódio com isso e muitas vezes eles não acrescentavam em quase nada para a história. Mas achei que essa foi uma despedida ótima, fechando um ciclo da série com chave de ouro. Vendo toda a trajetória do Oliver nesses cinco anos na ilha para ele chegar nesse momento e poder se desligar da culpa relacionada ao tudo o que fez e seguir com a vida. Achei realmente muito bem feito, eu não esperava gostar tanto desse final.

O Melhor:
+ CONSISTÊNCIA!
Todas as dinâmicas entre os personagens foram maravilhosas
+ Malcolm finalmente morrendo
+ Oliver resolvendo não matar Chase
+ Chase indo até o final como um ótimo vilão
+ Momentos entre Oliver e William
Moira aparecendo no flashback
Todas as cenas em que a Nyssa estava

O Pior:
- Tentarem redimir o Malcolm
- Ainda não entendo a Evelyn! Será que ela vai morrer mesmo ou alguém vai salvá-la?
- Estou com medo da Nyssa morrer ok

Nota: 9,5

Flávia Crossetti - Estudante de psicologia, carioca, feminista, leitora compulsiva, pseudo-escritora e viciada em mais séries do que deveria.


quarta-feira, 24 de maio de 2017

Review: The Flash 3x23 - "Finish Line" [Season Finale]

Atenção: a resenha abaixo contém spoilers do episódio "Finish Line", exibido no dia 23/05/17.

the flash 3x23

Iris não morreu! Como eu torcia para acontecer – mas tive medo de que não fosse – a morte dela foi apenas uma força, e quem morreu na verdade foi HR. Como assim? Depois de revelar onde ela estava, HR se sentiu culpado, procurou Iris, a encontrou e conseguiu de trocar de lugar com ela, com a ajuda daquela tecnologia dele de trocar de identidade. Fiquei feliz!

Honestamente, não podia me importar menos com o HR. Desde sempre venho dizendo que nenhum Harrison Wells fica por mais de uma temporada, então não esperava que ele fosse durar muito mais, e ele me irritava um pouco, então sua morte não me abalou. Vai com Deus, não vai fazer muita falta. Daqui pouco vem outro Harrison Wells para ocupar o lugar, por mim podia vir o Harry mesmo, que até agora foi o melhor deles na minha opinião.

Só a Iris – que estava disfarçada de HR – que sabia dessa troca, todo o resto é pego de surpresa, e fica triste pelo HR, mas feliz pela Iris. Só quem fica mais abalada mesmo é a Tracy, que o HR chega até mesmo a dizer que ama, gente, vocês nem se conhecem há tanto tempo, não é pra tanto. Tracy fica bem chateada e me pergunto se ela vai continuar na série agora. Vai ver ela vai ser o novo Wells.

Tá, Iris está viva, e agora? E agora que aparentemente o Savitar vai desaparecer “daqui algumas horas”. Só quero comentar que ODEIO essa inconsistência, como assim quando o Eddie se matou, o Thawne imediatamente desapareceu, quando o Barry ia se matar para impedir o Savitar não ia funcionar, mas quando a Iris não morre, Savitar vai desaparecer depois de um tempo. Ou uma coisa funciona ou não, parem de mudar a regra de acordo com a própria vontade, que raiva. Eu sei que é ficção científica, mas dento do universo isso é para ser uma ciência exata, exata vem de EXATIDÃO, palavra que esses escritores precisam aprender o significado.

Mas vamos lá, Savitar resolve ir para o plano B dele agora que o plano A não deu certo: virar deus. Olha, se você veio aqui procurando uma explicação para isso, não está com sorte, porque não entendi nada. Se você entendeu e quer explicar, fique à vontade. Ele quer fazer alguma coisa com ele mesmo para se tornar onipresente, basicamente um deus, e estar em todos lugares ao mesmo tempo. Não entendo como isso funciona. Ele ia controlar o mundo? Como? Ele só iria morrer e virar energia? Como alguém “vira” deus? O que isso envolve?!

Isso não é respondido, só se sabe que esse é o plano B dele, o que nem faz sentido, porque se ele tinha a opção de virar DEUS, por que o plano A dele seria só matar a Iris? Odeio falta de explicação.

the flash finish line


Barry também sabe que faltam algumas horas para Savitar desaparecer, e ele está com Cisco e a Caitlin como prisioneiros, então não pode simplesmente deixar isso de lado e esperar um pouco. É então que ele resolve surpreender e fazer o que ninguém espera: oferecer para ajudar Savitar. O problema é ninguém espera porque isso é super idiota.

Ele encontra Savitar – que está recebendo essas novas lembranças do Barry – e se oferece para ajuda-lo, levando-o para o STAR Labs. Achei bem ridículo que eles fizeram com que Iris ficasse de cara com ele e ainda agisse toda fofa, tentando empatizar com esse novo Barry. Gente, ele acabou de tentar ASSASSINÁ-LA, para que ela ficaria tentando fazê-lo se sentir melhor? Eu sei que ele tem a cara do Barry, mas mesmo assim, nem a melhor pessoa agiria assim, irrealista e sem noção.

Mais sem noção ainda é passar a temporada inteira tentando impedir alguém e aí resolver que vão perdoar e ficar tudo de boas.

Confesso que estava irritada com a presença do Savitar e nem entendi o que aconteceu quando ele se revoltou, e não estava interessada o suficiente para voltar um pouco e rever a cena para descobrir. Mas o importante é que em algum momento, ele se revolta, percebe que nunca vai ter o que quer, que vai continuar sendo excluído ou sei lá e aí muda de lado de novo. Quem liga? Os momentos em que Savitar ficou andando com o Team Flash como se fosse certo me deixaram irritada demais, não se passou nem um dia!!! Nada contra vilões voltarem e trabalharem juntos (ver: Snart), mas desse jeito aí já é demais.

Ele volta, pega o que o Cisco estava consertando que o transformaria em deus e com a ajuda de Killer Frost fica pronto para concluir seu plano. Mas óbvio que Cisco alterou algo, então logo dá errado e ao invés de tornar Savitar um deus, o que faz é trazer o Henry – que tinha até esquecido que estava preso – de volta. Barry aparece, todos eles lutam e tal, Barry consegue combater Savitar até bem facilmente para quem TENTOU FAZER ISSO A TEMPORADA INTEIRA, aí agora de repente ele aprende, aff. Savitar fica falando que se o Barry o matar vai se tornar ele mesmo, então ele vai viver de qualquer forma. Barry resolve que não vai matá-lo, dizendo que “nunca vai se tornar assim”.

Eu pessoalmente achei bem idiota eles trazerem o próprio Barry como vilão e de alguma forma fingir que é algo totalmente separado dele. O legal de fazer isso seria ele mesmo avaliar suas escolhas de vida, sua personalidade, como ele poderia se tornar desse jeito, RECONHECER que tem uma parte dele que é o Savitar mesmo. Mas isso seria esperar de mais da série.

Mas quem acaba derrotando Savitar no final é a própria Iris, que atira nele pelas costas quando ele está indo atacar Barry. É ISSO QUE EU GOSTO DE VER. Se Barry não resolveu a situação sozinho, alguém tem que resolver né.

the flash 3x23


E fica tudo lindo, tudo maravilhoso, Savitar levou um tiro e depois desapareceu, o jornal de 2024 voltou a ter o nome da Iris com o sobrenome do Barry. Cisco estava em perigo mas Cynthia apareceu bem na hora para salvá-lo, dizendo que eles estavam conectados (almas-gêmeas? Quero mais informações sobre essa conexão, hein), então agora os dois estão bem. Julian inventou uma cura para Caitlin, que Cisco entrega para ela, mas na hora que Savitar está o atacando, Caitlin escolhe o lado dela, salvando seus amigos antes mesmo de se curar.

Aí ela aparece no funeral do HR dizendo que não é a Caitlin... Ela está loira e a Caitlin é morena. Basicamente é isso, Caitlin com uma peruca feia, porque sua personalidade voltou a ser a da Caitlin. Amiga, te apresento algo chamado TINTA. Ela resolve que precisa descobrir quem é, já que não tem mais olhos da Killer Frost, tem sentimentos da Caitlin, mas um lado “malzinho” também. Normal. Vai lá, mas pelo amor, achem uma peruca melhor.

Você acha que vai ficar todo bem, mas aí lembra que Flash ama cliffhangers, então claro que não vai. Começa um terremoto louco na cidade, todo mundo fica com medo, aí pronto, eles logo descobrem que é a Força da Velocidade, que pode ter ficado a eternidade inteira bem sem ninguém, mas agora que tiraram Henry lá de dentro ficou um buraco e alguém precisa preenchê-lo. Quem vai preencher? O Barry, óbvio, já que foi ele mesmo quem começou essa confusão. Nada mais justo.

Agora por que ele não simplesmente se dividiu, mandou um duplicado dele para a força e pronto? Não pode fazer isso? Tudo bem, uma parte dele é punida, outra não. Você pode argumentar que foi assim que Savitar surgiu, mas acho mais inteligente do que simplesmente entrar lá e acabou.

É bem bobinho porque não é como se alguém fosse acreditar que o Barry fosse ficar lá pela eternidade. Ele provavelmente vai ser salvo no primeiro episódio da próxima temporada mesmo, drama bem desnecessário. Mais fácil ter deixado ele e Iris serem felizes planejando o casamento.

O Melhor:
+ Iris está viva!
+ Caitlin achando um meio termo. Venho dizendo isso só há um milênio, tchau.
+ Iris matando Savitar
+ HR morto. Sei que era para ser ruim, mas nunca gostei dele.

O Pior:
- Barry resolvendo ajudar Savitar???
- Iris conversando com Savitar como se ele não tivesse passado meses tentando matá-la
- Falta de consistência interna
- Final desnecessário
- Meh. Bem desinteressante como episódio, no geral.


Nota: 7,0

Flávia Crossetti - Estudante de psicologia, carioca, feminista, leitora compulsiva, pseudo-escritora e viciada em mais séries do que deveria.


Review: Supergirl 2x22 - "Nevertheless, She Persisted" [Season Finale]

Atenção: A resenha abaixo contém spoilers do episódio "Nevertheless, She Persisted", exibido no dia 22/05/2017!

supergirl 2x22 superman

A grande luta entre Superman e Supergirl chegou! E não deixou a desejar. Claro, achei que iria durar mais, mas admito que foi o suficiente sem correr o risco de ser cansativo. Clark acredita estar lutando contra seu maior inimigo, enquanto Kara tenta convencer o primo do contrário sem muito sucesso. Mais uma vez, me pergunto porque Rhea simplesmente não usou a tal krytonita prateada em Supergirl, mas não vou entrar na discussão. 

As cenas são incríveis. Os dois têm uma força incrível e dão seu melhor. A luta parece bem equilibrada, mas, no final, Kara acaba vencendo. #GirlPower! E Clark faz questão de enaltecer a prima algumas vezes. Acho legal que ele fale isso, principalmente quando Kara tenta ser modesta. Mas o importante mesmo é que Clark consegue se recuperar rapidamente do controle de Rhea na Fortaleza da Solidão

O próximo passo é arranjar uma forma de salvar a cidade. E arranjam. Pesquisando na Fortaleza, Kara descobre que pode convidar Rhea para um combate e ela é praticamente obrigada a aceitar. Os ataques cessam e Supergirl tem algumas horas para se preparar. Verdade seja dita, ela não faz muita coisa, mas temos alguns momentos família. 

Clark e Kara vão visitar Cat para pedir que a mídia cubra o menos possível da luta, principalmente porque as pessoas podem querer ver e acabarem feridas - o que é bem sensato. A cena, em si, serve mais para quebrar o clima, no entanto, já que Cat tem uma paixonite por Clark e vemos ela fazer algumas "investidas".

Além disso, Kara demonstra sua preocupação com a luta - o que deveria ter nos prevenido que algo de ruim estava por vir. Ela acredita que tem tudo que pode para ser feliz: finalmente encontrou um emprego que ama, tem um namorado e salva as pessoas por meio de seu pseudônimo. Ainda assim, tudo está em risco por causa da luta. Acho que ela sente o peso de suas escolhas. Não só como vão afetar sua vida, mas também como o mundo depende dela. 

Nesse meio tempo, temos a ótima notícia que J'onn (Papa Bear!) se recuperou e finalmente participa da batalha final, o que já estava me deixando preocupada. Season finale e nada de ele participar? Tinha que, né. Não só isso, como recebemos a visita de M'gann, que ouve o pedido de ajuda inconsciente de J'onn, e chega para ajudar a cidade com uns amigos Marcianos Brancos.

supergirl 2x22 luthor

Enquanto isso, Lena entra em conflitos próprios. Depois de ser resgatada de Rhea, ela está de volta a sua empresa e se culpa por ter se deixado levar. O porquê é claro. Ela queria tanto a validação de alguém que acabou confiando demais em Rhea. E queria parabenizar Lena ser autoconsciente e falar para a mãe. 

Lilian Luthor, apesar de tudo, tenta fazer as pazes com a filha. Ela reconhece que nunca deu muito valor à Lena e propõe que a filha mostre sua capacidade ao adaptar uma máquina criada por Lex. Lena poderia até recusar a oferta, mas a verdade é que o instrumento tem grande potencial contra Rhea e os invasores de Daxam

Até aí tudo bem, maravilha. O problema é que Mon-El seria afetado pela máquina de tal forma que não poderia viver mais na Terra. O ar seria tóxico para qualquer um de Daxam. Kara, por mais que preocupada, pede à amiga que continue o trabalho, que não chegará a precisar disso. 

Particularmente, achei que Kara iria pensar em alguma solução com o tempo que tinha. Alguma coisa, algum local, que funcionasse como isolamento de Mon-El das toxinas. No entanto, o perigo já fica inerente. E o medo de Kara de perder as coisas importantes na sua vida fica latente. Seu plano gira todo em torno de ela vencer Rhea e não precisar de nenhum recurso extra.

O combate começa. As duas batalham e Kara parece estar ganhando, mas a felicidade dura pouco. Como eu já esperava, Rhea joga sujo e cria distrações para todo o lado. Primeiro, começa a atacar a cidade em diversos pontos com suas naves, ataques estes que são amenizados por J'onn, M'gann, Mon-El e Superman.

supergirl 2x22 rhea

Segundo, e último, ela usa kriptonita para enfraquecer Kara, o que torna tudo muito difícil. Nossa querida Supergirl, por mais que seja forte, não consegue lidar com a situação. Não me perguntem porque eles não acharam que Rhea não faria nada assim. Kara poderia ter se preparado com algum artifício contra a rainha, mas a verdade é que ela não é assim e luta o mais limpo possível. 

Infelizmente, isso faz com que sua pior opção se torne a melhor. Ela precisa sacrificar Mon-El para salvar a cidade. E ele aceita de braços abertos. Talvez essa tenha sido a ação mais altruísta de Mon-El. A cena toda machuca bastante, em especial ao vermos o quanto Kara sofre com isso tudo. Por estar lá há mais tempo, Mon-El não morre, mas precisa sair urgente da atmosfera terrestre.

Os minutos finais são os piores. Kara não sabe o que fazer. Alex tenta fazer o máximo pela irmã e fala o quanto se orgulha dela. Clark fala como ela é forte e como ele nunca teria conseguido ter feito a escolha que ela fez. Todos tentam, mas a verdade é que eles têm seus amores por perto. E dói. 

Eu sei, Mon-El pode ter sido meio babaca no começo, mas ele sempre pareceu querer melhorar e, por isso, eu gostava dele. O mais importante: ele e Kara se amavam. Ele foi o primeiro namorado de verdade de Kara. Alguém que ela conseguiu ter uma vida, uma relação estável. Foi bem triste ver Kara sofrendo. Ela ainda tem muito o que curar, mas, felizmente, Kara tenta seguir em frente no final. Com o apoio de Cat, Kara acredita que vai melhorar. (Preciso falar o quanto fiquei feliz por Cat SABER DA SUPERGIRL ESSE TEMPO TODO).

supergirl 2x22 karamel

O que nos espera na próxima temporada? Bom, tenho uma teoria de que não será a última vez que veremos Mon-El pelo simples fato de que, ao chegar no espaço, Mon-El parece ter sido sugado para um buraco negro ou portal do gênero.

Além disso, a série nos deu outra pequena cena promissora. Ao mesmo tempo que Kara e Kal-El foram mandados para a Terra, outro bebê foi enviado também - e não parecia ser boa coisa. E tem mais, agora Lilian está mais fortalecida em sua causa, afinal, aliens realmente invadiram a Terra e tentaram destruir o planeta, não é mesmo? 

O melhor
Cat sempre soube da Kara. <3 <3
Kara faz uma decisão que mostra o quanto ela é bondosa e maravilhosa. Quero abraça-la.
Clark apoiando a prima por ter o vencido.
Winn fanboy é o melhor Winn.
Lena vendo a influência da falta de interesse da mãe em si mesma. 
Mon-El se sacrificando. 
AH, ALEX PEDE MAGGIE EM CASAMENTO. #Queremos

O pior
Mon-El.
Argh, não acredito que agora a Lilian pode ganhar mais credibilidade. 

Nota 9,4

Mariana Oliveira Sou Publicitária, Beatlemaniaca e Coldplayer. Toco piano e praticamente vivo de séries e livros. Acho que começo uma série nova toda semana. 

segunda-feira, 22 de maio de 2017

Spoiler Zone: The Flash, Arrow, Supergirl e mais!

spoiler zone flash, arrow, supergirl

Once Upon a Time

Fã: Na hora que eu vi uma máscara da Polinésia em um dos portais do chapéu durante o finale, eu sabia que a mãe da Lucy tinha grandes chances de ser a Moana.
EW: Não assuma isso tão rápido. "Para examinar os portais como dicas do que a sétima temporada será pode não ser necessariamente o porquê de elas estarem lá," o produtor Adam Horowitz disse. "É algo muito mais simbólico para mostrar o quão grande é esse universo e como há muito a ser explorado do que qualquer outra coisa." Então, a teoria é improvável de ser verdade, mas não perca as esperanças!

The Flash

Fã: Alguma dica sobre o finale de The Flash?
EW: Eu vou deixar o produtor Andrew Kreisberg responder essa: "Teremos um ultimato com Savitar no final, mas é provável que a batalha não seja o que você está esperando. Só porque Savitar é uma versão do Barry, a coisa não acaba como esperaríamos." Seja lá o que isso significa.


Agents of SHIELD

Fã: Deveríamos ficar preocupados com Fitzsimmons na próxima temporada?
EW: Claro que sim, deveríamos estar preocupados com todo mundo. Sério, Coulson está no espaço! Mas, sim, vai ser bem difícil para o Fitz seguir em frente depois de tudo que fez, o que deve afetar o relacionamento de Fitzsimmons conforme avançam. "É certo dizer que ele não está completamente recuperado," o produtor Jed Whedon disse. "Todos têm alguma forma de dor, alguma escuridão em seus passados. Nós sabemos o quanto Fitz é duro consigo mesmo, e ele era o pior tipo de pessoa no Framework, então eu não acho que é algo que se é superado facilmente."

Arrow

Fã: Vocês têm alguma coisa para contar sobre Malcolm no finale de Arrow?
EW: Eu posso dizer que, no despertar das vantagens da Legião de Doom que teve, Malcolm vai tentar de tudo para reconciliar com Thea, inclusive ao tomar a decisão mais paternal que já tomou.

Supergirl

Fã: Por que o Superman está lutando com a Supergirl?
EW: Vamos descobrir no finale, mas pode ter certeza que Rhea teve a ver com isso. De qualquer forma, a luta entre os dois Supers vai afetá-los física e emocionalmente. "Qualquer momento que você se vê lutando com alguém da sua família, tem um preço," Tyler Hoechlin (Superman/Clark) disse. "Mas é algo que vocês vão ter que esperar para ver; é mais complicado do que parece."


Fonte: Revista EW

Mariana Oliveira Sou Publicitária, Beatlemaniaca e Coldplayer. Toco piano e praticamente vivo de séries e livros. Acho que começo uma série nova toda semana. 

domingo, 21 de maio de 2017

Dica da Semana: Fragmentado (2017)

fragmentado filme

Há umas duas semanas assisti ao filme "Fragmentado" e só pensava em vir dividir com vocês. Li pouco sobre o mesmo antes de ir, só sabia que um cara tinha 23 personalidades. Mas é difícil encontrar uma pessoa que não saia do cinema reflexivo e eu diria até perturbado. 

Kevin (James McAvoy) possui 23 personalidades distintas e consegue alterná-las quimicamente em seu organismo apenas com a força do pensamento. Um dia, ele sequestra três adolescentes que encontra em um estacionamento. Vivendo em cativeiro, elas passam a conhecer as diferentes facetas de Kevin e precisam encontrar algum meio de escapar. 

O filme já começa nos apresentando a três adolescentes e logo em seguida ao sequestro delas por Kevin. Sem entender muito (nem elas e nem nós) percebemos uma característica do sequestrador: o TOC por limpeza. Logo depois, o vemos em uma psiquiatra, mas com um outro jeito, mais afeminado, já é a segunda personalidade. A Drª em questão, Karen Fletcher, estuda os desvios de identidade de seus pacientes e, de acordo com seus registros, Kevin apresenta 23. 

A história se passa então no suspense da Drª descobrir que ele sequestrou as meninas e nas tentativas, todas frustradas, de fugas delas. Conhecemos mais profundamente, a personagem Casey, através de suas memórias, que vão nos dando peças para compor o seu quebra-cabeça e desvendar seu passado, que acaba sendo ligado a Kevin. Não no sentido de se conhecerem, mas de já terem passado por algo parecido. O Kevin em si só conhecemos no final e por poucos minutos.

fragmentado filme

As personalidades que mais se destacam são o Dennis, que sequestrou as meninas, tem mais força e o toque; Barry, que é estilista e gay, com uma crise existencial; Patrícia, que é mulher, fanática religiosa e comanda junto com o Dennis o sequestro; e Hedwig, que tem apenas 8/9 anos. Sim, é explicado pela Drª Fletcher que as personalidades têm o poder de mudar fisiologicamente o paciente e não somente psicologicamente. É Hedwig que vai nos entregando o grande plano dos "cabeças", é ele que consegue assumir o controle dos outros e por isso sabe dos planos. Também deixa escapar sobre uma fera, algo que está para chegar na personalidade de Kevin e confirmar mais ainda a tal mudança fisiológica! 

Sobre a atuação: Se James não ganhar o Oscar, eu juro que não entenderei a premiação. É louco demais cada personalidade, mas ele faz com tanta maestria, que em determinada cena que vai alternando entre eles, sem troca de figurino, sem aviso, conseguimos notar na hora quem está assumindo o controle. No mais, o ator em Orphan Black (aquela série sobre clones que já indiquei aqui) faria um estrago, uma atuação de monstro.

fragmentado filme

É interessante pensar em como a mente humana é bem trabalhosa, mesmo que o diretor mescle um pouco de sobrenatural em "Fragmentado", o que martela na nossa cabeça é até que ponto nos dizemos sãs, até que ponto quem é "louco" não é o "são". Um suspense de tirar fôlego, com excelentes atuações e coisas para se pensar. Intrigante, o diretor M. Night Shyamalan de filmes como "O sexto sentido" e "Sinais" parece ter voltado a sua "praia" com esse filme. Espere para muitos close-ups. E eu ainda vou além em mais uma reflexão: a solidão da Drª. Sem spoilers, digamos apenas que ela é uma mulher que se dedicou ao seu trabalho, pacientes, mas que vive sozinha e que poderia ter tido uma ajuda no caso de Kevin. Para saber como acaba, assistam! Super indico! 

Besos 

PS: Cenas cortadas e um final alternativos estarão no DVD do filme, e embora não mudem muito na história é bem legal para se pensar como as mentes por trás pensaram e montaram o enredo todo. 

PS2: E se a força da sua mente fosse tão forte a ponto de promover mudanças biológicas no seu corpo? O argumento do diretor é acadêmico, ele diz que se inspirou em estudos reais da psicologia. 

PS3: O filme é um Thriller psicológico, com clímax e anticlímax. Para que gosta do gênero, espere por uma ou duas conexões com outros filmes. 

PS4: E as outras personalidades?? Através de vídeos, conseguimos ver mais alguns. Pasmem! Tem até um diabético fazendo uso de insulina. 



Direção: M. Night Shyamalan 
Elenco: James McAvoy, Anya Taylor-Joy, Betty Buckley mais 
Gêneros: Suspense, Fantasia, Terror 
Nacionalidade: EUA


Coisas da Juuh/ Autora: Juliana Rovere A resenha está em um modelo diferente do qual usamos porque foi posteriormente postada pelo nosso site parceiro Coisas da Juuh. A repostagem foi autorizada pelo autor e blog. 

Review: The Originals 4x08 - "Voodoo in My Blood"

Atenção: A resenha abaixo contém spoilers do episódio "Voodoo in My Blood" , exibido no dia 12/05/2017!

the originals 4x08 alaric

A mitologia da Hollow! Se tem uma coisa que eu amo nas séries é quando a mitologia une todas as coias, quando uma história vem para nos mostrar coisas lá de trás, trazendo junto flashsbacks. Se já conhecíamos a origem dos vampiros, nada mais justo do que conhecer agora a origem dos lobisomens. Outra coisa que gosto bastante é o crossover entre a série mãe, TVD e The Originals. E essa semana tivemos a visita do Alaric. Vamos lá: 

Depois de conseguirem reestabelecer o contato com os Ancestrais, era óbvio que não ia demorar para vermos aquele rostinho conhecido, Davina. Klaus e Hayley seguem para o encontro com a falecida, enquanto Marcel e Elijah trabalham juntos para ir buscar o osso que Alaric tinha, que era protegido pela família LockWood (Hi Tyler!). 

O que eles não sabiam era que a Hollow já estava empossada na Sofya e foi aquela correria. Descobrimos através da Davina, que quando duas tribos tentaram se unir casando dois membros, a filha deles nasceu com um poder indescritível. Ela foi matando todos da vila e para pará-la eles conseguiram que a mãe a matasse e deram quatro partes de seus ossos para cada um da tribo guardar. Acontece que a mãe era ancestral da Hayley e antes de morrer a Hollow jogou a maldição para eles se transformarem durante a lua cheia. Davina explica que Hayley pode matá-la, mas apenas se rolar um sacrifício. 

the originals 4x08 klaus

Quem ela quer sacrificar? Klaus, lógico. Gosto da Davina e já shippei bastante ela com o Kol, mas essa cisma da personagem com o Klaus, o que acabou causando a morte dela, não me agrada. Sorte que a Hope, que sempre prometeu desde bebê ser uma forte bruxa, aparece e salva o seu pai - e o dia- e quebra a conexão com Davina. Ao final, temos Elijah pensando mais em si, coisa que comentei na review passada já estava na hora de acontecer. Porém, ele é pego pela Hollow e não sabemos qual será o seu destino. 

Algum Original morre dessa vez? Com mais perguntas respondidas, esse episódio nos fez ver que falta pouco para a grande vilã dessa temporada adquirir um corpo físico. Além de deixar no ar a visita de Hope ao instituto da Caroline com o Alaric para as crianças "sobrenaturais". Curti! Agora faltam apenas 5 episódios para o fim da temporada, que graças, foi renovada. Vamos aguardar! 

Besos 

PS: Freya beijou a Keelin e nem deu as caras esse episódio. 

PS2: Nem o Josh. 

PS3: Que venham mais cenas da Hope. 

PS4: Ric caçador, adoro!


Coisas da Juuh/ Autora: Juliana Rovere A resenha está em um modelo diferente do qual usamos porque foi posteriormente postada pelo nosso site parceiro Coisas da Juuh. A repostagem foi autorizada pelo autor e blog. 

sexta-feira, 19 de maio de 2017

Review: Agents of SHIELD 4x22 - "World's End" [Season Finale]

Atenção: A resenha abaixo contém spoilers do episódio "World's End", exibido no dia 16/05/2017!

agents of shield 4x22 philinda

Robbie está de volta e não está com tempo a perder! Depois de seu retonrno, nosso motoqueiro fantasma é atraído até o Darkhold e Aida. Sendo feito da matéria obscura que criou os dois, o "diabo" dentro de Robbie nos traz imediatamente a solução à ameaça de Aida: o Motoqueiro é o único que consegue matá-la. Ainda assim, a execução não é nada simples. Aida tem poderes inumanos e por mais que ele consiga feri-la, ela consegue escapar facilmente. 

Pelo menos, Robbie é encontrado facilmente por Daisy e logo é chamado para ajudar nossos agentes. Coulson, May e todo o resto estão tentando lidar com as consequências do episódio passado. Por um lado, eles ainda estão sendo procurados para explicarem a situação com Mace. Por outro, precisam encontrar uma forma de ajudar Yoyo a sair do Framework, já que foi sem qualquer plano. A primeira solução parece fácil: ir a uma reunião marcada por Talbot, mas a coisa saí pela culatra. 

Aida com certeza é uma boa vilã. Aliás, adoro como a trajetória dela foi bem trabalhada. Apesar do fato de terem a colocado como par do Fitz (por mais que fosse irreal), entendo que ela precisava sentir o amor de alguma forma para depois sentir o oposto. A experiência dela como humana diz bastante sobre nós e é algo totalmente paradoxal no caso da Aida. No momento em que ela finalmente conseguiu o que queria, ela percebeu que preferia ser uma android. Ela precisou viver para perceber o quanto tinha idealizado a experiência. Ela precisou dessa experiência e a dor de ter sentimentos para isso. Essa mudança cria uma personagem diferente. Agora ela está desequilibrada e instável. 

Ela quer vingança. E resolve recriar o mundo da Hydra que tinha para isso. Como? Acusando Daisy de um ataque à Talbot ao usar uma androide da heroína. Infelizmente a coisa funciona. Talbot acaba no hospital e a Shield é vista como hostil de vez. No entanto, Phil decide que é hora de agir para acabar com isso de vez. Assim, criam um plano - que envolve, em especial, Fitz e Simmons

agents of shield 4x22 fitzsimmons

Os dois passaram por bons bucados. Por mais que não tenham conversado tanto quanto gostaríamos, eles estão se resolvendo. Apesar do episódio anterior, Jemma continua receosa quanto aos sentimentos de Fitz quanto Aida. Ainda assim, é ela que ajuda o cientista a se culpar menos por tudo que fez no Framework. Leo faz questão de se lembrar dos erros que cometeu, mas Jemma, maravilhosa, insiste em lembrá-lo quem é de verdade. Ou melhor, passa falar que o "poder de matar" que Fitz tinha poderia vir a calhar já que queriam derrotar Aida. 

Em uma sequência de cenas confusas e emotivas - que são melhores vistas do que descritas -, a série conseguiu fazer exatamente isso. Usar o "Doctor" de Fitz para criar andróides que confundiriam a Aida a pensar que venceu, nos dando a chance de vê-la ser derrotada finalmente. Tivemos a péssima imagem de ver Aida matando Jemma, só para descobrir que ela estava viva. Apesar do choque, gostei. Sempre me orgulho de ver como eles estão acertando mais nos planos, fazendo algo inteligente. Além disso, tinha certeza que não matariam a Simmons dessa forma. No mínimo, já tinha a teoria que usariam o mecanismo da Aida para fazer a Jemma voltar. Tudo é possível. 

Por falar nisso, tudo é possível mesmo - inclusive que o espírito da vingança de Robbie tomasse conta de Coulson para que o agente conseguisse enganar Aida mais uma vez. Parabéns a todos os envolvidos. Agora, porque o espírito não estava em Robbie? Porque o novato estava ajudando Daisy a salvar Yoyo e Mack (dando apoio moral, basicamente). 

Quanto à Mack e Yoyo, a situação está feia. O Framework está em colapso. Desde que Aida se tornou humana, o mundo virtual não tem mais nada em que se segurar, e Yoyo e Mack correm perigo. Mais uma vez, a série resolveu brincar com as nossas emoções. Os dois correm contra o tempo. Sendo guiado por Daisy, Radcliffe é quem ajuda Elena a encontrar uma saída dali - adoro quando a Daisy volta às origens e usa seus conhecimentos de hacker. O problema todo é convencer Mack a voltar.

agents of shield 4x22 yoyo

Yoyo percebe o quanto Hope é importante para Mack, mas ele não reconhece a namorada e isso a frusta bastante. Radcliffe está ali para tentar dá-la razão e fazer Yoyo voltar mesmo que Mack não queira, mas a verdade é que a emoção vence. Todos estão desaparecendo, as coisas estão mudando e, se aquela realidade parecia real, agora claramente não é. Ainda assim, Mack resiste. Hope está com medo e, pela primeira vez, começa a questionar sua existência. Ela não quer morrer. Mack não vai deixá-la. E se ele não vai deixá-la, Elena vai ficar com quem ama também. No entanto, no último segundo, Mack tem o último choque com Hope sumindo e eles conseguem voltar. 

Meu coração foi na boca. Não vou enganar, já tinha pensado na possibilidade de Yoyo ser quem decide ficar na Framework e a série perder os dois, mas ver isso acontecer foi outra coisa. Felizmente, Agents of Shield só resolveu dar um susto na gente. Amei como Yoyo ficou de coração partido por querer separar Mack da filha e fala isso. 

O mais importante foi ver que ele conseguiu ter uma visão otimista. Claro, deve ter doído muito, mas ele conseguiu ter anos de convivência com uma filha que ele nunca teria qualquer chance. Essa foi a melhor das consequências de ter memórias dessas duas vidas. Infelizmente, nosso sonho de ter a Hope na vida real (que super achei que Mack poderia ter tentado - mesmo que não acontecesse) não se realizou, mas já consegui sorrir com a oportunidade que Mack teve como pai. 


Além disso, não poderia deixar de comentar na maravilha de dupla que Daisy e Robbie formaram. As cenas da dupla foram sensacionais, e Coulson concordaria mesmo sem ter visto. Adorei ver os dois em sincronia. Nesse episódio, ficou claro que a amizade deles cresceu com todas as experiências que sofreram juntos e, mesmo com Robbie indo embora para salvar o Darkhold, eles acabam contando um no outro. 


agents of shield 4x22 robbie daisy

Por mais que tenham salvado o mundo dos planos de Aida, nossos heróis continuam sendo fugitivos. Fitz, assim, decide levar a culpa por tudo. Como já vimos, ele ainda tem um longo caminho para voltar a encontrar seu eu antigo e ele decide que esse é o melhor. No entanto, Daisy se opõe e fala por todos ao mesmo tempo que a série nos dá uma ótima conclusão do ciclo da temporada. Ela percebe que Fitz está tentando fazer a mesma coisa por ela: se culpando e afastando as pessoas. 

Ele não precisa. Todos ali sabem que o Framework mexeu com cada um de formas perturbadoras, mas não significa que tenham que enfrentar nada disso sozinhos. Esse foi o maior aprendizado que Daisy teve na temporada, e foi bom ver ela verbalizando seu crescimento. Fitz pode demorar para processar tudo, mas, uma coisa é certa, eles estarão ali juntos. 

O discurso foi ótimo, mas não impediu o inevitável: os agentes foram presos. Ou pelo menos foi o que pareceu. No final, ficamos com duas grandes perguntas. A primeira é: Qual segredo Coulson está escondendo que o possibilitou encorporando o espírito da vingança? A segunda é: Por que diabos Phil está no espaço e não parece estar em uma cela? Seria a Zona Negativa dos quadrinhos? Por que ele fala que vai começar os trabalhos? 


O melhor
Mack vendo a oportunidade que teve com a filha. 
Robbie e Daisy lutando juntos!
Coulson triste por ter perdido a oportunidade de ver a dupla em ação. 
Chance de Coulson e May terem um relacionamento romântico. 
Daisy e seu discurso para Fitz. 
Plano contra Aida cheio de surpresas. 
O pior
Hope :(
Malditos sustos dessa série. 
O Robbie não podia ter só jogado o Darkhold para o outro lado e ficado, não?

Nota 9,0

Mariana Oliveira Sou Publicitária, Beatlemaniaca e Coldplayer. Toco piano e praticamente vivo de séries e livros. Acho que começo uma série nova toda semana. 

Review: Arrow 5x22 - "Missing"

Atenção: a resenha abaixo contém spoilers do episódio "Missing", exibido no dia 17/05/17.

arrow 5x22

É aniversário do Oliver! Depois de cinco temporadas, finalmente o protagonista consegue comemorar um aniversário, já que é bem em maio quando a cidade costuma estar um caos. Quando fiquei sabendo que veríamos uma festa, fiquei muito feliz. Sempre achei que o Oliver merecia uma celebração, pelo menos um dia de paz. E, mais do que isso, seria uma oportunidade para ver todos os personagens interagindo de maneira mais casual, o que eu sempre AMO.

Eu adorei a festa, mas para falar a verdade, durou bem menos do que eu gostaria. Eu teria explorado um pouco mais as dinâmicas entre todos os personagens – por exemplo, o que o Quentin deu de presente pro Oliver?! Preciso saber – e deixado a felicidade deles durar um pouco mais de tempo. Na realidade, a festa só durou tempo o suficiente para termos uma cena entre Oliver e Felicity, em que os dois estão flertando meio tentativamente, meio sem saber se voltam ou não voltam, e a Felicity diz que vão dar “um passo de cada vez”. Ou seja, eles vão voltar, mas vai ser lentamente.

Tudo bem tranquilo, eles comem bolo, riem juntos, e cada um vai para sua casa. Isso é até Curtis ir visitar Dinah – que não apareceu na festa – e descobrir que sua casa estava arrombada, só para ser sequestrado ao entrar. Sorte que ele estava falando com Felicity na hora e ela não demora muito para perceber que algo tinha acontecido, mandando Oliver e Digg investigar. É então que eles descobrem que Curtis, Dinah e Rene foram sequestrados.

É claro que eles logo sacam que isso é ainda o plano de Adrian Chase, que está preso, e Oliver logo descobre que é a Talia que está o ajudando, sequestrando seus amigos para ele. Oliver entende bem rápido o que Chase quer, está tirando seus amigos, sua equipe, já que Oliver disse que eles eram sua maior força, para que agora ele não tenha mais ninguém e não consiga vencer.

Oliver até mesmo vai até Chase, dizendo que não vai dar a ele a satisfação de matá-lo e não vai cair nesse jogo.

arrow black siren


Só que acaba sendo um pouco inevitável, né. Oliver até manda Quentin e Thea para um abrigo do ARGUS, mas é um abrigo bem mais ou menos porque logo é invadido. Evelyn, que continua sendo do mal por motivo nenhum, e Black Siren, que foi libertada por Chase e tem uma dívida ou algo assim, chegam lá só para confundir a cabeça do Quentin.

Pelo o que parece essa nova Laurel vai continuar na próxima temporada e isso só me faz me sentir mal pelo Lance, que precisa encarar a filha que não é sua filha de verdade. Ele fica um pouco confuso no início, já que ele não sabia da existência da Black Siren e ela realmente está vestida igual a Laurel, e isso é o suficiente para que ela e Evelyn consigam desarmar tanto Quentin quanto Thea e sequestrá-los também. Thea conversa com Quentin, contando tudo para ele sobre a outra Terra e explicando que, por mais que pareça, aquela não é a Laurel de verdade.

Quentin até pareceu aceitar essa ideia com certa facilidade, mas tenho certeza que essa dinâmica ainda vai aparecer mais alguma vez. Confesso que estou curiosa mesmo é para ouvir como era a vida dessa outra Laurel para ela ter se tornado tão diferente. Ela diz nesse episódio que isso – sequestrar o pai – também não era fácil para ela, e pode ser que ela estivesse mentindo para se assemelhar mais a Laurel daqui, mas com certeza ela tinha um pai, né, então imagino como era a relação dos dois nesse outro universo.

Com Thea e Quentin sequestrados, Oliver fica bem desesperado e resolve que o melhor era que Digg e Felicity fugissem enquanto ainda pudessem. Achei um pouco irônico porque Oliver diz que Chase sabe que o instinto dele seria protegê-los mais, por isso eles deveriam ir embora, mas o verdadeiro instinto do Oliver é sempre afastar os outros, então na verdade ele fez exatamente o esperado, na minha opinião. Mas achei válida a tentativa dele de proteger os amigos.

Felicity não fica muito feliz com a ideia de fugir, dizendo que está com um pressentimento ruim de tudo isso, mas John acaba a convencendo de que essa é a melhor ideia. Obviamente não é, porque Talia al Ghul aparece logo no caminho deles. E, sim, ela também os sequestra. Todo mundo sequestrado menos o Oliver.

arrow missing


Ok, Oliver sozinho e agora? Ele precisa de uma equipe e isso significa se aliar a pessoas inesperadas. A primeira que aparece, para minha infelicidade, é Malcolm Merlyn. Ele ficou sabendo, de alguma forma, que a Thea foi sequestrada e resolveu tirar satisfação pessoalmente.

Eu odeio o Malcolm e a única coisa que espero é que eles usem essa oportunidade para finalmente o matarem. Ele já deu o que tinha para dar há muito tempo! Se esse episódio serviu para me deixar feliz que eles se lembraram que Robert é o verdadeiro pai da Thea, dessa vez é o contrário. Malcolm vem fazer o ato de bom pai, o que seria acreditável se ele não tivesse sido responsável pela morte do Tommy e nunca pareceu se importar com o fato. Não vou esquecer nunca.

Oliver também não fica muito satisfeito com a presença de Malcolm, mas acaba aceitando a ajuda sem muita opção. Depois de Digg e Felicity serem sequestrados, Oliver vai diretamente falar com Chase, que faz uma ameaça e revela que, além de todos os amigos de Oliver, também sequestrou William. Aí é outra história, até o momento Oliver queria salvar todo mundo, mas não ia seguir o que Chase falou, mas colocar o filho dele em risco já é demais pro Oliver e ele acaba fazendo exatamente o que Chase quer: liberá-lo da prisão. E Adrian ainda conseguiu um helicóptero e tudo.

Não gosto nem um pouco da comparação que eles fazem entre Oliver e Malcolm em relação a Thea e William, mas não vou reclamar muito. Achei o jeito como eles lidaram com a história do William na temporada passada foi horrível, mas vou dar uma chance para melhorarem isso. Oliver falando sobre o filho, dizendo que ele é a parte mais pura dele foi lindo, eu tenho um ponto fraco para histórias que envolvem crianças, então achei bem fofinho e espero que possamos ver o Oliver realmente ter um papel de pai na próxima temporada.

Para poder resgatar todo mundo, principalmente agora que Chase está livre, Oliver precisa de mais ajuda do que Malcolm, e ele chama a MELHOR PESSOA: Nyssa al Ghul. Ela compensa totalmente a presença do Malcolm. Amo e idolatro a Nyssa.

E mais do que isso, eles logo descobrem para onde Adrian foi, Lian Yu, a ilha do Oliver. E, chegando lá, Oliver acaba pedindo ajuda para a pessoa mais inesperada de todas, Slade. Confesso que só esperava por isso porque eu já tinha visto spoilers há muito tempo, senão teria ficado surpresa. Estou curiosa para o season finale.

O Melhor:
+ Nyssa!! E ainda por cima mencionando a Sara, ganhei meu dia.
+ Aniversário do Oliver
+ Conversa entre Oliver e Felicity
+ Oliver falando do William
+ Surpreendente Oliver ir até o Slade

O Pior:
- Malcolm aparecendo de novo
- Achei que eles conseguiram sequestrar todo mundo muito fácil
- Senti que faltou uma certa emoção no episódio

Nota: 7,8

Flávia Crossetti - Estudante de psicologia, carioca, feminista, leitora compulsiva, pseudo-escritora e viciada em mais séries do que deveria.


quarta-feira, 17 de maio de 2017

Review: The Flash 3x22 - "Infantino Street"

Atenção: a resenha abaixo contém spoilers do episódio "Infantino Street", exibido no dia 16/05/17.

the flash snart 3x22

Depois de muitos episódios dedicados a mudar o futuro, chegamos ao fatídico dia que Iris estava predestinada a morrer. Barry passou meses tentando impedir e, para falar a verdade, não conseguiu mudar quase nada. A maior diferença foi encontrar Tracy antes mesmo de ela inventar a tecnologia para prender Savitar, e Tracy até fez a parte dela, adiantando em muito tempo a pesquisa dela, mas infelizmente para completar eles precisam de uma quantidade absurda de tecnologia.

Como vimos por alguns segundos no episódio passado, existe uma pedra – ou algo assim – capaz de gerar essa energia, mas está guardada no ARGUS, junto com aquele cara metade tubarão (King Shark). Cisco descobre logo sobre a existência dessa pedra e arranja uma reunião com a Lyla para conseguirem, por mais que Lyla seja mais ou menos amiga deles, ela não confia no Barry. Não só porque Barry apagou sua filha da existência (eu totalmente iria querer vingança se ele fizesse isso comigo), mas porque voltou no passado e mudou tudo, provando que ele não é uma pessoa muito responsável. E isso porque a Lyla nem sabe que Savitar é o próprio Barry, né.

Lyla diz pro Barry que sente muito, mas não vai entregar a pedra para ele, e então só resta uma opção: roubá-la. Barry acha que seria super fácil, mas só por idiotice mesmo, porque é claro que roubar o ARGUS não é fácil. Para começar, nenhum dos poderes metahumans funcionam dentro do prédio, sem falar que tem um milhão de camadas de segurança. Ou seja, bem difícil o Team Flash conseguir entrar lá. A não ser que eles tenham ajuda.

Barry acaba indo atrás do melhor ladrão que ele conhece: Snart. O Captain Cold pode já ter morrido em Legends of Tomorrow, mas Barry volta no tempo, encontra Snart em uma das missões de LoT e pede por ajuda. Snart, que passou de vilão para herói na outra série, concorda em ajudar.

Eles até conseguem invadir o ARGUS com facilidade, com Barry usa aquela “máscara” que o HR trouxe para se disfarçar de Lyla e, depois de poucos desafios, eles conseguem encontrar onde a tal pedra está. O único problema era que eles não sabiam que o King Shark estaria ali e não se prepararam.

king shark 3x22


Já é a terceira vez que nós encontramos esse tubarão, e nunca deixa de me irritar. Pra quê? Simplesmente odeio que sou obrigada a ver com meus próprios olhos isso. Mas pelo menos parece que eles ficaram melhores em CGI, ou pelo menos não mostraram o tubarão tantas vezes assim. Eu ainda prefiro que essa seja a última vez que ele apareça. Por favor.

Barry e Snart acabam entrando em um dilema moral, Barry quer simplesmente matar o King Shark, e Snart logo percebe que Barry pediu ajuda a ele porque sabia que ele não teria muitos problemas com morte. Mas é só apontar isso para Barry, que ele percebe como está disposto a fazer qualquer coisa para salvar a Iris, mesmo cruzar uma linha. Snart acaba surgindo com uma solução mais pacífica, usando o frio para abaixar a temperatura da sala e fazer com que o tubarão adormecesse. Funciona, e eles conseguem entrar e pegar a pedra, só que esqueceram alguma coisa de segurança, porque soa um alarme.

Barry até escapa a tempo, mas Snart fica para trás e Barry precisa decidir entre arriscar ficar e salvar o Snart, ou fugir com a pedra e salvar Iris. É claro que ele acaba ajudando Snart, com sua parte “heroica” falando mais alto, e os agentes da ARGUS chegam logo em seguida, cercando-os.

Para sua sorte, Lyla vê que Barry salvou Snart e percebe o heroísmo nele, resolvendo deixá-lo usar a pedra. Lyla sendo fofa, porque eu não deixaria, não, muito menos depois de ele ter tentado roubar.

Por mais que tenha sido divertido ver Snart de novo e eu gosto da dinâmica entre os dois, confesso que não entendi muito bem o propósito de gastar tanto tempo do episódio com isso. Imagino que talvez no episódio que vem ele precise decidir algo sobre quem ele é, por isso nesse episódio tanto a Lyla quanto o Snart ficaram mencionando várias vezes sobre como ele precisa fazer a coisa certa e não deixar a ruindade do Savitar afetar o modo dele mesmo de agir.


the flash infantino street


Mas e Iris? Como sempre, The Flash coloca mais foco em Barry e no que ele está fazendo, do que realmente na Iris e como ela está lidando com sua morte estar tão perto. Tudo bem, temos algumas cenas, mas acho que considerando o tema, deveria ter sido a parte principal do episódio.

Vemos Iris falando com o Joe, um momento fofinho entre os dois em que eles trocam segredos, coisas pequenas que nunca tinham falado um para o outro, como a vez que a Iris trocou de quarto com o Barry aos 16 anos porque queria fugir de casa. Queria ter visto pelo menos um momento dela com o irmão, mas nós mal vemos Wally nesse episódio.

Ela também grava um vídeo para o Barry, meio que “caso algo aconteça”, no vídeo ela só diz os votos dela de casamento, dizendo que aceita ele como marido. Foi bem emotivo, para falar a verdade. Principalmente por causa do timing: Savitar consegue encontrar Iris (que tinha ido se esconder na Terra-2) bem facilmente, e a leva bem para a praça que ela morre, concretizando a cena que Barry viu no futuro.

Mas sem problemas, né, afinal o Barry conseguiu a pedra com a Lyla e vai ficar tudo bem, né? NÃO. Barry está com tudo pronto, atira no Savitar e... Nada. Aparentemente, ele veio se preparando e agora está imune a ela. Como assim?! Tudo isso pra quê? Para ele matar a Iris de qualquer forma?

Ao que tudo indica, sim. Savitar mata Iris bem na frente de todo mundo, não poupando nossos corações. Olha, eu ainda tenho uma pitada de esperança que eles façam algo no episódio que vem para reviver a Iris, revelar que de alguma forma aquela não era ela, não sei, mas se ela estiver morta mesmo, vou me revoltar. QUAL É O PROPÓSITO?? Já vimos o Barry perder a mãe e o pai, não tem necessidade de matar a noiva. Sem falar o quão machista é essa história de matar mulheres (principalmente sendo Iris uma mulher negra!) só para aprofundar a enredo do protagonista masculino.

Eu, pessoalmente, nem vou assistir a próxima temporada se a Iris não estiver nela. Não tenho interesse em ver personagens sendo mortos para fazer o Barry sofrer. Existem maneiras melhores de contar uma história.

O Melhor:
+ Iris e Joe
+ Vídeo da Iris foi emocionante
+ Snart
+ Aparições da Lyla são sempre bem-vindas

O Pior:
- Matarem a Iris????
- Qual é da Killer Frost afinal
Vou ficar tão irritada se a Iris tiver morrido mesmo


Nota: 6,5

Flávia Crossetti - Estudante de psicologia, carioca, feminista, leitora compulsiva, pseudo-escritora e viciada em mais séries do que deveria.


 
UA-48753576-1