Image Slider

quinta-feira, 25 de maio de 2017

Review: Arrow 5x23 - "Lian Yu" [Season Finale]

Atenção: a resenha abaixo contém spoilers do episódio "Lian Yu", exibido no dia 24/05/17. 

arrow 5x23

Reclamo muito de Arrow o tempo todo, mas uma coisa precisamos admitir, eles realmente sabem fazer season finales. A temporada inteira pode decepcionar, mas o season finale vai ser consistente e emocionante (ao contrário de outras séries por aí). E dessa vez Arrow caprichou mesmo no episódio, teve cena para agradar todo o tipo de público, não deixou para ninguém reclamar.

Nesse season finale, deixamos Star City em paz – seus habitantes agradecem – e vamos diretamente para Lian Yu, a ilha do Oliver. Adrian Chase, em sua última jogada, sequestrou literalmente todos os personagens menos o Oliver, deixando-o sem ninguém para ajudar. Para poder resgatar seus amigos e família, Oliver precisa da ajuda de Malcolm Merlyn, Nyssa al Ghul, e, surpreendentemente, Slade Wilson e Digger Harkness, o cara do boomerang que também estava preso em Lian Yu.

No lado de Chase, temos a Laurel Lance da Terra-2 (Black Siren), Evelyn Sharp e Talia al Ghul, que ainda traz junto vários de seus capangas ninjas. Bem cedo no episódio ainda vemos Harkness trocar de lado, revelando que Chase já havia previsto que Oliver o liberaria e comprou seu apoio. Ou seja, temos um time bem equilibrado dos dois lados.

Confesso que nunca fui a maior fã do Slade e estava curiosa para ver como é que eles iriam fazer ele e Oliver trabalharem juntos novamente, mas até gostei muito como foi feito. Slade parece ter voltado à sanidade nesses últimos dois anos sem vê-lo, o Mirakuru desapareceu de seu sistema, ele continua não sendo a pessoa mais simpática do mundo, mas não é irracional. Para convencê-lo a ajudá-lo, Oliver entrega para Slade informações sobre seu filho, Joe, e promete ajudar a encontrá-lo.

A dinâmica entre Oliver e Slade é maravilhosa. Por mais que Slade tenha matado Moira e toda a segunda temporada tenha acontecido, eles voltam um pouco para o relacionamento que costumavam ter quando eram amigos. Slade fala várias coisas bem importantes sobre o Oliver, dizendo que ele sofre da síndrome do sobrevivente, que se culpa por tudo o que aconteceu desde o suicídio do seu próprio pai. Achei ótimo que eles tenham voltado logo pra onde tudo começou, admitindo que Oliver realmente vem se culpando por suas ações e é movido por esse culpa durante toda a série.

Mas não são só eles que marcam o episódio. Malcolm e Nyssa irritando um ao outro foi ótimo, e acho que eu até poderia suportar mais o Malcolm, se a Nyssa estivesse presente sempre. Ela não confia nele e não perde a oportunidade de deixar isso bem claro. Eu também, Nyssa.

arrow lian yu


Quando o grupo encontra Felicity, Curtis, Samantha e Thea, eles acabam resolvendo se separar. Já que ainda precisam encontrar o resto e levar Felicity e Samantha – que não sabem lutar – para algum lugar seguro. Temos um breve momento entre Oliver e Felicity, em que eles trocam um beijo e promessas de conversar depois, o que me deixou feliz e ansiosa para ver se eles finalmente poderão ter paz e ficar juntos sem obstáculos na temporada que vem. Felicity e Samantha também tem a chance de conversar um pouco, o que foi até interessante de se ver. Honestamente, queria que esse episódio tivesse durado uma temporada inteira para eu poder ter um pouco mais de todas as dinâmicas existentes ali.

Malcolm acaba indo acompanhar todos até o avião de Chase para irem embora, enquanto Nyssa, Slade e Oliver seguem em busca dos outros. Eu honestamente odeio o Malcolm e estava torcendo para que ele morresse nesse episódio. E não é que meus desejos foram atendidos? Thea acaba ativando uma bomba sem querer e eles não estão com tempo para achar uma solução, já que Harkness está atrás deles. Mesmo com Thea deixando claro que o odeia e não o considera seu pai (porque ele não é, pai é quem cria, beijos), Malcolm empurra Thea para ora da mina e assume seu lugar, aceitando se sacrificar para que a filha sobrevivesse. Ele tem uma morte heroica, dizendo que mesmo que ele não seja o pai da Thea, ela é sua filha, e não acho que ele merecesse uma morte positiva, porque ele é péssimo, mas aceito a morte dele de qualquer jeito que for. E ainda é útil, porque ele deixa os outros fugierem e se explode quando Harkness chega, matando o outro vilão junto.

A melhor parte é que isso leva a uma conversa entre Felicity e Thea, que eu SEMPRE quis que acontecesse. A última vez que tivemos um momento entre as duas foi literalmente há dois anos, então me emocionei muito em ver Felicity abraçando a Thea e conversando com ela. Felicity fala sobre como também tem muita mágoa em relação ao seu próprio pai, que também não é a melhor pessoa, mas que a protegeu quando precisou. Não acho que o pai da Felicity esteja no mesmo nível que o Malcolm, mas o que importa é que elas têm algo em comum e puderam conversar sobre isso por uns trinta segundos.

Enquanto isso, Quentin, Dinah, Rene e Digg estão presos em um castelinho chinês. Slade finge se voltar contra Oliver, mas apenas o suficiente para que Oliver fosse preso e pudesse levar para Dinah um colar que permitisse que seus poderes funcionassem (mesmo com o aparelho que Chase tinha colocado para impedir). Assim, Dinah pode usar seu canto de canário para poder destruir as algemas e libertar todo mundo para fugir.

Talia e Nyssa têm uma merecida luta entre irmãs. Confesso que passei o episódio inteiro morrendo de medo que eles matassem a Nyssa, mas graças a deus isso não aconteceu. As duas lutam e Nyssa sai como a vencedora. MERECIDO! Nyssa, melhor personagem e rainha do universo. As duas falam sobre o Ra’s, Talia irritada que Nyssa está se aliando aos assassinos do pai delas, enquanto Nyssa fala sobre como o pai sempre teve vergonha dela mesmo. Nyssa tem a oportunidade de matar a irmã, mas ela apenas a nocauteia e a deixa viver, mostrando, como já sabíamos, ser o ser superior que ela é.

Também vemos algumas outras lutas menores, como Dinah e Black Siren, as duas com poderes iguais, o que é bem interessante. No final, é Quentin quem salva a Dinah, derrotando a Laurel. Quero muito ver como que ele vai agir com essa outra Laurel temporada que vem.

william queen 5x23


Mas falta a grande batalha final, com Chase aparecendo de repente. Oliver precisa saber onde William está, já que não foi encontrado junto com nenhum dos dois grupos, e Chase, é claro se recusa a dizer. Adrian quer que Oliver o mate para que comprove o que ele vinha dizendo sobre Oliver ser um assassino no fundo. Dá para ver quanto Oliver está abalado com esse conflito, porque Chase está dizendo coisas horríveis e dá vontade de matá-lo, mas isso seria exatamente o que Chase quer.

Confesso que achei LINDO o Oliver resistir a vontade de matá-lo (honestamente eu já estava gritando “mata ele logo, quem se importa!!”), principalmente comparando com as cenas do flashback, do Oliver matando o Kovar, ou seja lá o nome do cara russo. Oliver diz que não vai matá-lo, não importa o que ele faça, que ele não é mais essa pessoa e que ele não vai mais se culpar pelo o que ele fez. Sério, eu literalmente vi o Oliver fechar uma Gestalt ali. Me senti muito orgulhosa dele.

Mas esse não é o fim. Logo Felicity avisa para o Oliver – usando aqueles comunicadores – que eles descobriram que a ilha inteira está cheia de bombas prontas para descobrir. E, pior, essas bombas estão diretamente ligadas com a vida do Adrian, ou seja, se ele morrer, o lugar todo explode. Por isso é mais um motivo para ele querer que o Oliver o matasse, ele queria que todo mundo morresse. Antes que Oliver pudesse reagir a isso, Adrian consegue fugir.

Oliver ainda precisa encontrar o William, então ele manda todo mundo que estava ali ir até o avião encontrar o resto e ir embora assim que possível, enquanto ele vai atrás de Chase. Essas últimas cenas de ação são super tensas, com Adrian indo até um barquinho, Oliver querendo que ele revelasse onde William estava, mas também sem poder matar o Adrian.

É então que Adrian tira sua carta final, revelando que William está preso dentro do barco e pegando-o como refém. Oliver pode atirar no Chase e salvar o William, sacrificando todo mundo na ilha, ou ele pode ver o filho morrer. No fim, não é uma escolha difícil, por que quem não salvaria a criança nessa situação? Eu trocaria a vida de vários adultos pela de uma criança qualquer sem nem pensar duas vezes, crianças merecem muito mais ser protegidas. Imagina se fosse meu filho, mais fácil ainda escolher!

Oliver atira na perna de Adrian – não o matando – e traz William para perto dele. Fiquei muito comovida de ver Oliver abraçando o filho e checando se ele está bem, espero muito que na sexta temporada a gente veja o Oliver como pai, porque foi tão lindo, Oliver merece isso, dá para ver que ele ama o filho. Só que não para aí, Oliver pode não tê-lo matado, mas Adrian continua no jogo, diz para ele que espera que os dois fiquem felizes só um com o outro, porque é tudo o que vão ter, e aí Chase puxa uma arma e se suicida, servindo de gatilho para que várias explosões ocorressem na ilha.

E acaba a temporada, sem sabermos se alguém se machucou ou morreu. Tudo bem que a maioria dos personagens está seguro porque sabemos que eles estarão na próxima temporada, mas estou morrendo de medo que eles matem a minha amada Nyssa. Se forem matar alguém, matem o Slade, já que o ator odeia a série mesmo e não vai querer voltar.

oliver flashback final


Para terminar, eu literalmente quase nunca falo dos flashbacks, mas dessa vez preciso fazer um comentário. Nós finalmente chegamos ao momento do episódio piloto, o que significa que na próxima temporada não teremos mais flashbacks dos cinco anos do Oliver. Pode até ter alguns flashbacks, mas seriam dos outros personagens.

Dessa vez, eles realmente capricharam, fizeram com que a cena tivesse sentido e, mais importante, que a continuidade emocional do Oliver acontecesse. Depois de toda essa última experiência na ilha, podemos ver o estado em que o Oliver voltou, porque ele agiu da forma que agiu.

E ainda temos uma pequena cena do Oliver ligando para a mãe e avisando que estava vivo. Eu não esperava ver a Moira nesse momento, e achei muito emocionante. Foi lindo vê-la descobrir que o filho estava vivo, Oliver chorando e dizendo que estava voltando para casa. Só tive vontade de abraçá-lo.

Não vou sentir falta dos flashbacks, porque acho que se perde muito tempo de episódio com isso e muitas vezes eles não acrescentavam em quase nada para a história. Mas achei que essa foi uma despedida ótima, fechando um ciclo da série com chave de ouro. Vendo toda a trajetória do Oliver nesses cinco anos na ilha para ele chegar nesse momento e poder se desligar da culpa relacionada ao tudo o que fez e seguir com a vida. Achei realmente muito bem feito, eu não esperava gostar tanto desse final.

O Melhor:
+ CONSISTÊNCIA!
Todas as dinâmicas entre os personagens foram maravilhosas
+ Malcolm finalmente morrendo
+ Oliver resolvendo não matar Chase
+ Chase indo até o final como um ótimo vilão
+ Momentos entre Oliver e William
Moira aparecendo no flashback
Todas as cenas em que a Nyssa estava

O Pior:
- Tentarem redimir o Malcolm
- Ainda não entendo a Evelyn! Será que ela vai morrer mesmo ou alguém vai salvá-la?
- Estou com medo da Nyssa morrer ok

Nota: 9,5

Flávia Crossetti - Estudante de psicologia, carioca, feminista, leitora compulsiva, pseudo-escritora e viciada em mais séries do que deveria.


Um comentário:

  1. Bela crônica, não poderia descrever melhor! Vim aqui porque fiquei tipo, será que acabou mesmo a temporada? Vou pesquisar kkkk

    ResponderExcluir

 
UA-48753576-1